NOTÍCIAS

14 maiores cachês da Virada Cultural de SP 2018

Edição acontece neste fim de semana (19 e 20) em São Paulo

por Redação em 18/05/2018

No próximo final de semana (19 e 20/5), a Virada Cultural de São Paulo ganha mais uma edição. Segundo a prefeitura, o orçamento destinado ao evento é de R$ 13 milhões, distribuídos em estrutura e produção dos espetáculos.

Como mandam as regras, todos os cachês são publicados no Diário Oficial no formato de valor global, ou seja, as cifras anunciadas cobrem todos os custos do artista para a realização da apresentação contratada. Se o valor global de um show é de R$ 100 mil, por exemplo, não quer dizer que o artista fique com tudo – ele tem que pagar a viagem, a estadia e tudo o que for preciso, em termos de produção, para que o espetáculo aconteça.

8. São Paulo Indiscreta – R$ 90 mil

A intervenção cênica terá música, iluminação e dança com seis atores/dançarinos no edifício Santa Mônica, na Av. Ipiranga, 162. O elenco interpreta pequenas histórias do cotidiano da cidade e é assistido pelo público de fora do prédio, por meio das janelas de dois andares. São seis apresentações: 19h, 21h, 22h e 23h do sábado e 1h e 2h da madrugada de domingo.

8. Priscilla – R$ 90 mil

O palco Queer, na Praça da República, vai reproduzir a estética LGBT de várias formas durante a Virada. No domingo, 18h, um espetáculo chamado “Priscilla” encerra as atrações com apresentação de Aretuza Lovi, Gloria Groove, Derrick Barry e Jujubee, quatro nomes novos e relevantes da cena.

8. Os Paralamas do Sucesso – R$ 90 mil

O palco montado em frente ao clássico edifíco Copan, na Avenida Ipiranga, pretende contar a história do rock nacional com diversos nomes de peso. Os Paralamas fecham o palco com show no domingo, 16h30.

7. Legião Urbana – R$ 100 mil

Depois da disputa judicial com o herdeiro da obra de Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá voltam a usar o nome Legião Urbana em espetáculos e tocam na Virada Cultural acompanhados do cantor André Frateschi com o show Legião Urbana XXX anos. A apresentação está marcada para encerrar o palco Boulevard São João às 16h30 do domingo.

7. Luzes – R$ 100 mil

Nem só de música vive a Virada Cultural. As apresentações artísticas envolvendo luzes em fachadas de prédios históricos já se tornaram um clássico das noites viradas paulistanas. Nessa edição, o ADA – Ateliê Digital Analógico será responsável por duas intervenções de luzes: no sábado, 18h, na Avenida Ipiranga, 150, e das 18h à meia-noite no Parque da Juventude, zona norte de São Paulo.

7. Caetano Veloso – R$ 100 mil

A Rua da Consolação vai receber diversos cortejos que farão seus trajetos até a rua Xavier de Toledo. Caetano participa do Tarado Ni Você, famoso bloco carnavalesco, que se concentra às 20h e sai às 21h (no sábado).

7. Jota Quest – R$ 100 mil

Os mineiros do Jota Quest se apresentam na série chamada “Domingo no Parque”, na Chácara do Jockey, às 16h.

6. Nação Zumbi – R$ 110 mil

Os pernambucanos se desdobram e fazem duas apresentações na Virada. A primeira será no sábado, 20h, na Chácara do Jockey. A segunda será especial, dentro da série em que artistas tocam algum de seus discos na íntegra: Nação Zumbi toca o Afrociberdelia, seu segundo álbum, de 1996, no Boulevard São João no domingo, 13h30.

6. Baby do Brasil – R$ 110 mil

O cortejo “Agora é que são elas”, que vai da Consolação até a Xavier de Toledo, vai receber a cantora Baby do Brasil. Pitty e Tulipa Ruiz também participam da apresentação. A concentração está prevista para 17h e a saída para 18h.

5. Palco Hip-Hop – R$ 147,7 mil

A estação São Bento do metrô assistiu o nascimento da cultura hip-hop no Brasil – era lá que os primeiros MCs b-boys se reuniam para rimar e fazer seus passos de dança e, depois, se apresentar nos bailes. Dali saíram diversos grupos, como Thaíde e DJ Hum e Racionais MC’s. A Virada faz uma homenagem à cultura com um palco onde tudo começou, na São Bento, com apresentações de novo e já conhecidos nomes. A Naja Produções, responsável pelo palco, escalou diversos artistas e encerra o palco com Doctor MCs e Filosofia de Rua, dois grandes nomes do rap nacional.

