NOTÍCIAS

5 momentos inesquecíveis de Almir Guineto

Sambista, que morreu nessa sexta-feira, é parte importante na história do gênero e já teve música utilizada para "acordar" robô da NASA em marte

por Marcos Lauro em 05/05/2017

&

lt;p>O sambista Almir Guineto morreu nessa sexta-feira (05/05), aos 70 anos. O músico estava internado no Hospital Clementino Fraga Filho, no Rio de Janeiro, para tratar de problemas renais e da diabetes.</p>
<p><strong><a href="http://billboard.uol.com.br/noticias/um-show-inusitado-almir-guineto-na-santa-casa-de-sao-paulo/" target="_blank">UM SHOW INUSITADO: ALMIR GUINETO NA SANTA CASA DE SÃO PAULO</a></strong></p>
<p>Nascido no Morro do Salgueiro, Almir Guineto foi um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal e músico extremamente identificado com a figura do sambista carioca. O samba deve a ele a introdução do banjo, com braço de cavaquinho, no gênero, o que se tornou padrão em todo grupo de pagode que siga a linha clássica do Fundo do Quintal.</p>
<p>Abaixo, você ouve cinco momentos inesquecível de Almir Guineto na história do samba brasileiro:</p>
<p>“Pedaço de Ilusão” – Beth Carvalho<br />
Beth Carvalho é conhecida como madrinha de dezenas de sambistas. E com Almir Guineto não foi diferente. Beth sempre contava com as composições de Almir Guineto em seus discos. Em <em>Na Fonte</em>, de 1981, temos Almir Guineto tocando banjo na faixa “Pedaço de Ilusão”. Essa é a sonoridade adotada, até hoje, por grupos de pagode por todo o país – especialmente os grupos criados na década de 1990, que beberam direto dessa fonte.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A2awjHGrHpAHCk4ypkxNeju" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Camarão Que Dorme A Onda Leva” – Beth Carvalho e Zeca Pagodinho<br />
Mais uma vez Beth Carvalho. No álbum <em>Suor no Rosto</em>, de 1983, Beth recebe o ainda jovem Zeca Pagodinho para cantar a composição dele, Arlindo Cruz e Beto Sem Braço. No banjo, mais uma vez, Almir Guineto.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A5a8O0CAraAuR4iLZXg0s46" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Caxambu” – Almir Guineto<br />
Em 1986, Almir Guineto já era um sambista respeitado e tinha conseguido alguns sucessos comerciais. Mas sua carreira solo explodiu mesmo com o álbum homônimo, de 1986. A música que abre o álbum é “Caxambu”, obrigatória em toda roda de samba.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A1sVMtMpWIAFtcF2vTPP4YN" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Conselho” – Almir Guineto<br />
Se “Caxambu” abre o lado A do vinil, “Conselho” abre o lado B. Um samba sobre amor, auto-estima... daqueles de se cantar com toda a força no karaokê ou no meio da roda de samba.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A432lLXJbE89oUGD6CQU89x" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Coisinha Do Pai” – Elba Ramalho e Jair Rodrigues<br />
Em 1997, “Coisinha do Pai”, composição de Almir Guineto, Jorge Aragão e Luis Carlos, foi utilizada pela NASA para acionar o robô Sojouner para mais um dia de trabalho na superfície de Marte. A responsável pela escolha foi a engenheira espaciel Jacqueline Lyra, brasileira, responsável pelo controle de temperatura do robô. A gravação utilizada foi a com Elba e Jair Rodrigues, retirada do CD e DVD <em>Casa de Samba</em>, com clássicos do gênero em novas interpretações.</p>
<p><iframe src="https://www.youtube.com/embed/rrrgNTzFY48" width="853" height="480" frameborder="0" allowfullscreen="allowfullscreen"></iframe></p>

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
4
Dona Maria (Part. Jorge)
Thiago Brava
5
Não Era Você
João Bosco & Vinicius
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

