NOTÍCIAS

10 artistas pop que merecem voltar ao topo em 2015

por em 07/05/2015

Há alguns artistas que estiveram por trás das "melhores novas músicas" de antigamente, e, sem ofensas, merecem ficar no passado – seu estilo não sobreviveria à música moderna. Por outro lado, alguns artistas que estão há muito tempo adormecidos, fora do cenário, estão praticamente pedindo uma ressurreição. São personalidades do pop que já provaram seu valor mais de uma vez. Por uma razão ou outra, esses artistas não estão mais na liderança da música popular… mas se tivessem uma única chance, a oportunidade de retornar, é provável que não deixassem escapar.

Aqui estão os 10 veteranos da música pop que merecem voltar aos rankings em 2015.

Janet Jackson

Um fato assustador: existem adolescentes neste mundo que nasceram depois da última aparição de Janet Jackson no Top 10 do Hot 100 como artista principal. O ícone da R&B não cravou um hit mainstream desde "Someone To Call My Lover", em 2001, e está no meio da mais longa seca de álbuns da sua carreira. O último a ser lançado foi Discipline, em 2008. Em agosto do ano passado, surgiram boatos de que Janet estava trabalhando em um novo disco, mas a cantora nunca confirmou ou negou a informação. E, apesar de ser uma das artistas que mais vendeu nos anos 1980 e 1990, e não ter mais nada a provar, uma versão feita por Janet de "We Belong Together", quem sabe, seria uma agradável surpresa aos fãs antigos e aos novatos que ainda não conhecem o real valor de Janet.

Fergie

Nós ainda temos fé. O álbum de estreia de Fergie, The Dutchess (2006), era bom demais para nunca ter uma sequência. Cheio de hits, até hoje é um dos dois álbuns lançados desde 2000 que teve cinco singles no Top 10 do Hot 100 – o outro foi Teenage Dream, de Katy Perry. Fergie voltou solo no final do ano passado com "L.A. Love (La La)", uma colaboração com DJ Mustard. Um segundo álbum ainda precisa ser anunciado, mas um single ruim não pode desandar Ferg 2.0, não é?

Sean Paul

Faz alguns anos desde o seu último hit, mas Sean Paul recentemente ajudou o single de Enrique Iglesias, “Bailando” – que ganhou seis Billboard Latin Music Awards –, a tornar-se um hit da música latina. Um possível retorno de Sean Paul poderia significar mais músicas dançantes. Afinal, quem nunca balbuciou o refrão de "Temperature" em uma festa, ou requebrou ao som de “We Be Burnin’”? Sean Paul vem tentando restabelecer conexão com as rádios há anos, e, como "Bailando" prova, ele ainda tem o jeito.

Ashlee Simpson

Como seria um álbum de Ashlee Simpson com Ashlee Simpson adulta? Não há como saber – a ex-estrela não lança um disco desde Bittersweet World, de 2008, quando ela tinha 23 anos. Hoje, Ashlee tem 30 anos, está casada (com Evan, o filho de Diana Ross), grávida do segundo filho e muito distante da carreira musical que parecia ser tão promissora com os hits "La La" e "Pieces Of Me", do seu disco de estreia, Autobiography (2004). Se não há um novo álbum de Ashlee Simpson no seu futuro, talvez a cantora se reinvente como compositora.

Nelly Furtado

O próximo ano será o 10º aniversário de Loose, o terceiro disco de estúdio de Nelly Furtado e um dos grandes projetos pop de meados dos anos 2000. Dez das doze músicas do disco foram produzidas por Timbaland, Danja e Jim Beanz, e Nelly – que já era conhecia por "I'm Like A Bird" – se reinventou como uma dançarina rítmica em sucessos como "Promiscuous", "Maneater" e "Say It Right". Depois de Loose, veio o espanhol Mi Plan, em 2009, e uma falha tentativa de retorno ao pop em 2012, com The Spirit Indestructible. Furtado é uma artista mais envolvente do que este último álbum sugeriu – apesar do single "Parking Lot" ter sido um som fiel – e poderia recapturar a mágica chamando Timbaland para o seu próximo projeto.

JoJo

JoJo, ou Joanna Levesque, era uma adolescente quando os hits "Leave (Get Out)" e "Too Little Too Late" foram lançados – hoje, a cantora tem 24 nos e uma inclinação para R&B. Em março deste ano, lançou o single “Kekuatan Cinta”, mas antes dele fazia três anos que a cantora não produzia materiais, desde o single "Demonstrate", de 2012, e a mixtape Agápe, do mesmo ano. JoJo finalmente assinou um novo contrato com a Atlantic Records no ano passado e há grandes expectativas quanto ao seu primeiro álbum oficial desde 2006.

The Veronicas

A dupla de gêmeas australianas curtiu um breve momento ao sol graças ao sucesso das músicas "4ever", "Everything I'm Not" e "Untouched". Alguns fãs persistentes têm comparecido aos shows – do disco homônimo, de 2014, depois de um hiato de sete anos – que as irmãs estão fazendo nos Estados Unidos. Então, sim, tecnicamente The Veronicas voltaram, mas de uma maneira mais silenciosa do que o esperado.

Cascada

Na verdade, Cascada divulgou um novo single, "Reason", no início do ano, e, apesar da dançarina alemã não estar mais presente nas rádios pop norte-americanas, um retorno (internacional) de Cascada seria muito bem-vindo. Afinal, Natalie Horler ainda tem uma voz que acompanha vários bailes de formatura nos Estados Unidos graças aos incansáveis hits tecno "Everytime We Touch" (que chegou até a 10ª posição) e "Evacuate The Dancefloor", que foram lançadas com quase quatro anos de diferença e entraram no Hot 100 (assim como “What Hurts The Most”). Cascada saiu da pista há seis anos, mas deveria voltar com tudo em 2015.

 

Soulja Boy

Oh, Soulja Boy… o seu tempo como um revolucionário do hip-hop foi curto demais. Não se engane, DeAndre Way, ou Soulja Boy Tell 'Em, ou apenas Soulja Boy, foi o artista de pop-rap mais bem sucedido comercialmente em meados da década e um dos maiores visionários. O hit "Crank That (Soulja Boy)" estourou e "Turn My Swag On" transformou o gingado (swag) em hino. Apesar de estar colaborando com artistas atuais, como Nicki Minaj e Migos, seus dias de hit-maker estão no passado. O mundo precisa de você mais uma vez, Soulja Boy – mesmo que ele ainda não perceba.

Rachel Stevens

O pouco conhecido álbum de 2005 de Rachel Stevens, Come And Get It,  foi um divisor de águas na carreira da ex-integrante do grupo pop S Club 7, que teve vários hits no Top 10 no Reino Unido. Singles de Rachel como "Some Girls" e "So Good" agradaram aos fãs britânicos de bandas pop como Girls Aloud e Sugarbabes, mas Come And Get It nunca teve uma sequência, porque Rachel se dedicou à carreira de atriz. Para um pequeno, mas dedicado grupo de fãs, um novo álbum de Rachel Stevens seria muito animador – e, com a recente notícia da reunião de S Club 7 , não parece ser algo muito difícil.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

10 artistas pop que merecem voltar ao topo em 2015

por em 07/05/2015

Há alguns artistas que estiveram por trás das "melhores novas músicas" de antigamente, e, sem ofensas, merecem ficar no passado – seu estilo não sobreviveria à música moderna. Por outro lado, alguns artistas que estão há muito tempo adormecidos, fora do cenário, estão praticamente pedindo uma ressurreição. São personalidades do pop que já provaram seu valor mais de uma vez. Por uma razão ou outra, esses artistas não estão mais na liderança da música popular… mas se tivessem uma única chance, a oportunidade de retornar, é provável que não deixassem escapar.

Aqui estão os 10 veteranos da música pop que merecem voltar aos rankings em 2015.

Janet Jackson

Um fato assustador: existem adolescentes neste mundo que nasceram depois da última aparição de Janet Jackson no Top 10 do Hot 100 como artista principal. O ícone da R&B não cravou um hit mainstream desde "Someone To Call My Lover", em 2001, e está no meio da mais longa seca de álbuns da sua carreira. O último a ser lançado foi Discipline, em 2008. Em agosto do ano passado, surgiram boatos de que Janet estava trabalhando em um novo disco, mas a cantora nunca confirmou ou negou a informação. E, apesar de ser uma das artistas que mais vendeu nos anos 1980 e 1990, e não ter mais nada a provar, uma versão feita por Janet de "We Belong Together", quem sabe, seria uma agradável surpresa aos fãs antigos e aos novatos que ainda não conhecem o real valor de Janet.

Fergie

Nós ainda temos fé. O álbum de estreia de Fergie, The Dutchess (2006), era bom demais para nunca ter uma sequência. Cheio de hits, até hoje é um dos dois álbuns lançados desde 2000 que teve cinco singles no Top 10 do Hot 100 – o outro foi Teenage Dream, de Katy Perry. Fergie voltou solo no final do ano passado com "L.A. Love (La La)", uma colaboração com DJ Mustard. Um segundo álbum ainda precisa ser anunciado, mas um single ruim não pode desandar Ferg 2.0, não é?

Sean Paul

Faz alguns anos desde o seu último hit, mas Sean Paul recentemente ajudou o single de Enrique Iglesias, “Bailando” – que ganhou seis Billboard Latin Music Awards –, a tornar-se um hit da música latina. Um possível retorno de Sean Paul poderia significar mais músicas dançantes. Afinal, quem nunca balbuciou o refrão de "Temperature" em uma festa, ou requebrou ao som de “We Be Burnin’”? Sean Paul vem tentando restabelecer conexão com as rádios há anos, e, como "Bailando" prova, ele ainda tem o jeito.

Ashlee Simpson

Como seria um álbum de Ashlee Simpson com Ashlee Simpson adulta? Não há como saber – a ex-estrela não lança um disco desde Bittersweet World, de 2008, quando ela tinha 23 anos. Hoje, Ashlee tem 30 anos, está casada (com Evan, o filho de Diana Ross), grávida do segundo filho e muito distante da carreira musical que parecia ser tão promissora com os hits "La La" e "Pieces Of Me", do seu disco de estreia, Autobiography (2004). Se não há um novo álbum de Ashlee Simpson no seu futuro, talvez a cantora se reinvente como compositora.

Nelly Furtado

O próximo ano será o 10º aniversário de Loose, o terceiro disco de estúdio de Nelly Furtado e um dos grandes projetos pop de meados dos anos 2000. Dez das doze músicas do disco foram produzidas por Timbaland, Danja e Jim Beanz, e Nelly – que já era conhecia por "I'm Like A Bird" – se reinventou como uma dançarina rítmica em sucessos como "Promiscuous", "Maneater" e "Say It Right". Depois de Loose, veio o espanhol Mi Plan, em 2009, e uma falha tentativa de retorno ao pop em 2012, com The Spirit Indestructible. Furtado é uma artista mais envolvente do que este último álbum sugeriu – apesar do single "Parking Lot" ter sido um som fiel – e poderia recapturar a mágica chamando Timbaland para o seu próximo projeto.

JoJo

JoJo, ou Joanna Levesque, era uma adolescente quando os hits "Leave (Get Out)" e "Too Little Too Late" foram lançados – hoje, a cantora tem 24 nos e uma inclinação para R&B. Em março deste ano, lançou o single “Kekuatan Cinta”, mas antes dele fazia três anos que a cantora não produzia materiais, desde o single "Demonstrate", de 2012, e a mixtape Agápe, do mesmo ano. JoJo finalmente assinou um novo contrato com a Atlantic Records no ano passado e há grandes expectativas quanto ao seu primeiro álbum oficial desde 2006.

The Veronicas

A dupla de gêmeas australianas curtiu um breve momento ao sol graças ao sucesso das músicas "4ever", "Everything I'm Not" e "Untouched". Alguns fãs persistentes têm comparecido aos shows – do disco homônimo, de 2014, depois de um hiato de sete anos – que as irmãs estão fazendo nos Estados Unidos. Então, sim, tecnicamente The Veronicas voltaram, mas de uma maneira mais silenciosa do que o esperado.

Cascada

Na verdade, Cascada divulgou um novo single, "Reason", no início do ano, e, apesar da dançarina alemã não estar mais presente nas rádios pop norte-americanas, um retorno (internacional) de Cascada seria muito bem-vindo. Afinal, Natalie Horler ainda tem uma voz que acompanha vários bailes de formatura nos Estados Unidos graças aos incansáveis hits tecno "Everytime We Touch" (que chegou até a 10ª posição) e "Evacuate The Dancefloor", que foram lançadas com quase quatro anos de diferença e entraram no Hot 100 (assim como “What Hurts The Most”). Cascada saiu da pista há seis anos, mas deveria voltar com tudo em 2015.

 

Soulja Boy

Oh, Soulja Boy… o seu tempo como um revolucionário do hip-hop foi curto demais. Não se engane, DeAndre Way, ou Soulja Boy Tell 'Em, ou apenas Soulja Boy, foi o artista de pop-rap mais bem sucedido comercialmente em meados da década e um dos maiores visionários. O hit "Crank That (Soulja Boy)" estourou e "Turn My Swag On" transformou o gingado (swag) em hino. Apesar de estar colaborando com artistas atuais, como Nicki Minaj e Migos, seus dias de hit-maker estão no passado. O mundo precisa de você mais uma vez, Soulja Boy – mesmo que ele ainda não perceba.

Rachel Stevens

O pouco conhecido álbum de 2005 de Rachel Stevens, Come And Get It,  foi um divisor de águas na carreira da ex-integrante do grupo pop S Club 7, que teve vários hits no Top 10 no Reino Unido. Singles de Rachel como "Some Girls" e "So Good" agradaram aos fãs britânicos de bandas pop como Girls Aloud e Sugarbabes, mas Come And Get It nunca teve uma sequência, porque Rachel se dedicou à carreira de atriz. Para um pequeno, mas dedicado grupo de fãs, um novo álbum de Rachel Stevens seria muito animador – e, com a recente notícia da reunião de S Club 7 , não parece ser algo muito difícil.