NOTÍCIAS

5 coisas para saber antes de ouvir o novo álbum de JAY-Z

Rapper lançou seu novo projeto, 4:44, exclusivamente no TIDAL

por Redação em 30/06/2017

Se você está lendo isso, provavelmente sabe que JAY-Z botou fogo nas redes sociais. Depois de lançar seu disco 4:44 exclusivamente no TIDAL na madrugada desta sexta-feira (30/06), ele recapturou a mágica que firmou seu legado no hip hop.

O álbum, com 10 faixas, mostra o rapper de 47 anos em sua melhor forma como compositor. Não apenas ele expõe o julgamento e tribulações que quase destruíram seu casamento, mas ele ilustra a forma com que pessoas negras sofrem no país comandado por Donald Trump.

Veja as cinco coisas que aprendemos ao ouvir o disco de retorno de JAY-Z pela primeira vez:

  1. Ele está muito vulnerável

Depois de ver a mídia vasculhar sua vida após a infidelidade e seu envolvimento no esfaqueamento de Lance “Un” Rivera, em 1999, Hov assume a culpa por degolar o homem que ele mais teme: ele mesmo. Os esqueletos que estavam acumulando pó no armário multimilionário do rapper são finalmente expostos em faixas como “Kill Jay Z” e “Smile”. Em “4:44”, você conhece um homem desesperado para reconquistar sua melhor amiga e esposa, Beyoncé. Você ouve o remorso e o arrependimento nas ações dele após se envolver com “Becky with the good hair”. Pela primeira vez, a armadura do super-homem não é impenetrável. O que é ainda mais incrível? O rapper está confortável em expor suas imperfeições que tanto o assustavam anteriormente.

  1. Ele está em uma missão de empoderar negros

Conhecido por ostentar sua pompa, Hov dá um tempo no seu sucesso financeiro em 4:44. Com o estado atual dos Estados Unidos, ele tenta trazer sabedoria para seus ouvintes. Felizmente, em 4:44, ele não está se gabando.

  1. Ele ainda sabe que é um puta compositor

Apesar de Hov despejar suas emoções no novo disco, ele não permite que seus traidores se beneficiem de sua vulnerabilidade para comê-lo vivo. Seu último projeto foi lançado em 2013, mas suas composições e sua entrega permanecem imaculadas. Em “Family Feud”, ele acaba com seus haters com a melhor arma de todas – sua caneta.

  1. No I.D. foi o melhor produtor para encabeçar o 4:44

Hov já provou que pode brilhar como produtor, mas os instrumentais de No I.D. permitem que a ginga e a franqueza de JAY-Z se destaquem.

  1. Hov odeia a nova era do rap

Se você é da era de se promover no Instagram ou de fazer rap murmurando, JAY-Z estava falando com você neste álbum. Ele nunca foi um adepto das redes sociais, de fazer números no Twitter. Talvez seja por isso que ele se mantenha relevante 21 anos depois.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

5 coisas para saber antes de ouvir o novo álbum de JAY-Z

Rapper lançou seu novo projeto, 4:44, exclusivamente no TIDAL

por Redação em 30/06/2017

Se você está lendo isso, provavelmente sabe que JAY-Z botou fogo nas redes sociais. Depois de lançar seu disco 4:44 exclusivamente no TIDAL na madrugada desta sexta-feira (30/06), ele recapturou a mágica que firmou seu legado no hip hop.

O álbum, com 10 faixas, mostra o rapper de 47 anos em sua melhor forma como compositor. Não apenas ele expõe o julgamento e tribulações que quase destruíram seu casamento, mas ele ilustra a forma com que pessoas negras sofrem no país comandado por Donald Trump.

Veja as cinco coisas que aprendemos ao ouvir o disco de retorno de JAY-Z pela primeira vez:

  1. Ele está muito vulnerável

Depois de ver a mídia vasculhar sua vida após a infidelidade e seu envolvimento no esfaqueamento de Lance “Un” Rivera, em 1999, Hov assume a culpa por degolar o homem que ele mais teme: ele mesmo. Os esqueletos que estavam acumulando pó no armário multimilionário do rapper são finalmente expostos em faixas como “Kill Jay Z” e “Smile”. Em “4:44”, você conhece um homem desesperado para reconquistar sua melhor amiga e esposa, Beyoncé. Você ouve o remorso e o arrependimento nas ações dele após se envolver com “Becky with the good hair”. Pela primeira vez, a armadura do super-homem não é impenetrável. O que é ainda mais incrível? O rapper está confortável em expor suas imperfeições que tanto o assustavam anteriormente.

  1. Ele está em uma missão de empoderar negros

Conhecido por ostentar sua pompa, Hov dá um tempo no seu sucesso financeiro em 4:44. Com o estado atual dos Estados Unidos, ele tenta trazer sabedoria para seus ouvintes. Felizmente, em 4:44, ele não está se gabando.

  1. Ele ainda sabe que é um puta compositor

Apesar de Hov despejar suas emoções no novo disco, ele não permite que seus traidores se beneficiem de sua vulnerabilidade para comê-lo vivo. Seu último projeto foi lançado em 2013, mas suas composições e sua entrega permanecem imaculadas. Em “Family Feud”, ele acaba com seus haters com a melhor arma de todas – sua caneta.

  1. No I.D. foi o melhor produtor para encabeçar o 4:44

Hov já provou que pode brilhar como produtor, mas os instrumentais de No I.D. permitem que a ginga e a franqueza de JAY-Z se destaquem.

  1. Hov odeia a nova era do rap

Se você é da era de se promover no Instagram ou de fazer rap murmurando, JAY-Z estava falando com você neste álbum. Ele nunca foi um adepto das redes sociais, de fazer números no Twitter. Talvez seja por isso que ele se mantenha relevante 21 anos depois.