5 momentos inesquecíveis de Almir Guineto

Sambista, que morreu nessa sexta-feira, é parte importante na história do gênero e já teve música utilizada para "acordar" robô da NASA em marte

por Marcos Lauro em 05/05/2017

&

lt;p>O sambista Almir Guineto morreu nessa sexta-feira (05/05), aos 70 anos. O músico estava internado no Hospital Clementino Fraga Filho, no Rio de Janeiro, para tratar de problemas renais e da diabetes.</p>
<p><strong><a href="http://billboard.uol.com.br/noticias/um-show-inusitado-almir-guineto-na-santa-casa-de-sao-paulo/" target="_blank">UM SHOW INUSITADO: ALMIR GUINETO NA SANTA CASA DE SÃO PAULO</a></strong></p>
<p>Nascido no Morro do Salgueiro, Almir Guineto foi um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal e músico extremamente identificado com a figura do sambista carioca. O samba deve a ele a introdução do banjo, com braço de cavaquinho, no gênero, o que se tornou padrão em todo grupo de pagode que siga a linha clássica do Fundo do Quintal.</p>
<p>Abaixo, você ouve cinco momentos inesquecível de Almir Guineto na história do samba brasileiro:</p>
<p>“Pedaço de Ilusão” – Beth Carvalho<br />
Beth Carvalho é conhecida como madrinha de dezenas de sambistas. E com Almir Guineto não foi diferente. Beth sempre contava com as composições de Almir Guineto em seus discos. Em <em>Na Fonte</em>, de 1981, temos Almir Guineto tocando banjo na faixa “Pedaço de Ilusão”. Essa é a sonoridade adotada, até hoje, por grupos de pagode por todo o país – especialmente os grupos criados na década de 1990, que beberam direto dessa fonte.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A2awjHGrHpAHCk4ypkxNeju" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Camarão Que Dorme A Onda Leva” – Beth Carvalho e Zeca Pagodinho<br />
Mais uma vez Beth Carvalho. No álbum <em>Suor no Rosto</em>, de 1983, Beth recebe o ainda jovem Zeca Pagodinho para cantar a composição dele, Arlindo Cruz e Beto Sem Braço. No banjo, mais uma vez, Almir Guineto.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A5a8O0CAraAuR4iLZXg0s46" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Caxambu” – Almir Guineto<br />
Em 1986, Almir Guineto já era um sambista respeitado e tinha conseguido alguns sucessos comerciais. Mas sua carreira solo explodiu mesmo com o álbum homônimo, de 1986. A música que abre o álbum é “Caxambu”, obrigatória em toda roda de samba.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A1sVMtMpWIAFtcF2vTPP4YN" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Conselho” – Almir Guineto<br />
Se “Caxambu” abre o lado A do vinil, “Conselho” abre o lado B. Um samba sobre amor, auto-estima... daqueles de se cantar com toda a força no karaokê ou no meio da roda de samba.</p>
<p><iframe src="https://embed.spotify.com/?uri=spotify%3Atrack%3A432lLXJbE89oUGD6CQU89x" width="300" height="380" frameborder="0"></iframe></p>
<p>“Coisinha Do Pai” – Elba Ramalho e Jair Rodrigues<br />
Em 1997, “Coisinha do Pai”, composição de Almir Guineto, Jorge Aragão e Luis Carlos, foi utilizada pela NASA para acionar o robô Sojouner para mais um dia de trabalho na superfície de Marte. A responsável pela escolha foi a engenheira espaciel Jacqueline Lyra, brasileira, responsável pelo controle de temperatura do robô. A gravação utilizada foi a com Elba e Jair Rodrigues, retirada do CD e DVD <em>Casa de Samba</em>, com clássicos do gênero em novas interpretações.</p>
<p><iframe src="https://www.youtube.com/embed/rrrgNTzFY48" width="853" height="480" frameborder="0" allowfullscreen="allowfullscreen"></iframe></p>