NOTÍCIAS

10 anos sem Bussunda; ouça a sua estreia em disco com o Casseta

Humorista morreu enquanto cobria a Copa do Mundo da Alemanha

por Marcos Lauro em 16/06/2016

Não vou entrar aqui na discussão do politicamente correto ou incorreto. Acho que qualquer um que chegou a ver o Casseta & Planeta na TV sabe o tom do humor dos caras. Comecemos daí.

Preto Com Um Buraco No Meio é a estreia do grupo em disco, em 1989 – o humor multimídia dos caras nasceu no impresso e foi para a TV, chegando até o rádio depois. Musicalmente falando, é quase uma superprodução: tem Celso Fonseca na guitarra, Carlinhos Brown na percussão e produção de Paulinho Albuquerque (que trabalhou com Djavan e Ivan Lins, entre tantos outros).

A sonoridade foi a única coisa levada a sério no disco e, não fossem as letras, passaria como um álbum de uma banda convencional e, inclusive, competente. Mas aí entra o humor do Casseta e nos devolve à realidade.

“Mãe É Mãe” abre o disco e tem o inesquecível Bussunda e sua imitação de Tim Maia – que irritava profundamente o próprio. Sem contar que essa é a música do famoso verso “mulher é tudo vaca” – ouça com o contexto de toda a letra e perceba um cara ressentido. Quem nunca generalizou o gênero oposto após um fora? Equivale ao “homem não presta”.

“Diga” é uma balada cantada por Claudio Manoel (o Massaranduba) e tem toque de reggae. A faixa seguinte, “Com Tanta Gente Passando Fome”, tem o naipe de metais que acompanhou o grupo na vinheta de abertura do programa da Globo até o seu final. Marcante. Na playlist abaixo, a faixa “A Lambada” está escondida no final dessa música. Talvez você não conheça esse significado de “lambada”…

Outro semi-hit do disco é “Tributo A Bob Marley”, que tem a participação de Djavan e imortalizou a expressão “imagina na Jamaica”.

“Eu Tô Tristão” é um samba-enredo que exorciza todos os motivos para Reinaldo estar realmente triste. Em “Adolescente”, o Casseta tira um sarro de um dos seus alvos preferidos: os paulistas. Já “Rap Do Vagabundo” foca outro alvo preferido: os bicho-grilos, cults, intelectualóides e afins.

Enfim, o disco termina com outro semi-hit – e que também teve seu instrumental bastante usado no programa de TV – “Mama Áustria”. Preto Com Um Buraco No Meio tem um humor ácido e que foi característico do grupo por todo o tempo em que esteve em atividade.

Talvez algo tenha ficado datado com o passar do tempo, mas ainda dá pra se divertir ouvindo o disco – que termina com o grupo cantando “Travessia” de forma bem caricata… mais uma pra cima dos bichos-grilo.

Ouça:

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

10 anos sem Bussunda; ouça a sua estreia em disco com o Casseta

Humorista morreu enquanto cobria a Copa do Mundo da Alemanha

por Marcos Lauro em 16/06/2016

Não vou entrar aqui na discussão do politicamente correto ou incorreto. Acho que qualquer um que chegou a ver o Casseta & Planeta na TV sabe o tom do humor dos caras. Comecemos daí.

Preto Com Um Buraco No Meio é a estreia do grupo em disco, em 1989 – o humor multimídia dos caras nasceu no impresso e foi para a TV, chegando até o rádio depois. Musicalmente falando, é quase uma superprodução: tem Celso Fonseca na guitarra, Carlinhos Brown na percussão e produção de Paulinho Albuquerque (que trabalhou com Djavan e Ivan Lins, entre tantos outros).

A sonoridade foi a única coisa levada a sério no disco e, não fossem as letras, passaria como um álbum de uma banda convencional e, inclusive, competente. Mas aí entra o humor do Casseta e nos devolve à realidade.

“Mãe É Mãe” abre o disco e tem o inesquecível Bussunda e sua imitação de Tim Maia – que irritava profundamente o próprio. Sem contar que essa é a música do famoso verso “mulher é tudo vaca” – ouça com o contexto de toda a letra e perceba um cara ressentido. Quem nunca generalizou o gênero oposto após um fora? Equivale ao “homem não presta”.

“Diga” é uma balada cantada por Claudio Manoel (o Massaranduba) e tem toque de reggae. A faixa seguinte, “Com Tanta Gente Passando Fome”, tem o naipe de metais que acompanhou o grupo na vinheta de abertura do programa da Globo até o seu final. Marcante. Na playlist abaixo, a faixa “A Lambada” está escondida no final dessa música. Talvez você não conheça esse significado de “lambada”…

Outro semi-hit do disco é “Tributo A Bob Marley”, que tem a participação de Djavan e imortalizou a expressão “imagina na Jamaica”.

“Eu Tô Tristão” é um samba-enredo que exorciza todos os motivos para Reinaldo estar realmente triste. Em “Adolescente”, o Casseta tira um sarro de um dos seus alvos preferidos: os paulistas. Já “Rap Do Vagabundo” foca outro alvo preferido: os bicho-grilos, cults, intelectualóides e afins.

Enfim, o disco termina com outro semi-hit – e que também teve seu instrumental bastante usado no programa de TV – “Mama Áustria”. Preto Com Um Buraco No Meio tem um humor ácido e que foi característico do grupo por todo o tempo em que esteve em atividade.

Talvez algo tenha ficado datado com o passar do tempo, mas ainda dá pra se divertir ouvindo o disco – que termina com o grupo cantando “Travessia” de forma bem caricata… mais uma pra cima dos bichos-grilo.

Ouça: