NOTÍCIAS

11 documentários musicais para assistir nas férias

Longas para quem gosta de conhecer as histórias dos artistas e para quem é curioso sobre os bastidores da indústria

por Rebecca Silva em 15/12/2017

As férias chegaram e, com elas, o tempo livre para fazer o que você bem quiser, sem preocupações e compromissos. Para entreter aqueles que adoram documentários e música, preparamos esta lista com 11 longas disponíveis na Netflix, com alguns filmes focando na história de vida de famosos artistas e outros contando as histórias de bastidores, com opções para quem gosta de pop, rock, hip hop ou tudo junto!

AMY – O ouro do filme está nas imagens de arquivo que mostram o comecinho da carreira da cantora, feitas pelo seu primeiro empresário, Nick Shymansky, que também narra esse importante período. Ali percebemos a Amy que queria apenas cantar. Já tinha alguns problemas com sua personalidade (a bulimia vem desde a adolescência), mas, como ainda não era famosa, conseguia manter uma vida relativamente normal. O filme foca na personalidade extremamente dependente de Amy – dos homens, da música, das drogas, inicialmente nessa ordem e depois tudo isso ao mesmo tempo, tentando explicar e justificar o seu fim precoce.

Divulgação

A Um Passo Do Estrelato – O filme, vencedor do Oscar de Melhor Documentário de 2014, é ótimo para aqueles que gostam de acompanhar os bastidores da música. Ele tem como foco as cantoras backing vocal e a importância de seus trabalhos nos grandes hits que amamos escutar. Elas são a alma das faixas e, muitas vezes, acabamos nem conhecendo seus nomes e rostos. Aqui, elas têm a chance de contar suas histórias, sonhos, desejos e decepções. Com as participações de Bruce Springsteen, Stevie Wonder, Sting e Mick Jagger. 

Divulgação/Netflix

Gaga: Five Foot Two – Neste documentário, Lady Gaga aproveita sua nova persona, menos espalhafatosa e glamurosa e muito mais pé no chão e gente como a gente para abrir as portas de sua casa e expor suas batalhas. Antes inatingível, aqui ela se mostra vulnerável e humana, expondo seus momentos de dor (e muito choro), intercalando com gravações de músicas para o disco mais recente, Joanne, o tempo ao lado da família e a preparação para a apresentação mais importante da sua carreira, no intervalo do Super Bowl deste ano. 

Divulgação/Netflix

Sample This - Há quem diga que o hip hop é o novo rock e, se depender do resultado deste ano nos rankings da Billboard, o gênero vai continuar a ganhar força. Neste documentário, conhecemos a história por trás de "Apache", faixa da Incredible Bongo Band, que é uma das mais sampleadas da história e esteve muito presente no nascimento do hip hop em Nova York. Importante ressaltar que o longa foca na história da faixa original, com entrevistas e imagens de acervo sobre o processo de gravação, que nada tem a ver com o gênero hip hop. Aliás, a faixa foi feita de forma despretensiosa, com outros objetivos. Vale a pena para quem se interessa pelos bastidores de gravações e entrevistas com músicos. 

Divulgação/Netflix

George Harrison: Living In The Material World – Para os beatlemaníacos, essa é uma excelente pedida. Focado na vida do integrante mais tímido, mas repleto de surpresas, o longa é bem extenso (3h40 de duração), mas faz jus à história de vida de Harrison, contando detalhes sobre diferentes períodos de sua vida, com depoimentos de familiares, amigos e colegas de trabalho que conviveram pessoalmente com George, explicando a importância da espiritualidade para ele. 

Lançado em 2011, foi dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese e traz imagens de acervo feitas pelo próprio George durante toda a vida, reunidas por sua viúva, Olivia Arias.

Divulgação

Strike A Pose – O documentário reúne os dançarinos que participaram da turnê Blond Ambition, de Madonna, adeptos do estilo de dança vogue e que também participaram do polêmico filme Na Cama com Madonna. 20 anos depois, ficamos sabendo o que aconteceu em suas vidas e como o período que conviveram com a rainha do pop marcou suas histórias. Impactante, o longa vai muito além de dança e música pop, tocando em assuntos importantes como HIV, dependência em drogas e álcool e homofobia. 

Divulgação

What Happened, Miss Simone? – O filme acompanha os altos e baixos da carreira da brilhante Nina Simone, desde a infância quando foi criada com o peso de ser a primeira mulher negra pianista clássica, passando pela fama mainstream, seu envolvimento com o movimento dos direitos civis, a decadência e o renascimento. Mais importante do que a música, o foco aqui está nas batalhas pessoais que ela travava consigo mesma e com aqueles com quem se relacionava, fruto de traumas não tratados. Com depoimentos de familiares e amigos próximos, o documentário conta com bastante material inédito, incluindo trechos de cartas e diários com desabafos profundos escritos pela própria Nina. O objetivo aqui não é celebrar sua carreira, mas entender quem, de verdade, era a pessoa depois que os holofotes se apagavam. Um filme extremamente relevante para os dias de hoje, em que o racismo e o machismo continuam a manchar a sociedade, assim como mancharam a vida de Nina.

Divulgação/Netflix

Tokyo Idols – O documentário apresenta o universo curioso e um tanto perturbador das idols, cantoras adolescentes japonesas que são idolatradas, em sua maioria, por homens na casa dos 40 anos. Por meio de entrevistas com artistas, fãs e familiares, conhecemos os motivos que estimulam ambos os lados (ídolo e fã) a alimentarem esse relacionamento. Um registro importante sobre uma parcela da sociedade japonesa e seus ansejos e frustrações.   

Divulgação

Reincarnated – Lembra quando Snoop Dogg mudou de nome (pela milésima vez) para Snoop Lion? Isso aconteceu após um batismo rastafári na Jamaica, em uma viagem para gravação do seu disco Reincarnated, produzido por Major Lazer. Toda essa experiência foi documentada em vídeo e se tornou este longa. Apesar do toque cômico em alguns momentos do filme, há reflexões filosóficas e religiosas e cenas sérias sobre a situação social do país.

Divulgação

All Things Must Pass – O filme conta a história da loja Tower Records, desde seu início como empresa familiar, passando pelo auge, em que era referência para os jovens e para os grandes músicos – com participações de Elton John, Bruce Springsteen e Dave Grohl – até a sua decadência, com a falência. Por meio de depoimentos de funcionários da empresa, conhecemos a importância da loja para a história da música dos Estados Unidos e como ela foi impactada pelo ego inflado pelas conquistas e pelas mudanças na indústria musical com o avanço da tecnologia.

Reprodução

Whitney: Can I Be Me – Este não é um filme leve, daqueles que apenas contam fatos, detalhes e curiosidade da vida do seu artista preferido. E não teria como ser diferente, raso, quando se trata de uma história trágica como a de Whitney Houston – que continuou trágica mesmo após a sua morte, com a morte da filha em condições muito parecidas com as da mãe. O filme toca em pontos polêmicos, como a relação da cantora com Robyn Crawford (um suposto relacionamento lésbico), o que levou a família de Whitney a deixar de apoiar o documentário. 

Divulgação

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Largado às Traças
Zé Neto & Cristiano
2
2050
Luan Santana
3
Apelido Carinhoso
Gusttavo Lima
4
Mais Amor E Menos Drama
Henrique & Juliano
5
Quem Ensinou Fui Eu
Maiara & Maraisa
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

11 documentários musicais para assistir nas férias

Longas para quem gosta de conhecer as histórias dos artistas e para quem é curioso sobre os bastidores da indústria

por Rebecca Silva em 15/12/2017

As férias chegaram e, com elas, o tempo livre para fazer o que você bem quiser, sem preocupações e compromissos. Para entreter aqueles que adoram documentários e música, preparamos esta lista com 11 longas disponíveis na Netflix, com alguns filmes focando na história de vida de famosos artistas e outros contando as histórias de bastidores, com opções para quem gosta de pop, rock, hip hop ou tudo junto!

AMY – O ouro do filme está nas imagens de arquivo que mostram o comecinho da carreira da cantora, feitas pelo seu primeiro empresário, Nick Shymansky, que também narra esse importante período. Ali percebemos a Amy que queria apenas cantar. Já tinha alguns problemas com sua personalidade (a bulimia vem desde a adolescência), mas, como ainda não era famosa, conseguia manter uma vida relativamente normal. O filme foca na personalidade extremamente dependente de Amy – dos homens, da música, das drogas, inicialmente nessa ordem e depois tudo isso ao mesmo tempo, tentando explicar e justificar o seu fim precoce.

Divulgação

A Um Passo Do Estrelato – O filme, vencedor do Oscar de Melhor Documentário de 2014, é ótimo para aqueles que gostam de acompanhar os bastidores da música. Ele tem como foco as cantoras backing vocal e a importância de seus trabalhos nos grandes hits que amamos escutar. Elas são a alma das faixas e, muitas vezes, acabamos nem conhecendo seus nomes e rostos. Aqui, elas têm a chance de contar suas histórias, sonhos, desejos e decepções. Com as participações de Bruce Springsteen, Stevie Wonder, Sting e Mick Jagger. 

Divulgação/Netflix

Gaga: Five Foot Two – Neste documentário, Lady Gaga aproveita sua nova persona, menos espalhafatosa e glamurosa e muito mais pé no chão e gente como a gente para abrir as portas de sua casa e expor suas batalhas. Antes inatingível, aqui ela se mostra vulnerável e humana, expondo seus momentos de dor (e muito choro), intercalando com gravações de músicas para o disco mais recente, Joanne, o tempo ao lado da família e a preparação para a apresentação mais importante da sua carreira, no intervalo do Super Bowl deste ano. 

Divulgação/Netflix

Sample This - Há quem diga que o hip hop é o novo rock e, se depender do resultado deste ano nos rankings da Billboard, o gênero vai continuar a ganhar força. Neste documentário, conhecemos a história por trás de "Apache", faixa da Incredible Bongo Band, que é uma das mais sampleadas da história e esteve muito presente no nascimento do hip hop em Nova York. Importante ressaltar que o longa foca na história da faixa original, com entrevistas e imagens de acervo sobre o processo de gravação, que nada tem a ver com o gênero hip hop. Aliás, a faixa foi feita de forma despretensiosa, com outros objetivos. Vale a pena para quem se interessa pelos bastidores de gravações e entrevistas com músicos. 

Divulgação/Netflix

George Harrison: Living In The Material World – Para os beatlemaníacos, essa é uma excelente pedida. Focado na vida do integrante mais tímido, mas repleto de surpresas, o longa é bem extenso (3h40 de duração), mas faz jus à história de vida de Harrison, contando detalhes sobre diferentes períodos de sua vida, com depoimentos de familiares, amigos e colegas de trabalho que conviveram pessoalmente com George, explicando a importância da espiritualidade para ele. 

Lançado em 2011, foi dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese e traz imagens de acervo feitas pelo próprio George durante toda a vida, reunidas por sua viúva, Olivia Arias.

Divulgação

Strike A Pose – O documentário reúne os dançarinos que participaram da turnê Blond Ambition, de Madonna, adeptos do estilo de dança vogue e que também participaram do polêmico filme Na Cama com Madonna. 20 anos depois, ficamos sabendo o que aconteceu em suas vidas e como o período que conviveram com a rainha do pop marcou suas histórias. Impactante, o longa vai muito além de dança e música pop, tocando em assuntos importantes como HIV, dependência em drogas e álcool e homofobia. 

Divulgação

What Happened, Miss Simone? – O filme acompanha os altos e baixos da carreira da brilhante Nina Simone, desde a infância quando foi criada com o peso de ser a primeira mulher negra pianista clássica, passando pela fama mainstream, seu envolvimento com o movimento dos direitos civis, a decadência e o renascimento. Mais importante do que a música, o foco aqui está nas batalhas pessoais que ela travava consigo mesma e com aqueles com quem se relacionava, fruto de traumas não tratados. Com depoimentos de familiares e amigos próximos, o documentário conta com bastante material inédito, incluindo trechos de cartas e diários com desabafos profundos escritos pela própria Nina. O objetivo aqui não é celebrar sua carreira, mas entender quem, de verdade, era a pessoa depois que os holofotes se apagavam. Um filme extremamente relevante para os dias de hoje, em que o racismo e o machismo continuam a manchar a sociedade, assim como mancharam a vida de Nina.

Divulgação/Netflix

Tokyo Idols – O documentário apresenta o universo curioso e um tanto perturbador das idols, cantoras adolescentes japonesas que são idolatradas, em sua maioria, por homens na casa dos 40 anos. Por meio de entrevistas com artistas, fãs e familiares, conhecemos os motivos que estimulam ambos os lados (ídolo e fã) a alimentarem esse relacionamento. Um registro importante sobre uma parcela da sociedade japonesa e seus ansejos e frustrações.   

Divulgação

Reincarnated – Lembra quando Snoop Dogg mudou de nome (pela milésima vez) para Snoop Lion? Isso aconteceu após um batismo rastafári na Jamaica, em uma viagem para gravação do seu disco Reincarnated, produzido por Major Lazer. Toda essa experiência foi documentada em vídeo e se tornou este longa. Apesar do toque cômico em alguns momentos do filme, há reflexões filosóficas e religiosas e cenas sérias sobre a situação social do país.

Divulgação

All Things Must Pass – O filme conta a história da loja Tower Records, desde seu início como empresa familiar, passando pelo auge, em que era referência para os jovens e para os grandes músicos – com participações de Elton John, Bruce Springsteen e Dave Grohl – até a sua decadência, com a falência. Por meio de depoimentos de funcionários da empresa, conhecemos a importância da loja para a história da música dos Estados Unidos e como ela foi impactada pelo ego inflado pelas conquistas e pelas mudanças na indústria musical com o avanço da tecnologia.

Reprodução

Whitney: Can I Be Me – Este não é um filme leve, daqueles que apenas contam fatos, detalhes e curiosidade da vida do seu artista preferido. E não teria como ser diferente, raso, quando se trata de uma história trágica como a de Whitney Houston – que continuou trágica mesmo após a sua morte, com a morte da filha em condições muito parecidas com as da mãe. O filme toca em pontos polêmicos, como a relação da cantora com Robyn Crawford (um suposto relacionamento lésbico), o que levou a família de Whitney a deixar de apoiar o documentário. 

Divulgação