4. Palco Bossa Nova – R$ 160 mil

Para comemorar os 60 anos de um dos movimentos artísticos mais importantes do país, a Virada vai sediar um palco destinado à bossa nova. Para isso, a produtora Cultura e Convenções vai receber o valor global para a produção do palco e realizar shows de artistas como Virgínia Rosa, Blubell, Toquinho, Claudya e Jane Duboc, entre outras vozes. No final, todos os artistas se reúnem para um tributo a Johnny Alf. As apresentações serão na Sala Olido, na Av. São João em frente ao largo do Paissandu.

3. Virada Oriental – R$ 165 mil

A rua 24 de maio recebe a Virada Oriental, destinada à culturas populares japonesas, chinesas e coreanas, em sua maioria. A produtora Intervisual organiza o palco, que tem deste a tradicional Dança do Dragão e Leão Chinês (que abre as atividades) até apresentações de k-pop, a febre da música e cultura jovem da Coreia do Sul.

2. Palco Humor/Risadaria – R$ 188 mil

O apresentador e humorista Paulo Bonfá, fundador do Risadaria, será o responsável pelo palco destinado aos stand-up comedy e outras modalidades de humor. Com isso, ele, por meio de sua produtora, recebe o valor global da produção do palco e repassa para os artistas participantes. Neste ano, alguns dos escalados são Rodrigo Capella, Rudy Landucci, Rogério Morgado, Robson Nunes e Victor Sarro. O palco estará localizado na esquina da Rua Marconi com Barão de Itapetininga.

1. Mostra Teatro Independente – R$ 195 mil

A Mostra é praticamente uma Virada Cultural paralela, que acontece em teatros e espaços públicos durante as 24 horas do evento. Para a organização e a produção da Mostra, a Mizi Produções arrecada o valor global de R$ 195 mil da prefeitura e se torna, nesse sentido, o maior cachê do evento. 34 palcos recebem cerca de 40 espetáculos durante a Virada.

 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
2
Buá Buá
Naiara Azevedo
3
Ainda Sou Tão Seu
Felipe Araújo
4
Mais Amor E Menos Drama
Henrique & Juliano
5
Prefiro Nem Perguntar
Diego & Victor Hugo
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

14 maiores cachês da Virada Cultural de SP 2018

Edição acontece neste fim de semana (19 e 20) em São Paulo

por Redação em 18/05/2018

No próximo final de semana (19 e 20/5), a Virada Cultural de São Paulo ganha mais uma edição. Segundo a prefeitura, o orçamento destinado ao evento é de R$ 13 milhões, distribuídos em estrutura e produção dos espetáculos.

Como mandam as regras, todos os cachês são publicados no Diário Oficial no formato de valor global, ou seja, as cifras anunciadas cobrem todos os custos do artista para a realização da apresentação contratada. Se o valor global de um show é de R$ 100 mil, por exemplo, não quer dizer que o artista fique com tudo – ele tem que pagar a viagem, a estadia e tudo o que for preciso, em termos de produção, para que o espetáculo aconteça.

8. São Paulo Indiscreta – R$ 90 mil

A intervenção cênica terá música, iluminação e dança com seis atores/dançarinos no edifício Santa Mônica, na Av. Ipiranga, 162. O elenco interpreta pequenas histórias do cotidiano da cidade e é assistido pelo público de fora do prédio, por meio das janelas de dois andares. São seis apresentações: 19h, 21h, 22h e 23h do sábado e 1h e 2h da madrugada de domingo.

8. Priscilla – R$ 90 mil

O palco Queer, na Praça da República, vai reproduzir a estética LGBT de várias formas durante a Virada. No domingo, 18h, um espetáculo chamado “Priscilla” encerra as atrações com apresentação de Aretuza Lovi, Gloria Groove, Derrick Barry e Jujubee, quatro nomes novos e relevantes da cena.

8. Os Paralamas do Sucesso – R$ 90 mil

O palco montado em frente ao clássico edifíco Copan, na Avenida Ipiranga, pretende contar a história do rock nacional com diversos nomes de peso. Os Paralamas fecham o palco com show no domingo, 16h30.

7. Legião Urbana – R$ 100 mil

Depois da disputa judicial com o herdeiro da obra de Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá voltam a usar o nome Legião Urbana em espetáculos e tocam na Virada Cultural acompanhados do cantor André Frateschi com o show Legião Urbana XXX anos. A apresentação está marcada para encerrar o palco Boulevard São João às 16h30 do domingo.

7. Luzes – R$ 100 mil

Nem só de música vive a Virada Cultural. As apresentações artísticas envolvendo luzes em fachadas de prédios históricos já se tornaram um clássico das noites viradas paulistanas. Nessa edição, o ADA – Ateliê Digital Analógico será responsável por duas intervenções de luzes: no sábado, 18h, na Avenida Ipiranga, 150, e das 18h à meia-noite no Parque da Juventude, zona norte de São Paulo.

7. Caetano Veloso – R$ 100 mil

A Rua da Consolação vai receber diversos cortejos que farão seus trajetos até a rua Xavier de Toledo. Caetano participa do Tarado Ni Você, famoso bloco carnavalesco, que se concentra às 20h e sai às 21h (no sábado).

7. Jota Quest – R$ 100 mil

Os mineiros do Jota Quest se apresentam na série chamada “Domingo no Parque”, na Chácara do Jockey, às 16h.

6. Nação Zumbi – R$ 110 mil

Os pernambucanos se desdobram e fazem duas apresentações na Virada. A primeira será no sábado, 20h, na Chácara do Jockey. A segunda será especial, dentro da série em que artistas tocam algum de seus discos na íntegra: Nação Zumbi toca o Afrociberdelia, seu segundo álbum, de 1996, no Boulevard São João no domingo, 13h30.

6. Baby do Brasil – R$ 110 mil

O cortejo “Agora é que são elas”, que vai da Consolação até a Xavier de Toledo, vai receber a cantora Baby do Brasil. Pitty e Tulipa Ruiz também participam da apresentação. A concentração está prevista para 17h e a saída para 18h.

5. Palco Hip-Hop – R$ 147,7 mil

A estação São Bento do metrô assistiu o nascimento da cultura hip-hop no Brasil – era lá que os primeiros MCs b-boys se reuniam para rimar e fazer seus passos de dança e, depois, se apresentar nos bailes. Dali saíram diversos grupos, como Thaíde e DJ Hum e Racionais MC’s. A Virada faz uma homenagem à cultura com um palco onde tudo começou, na São Bento, com apresentações de novo e já conhecidos nomes. A Naja Produções, responsável pelo palco, escalou diversos artistas e encerra o palco com Doctor MCs e Filosofia de Rua, dois grandes nomes do rap nacional.

4. Palco Bossa Nova – R$ 160 mil

Para comemorar os 60 anos de um dos movimentos artísticos mais importantes do país, a Virada vai sediar um palco destinado à bossa nova. Para isso, a produtora Cultura e Convenções vai receber o valor global para a produção do palco e realizar shows de artistas como Virgínia Rosa, Blubell, Toquinho, Claudya e Jane Duboc, entre outras vozes. No final, todos os artistas se reúnem para um tributo a Johnny Alf. As apresentações serão na Sala Olido, na Av. São João em frente ao largo do Paissandu.

3. Virada Oriental – R$ 165 mil

A rua 24 de maio recebe a Virada Oriental, destinada à culturas populares japonesas, chinesas e coreanas, em sua maioria. A produtora Intervisual organiza o palco, que tem deste a tradicional Dança do Dragão e Leão Chinês (que abre as atividades) até apresentações de k-pop, a febre da música e cultura jovem da Coreia do Sul.

2. Palco Humor/Risadaria – R$ 188 mil

O apresentador e humorista Paulo Bonfá, fundador do Risadaria, será o responsável pelo palco destinado aos stand-up comedy e outras modalidades de humor. Com isso, ele, por meio de sua produtora, recebe o valor global da produção do palco e repassa para os artistas participantes. Neste ano, alguns dos escalados são Rodrigo Capella, Rudy Landucci, Rogério Morgado, Robson Nunes e Victor Sarro. O palco estará localizado na esquina da Rua Marconi com Barão de Itapetininga.

1. Mostra Teatro Independente – R$ 195 mil

A Mostra é praticamente uma Virada Cultural paralela, que acontece em teatros e espaços públicos durante as 24 horas do evento. Para a organização e a produção da Mostra, a Mizi Produções arrecada o valor global de R$ 195 mil da prefeitura e se torna, nesse sentido, o maior cachê do evento. 34 palcos recebem cerca de 40 espetáculos durante a Virada.