NOTÍCIAS

9 artistas que influenciaram Renato Russo

Havia muito mais referências na Legião Urbana do que as conparações com os Smiths

Você já deve ter ouvido que Renato Russo imitava o Morrisey. De fato, se analisar o perfil de engajamento social e exagero romântico dos Smiths e somar às danças excêntricas do vocalista, pode-se fazer a comparação. O próprio líder da Legião Urbana já falou sobre as semelhanças, as quais ele jurava não serem propositais.

COMO ERA O MUNDO QUANDO RENATO RUSSO MORREU

Acontece que o grupo inglês não era uma das maiores influências do roqueiro brasileiro. Há uma série de bandas e artistas internacionais em que ele se espalhava na hora de compor.

12 COVERS DA LEGIÃO URBANA

Suas influências eram das mais variadas: de Elvis e Emmerson, Lake and Power na infância, punk e pós-punk na adolescência a blues e até pop na idade adulta.

15 MÚSICAS DA LEGIÃO URBANA QUE TALVEZ VOCÊ NÃO CONHEÇA, MAS DEVERIA

Veja na galeria de fotos a seguir nove artistas que influenciaram Renato Russo:

Sex Pistols

Embora nunca tenha ficado claro nas suas músicas, Sex Pistols foi uma das bandas mais determinantes no início da carreira de Renato Russo. Adolescente, era apaixonado por Sid Vicious e sua atitude rebelde. Foi o gosto por roupas rasgadas e pseudoanarquia que reuniu parte do grupo que daria origem ao Aborto Elétrico, sua primeira banda.

Quando Vicious morreu, em decorrência de uma overdose de heroína em fevereiro de 1979, Renato Russo enviou uma carta, em inglês, ao jornal Melody Maker, sob o pseudônimo Eric Russel. "Nada me atingiu do jeito que a morte do Sid me atingiu. Chorei a noite toda", dizia o texto.

Wiki

The Clash

Pistols preenchiam o quesito estético, mas eram os punks do Clash que aproximavam-se dos ideais políticos do jovem Renato Russo. A forte posição da banda inglesa contra as autoridades, em especial quando se tratava de desigualdade social, influenciaram o adolescente de Brasília. Basta ouvir "White Riot", de The Clash (1977), e procurar as referências em "Veraneio Vascaína" e "Mais do Mesmo".

Reprodução

The Ramones

Se na atitude queria chegar perto de Pistols e Clash, no começo da carreira, quando nenhum dos jovens de Brasília sabia tocar direito, Ramones era a preferência dos ensaios. "Tinham Saints, Damned, Buzzcocks, mas o mais fácil de tocar era Ramones: uma tarde inteira tocando 'Now I Wanna Sniff Some Glue'", contou em 1989.

Divulgação

Joni Mitchell

Renato Russo descobriu a compositora canadense na adolescência, quando começou a comprar os próprios discos com o dinheiro que ganhava dando aulas de inglês. Foi tiro e queda: nela, ele buscou a melancolia e a aptidão para exageros emocionais. No Acústico MTV, gravado em 1992, mas lançado em 1999, a Legião gravou "The Last Time I Saw Richard", de Blue (1971).

Reprodução

Bob Dylan

Nessa época, Renato também encontrou Dylan. Ele se encantou primeiro com a poesia do americano, quem considerava o maior compositor de todos os tempos, para depois se espelhar no modo autêntico e difícil do cantor. "Eu gosto de falar como Bob Dylan", disse em uma entrevista em 1996. "É porque, na época, as pessoas eram completamente idiotas, mas eu já li entrevistas magníficas com Bob Dylan, quando ele percebeu que podia pelo menos abrir o jogo e falar um pouco de verdade".

No seu primeiro disco solo, The Stonewall Celebration Concert (1994), ele gravou uma versão adaptada de "If You See Him, Say Hello", do clássico Blood on the Tracks (1975), ao mudar a letra para o pronome masculino "him". Ficou "se você o ver, diga oi", na tradução livre.

Divulgação

Jim Morrison

Legião Urbana nunca soou como Doors. E, fora o problema com álcool, Renato Russo não tinha muito a ver com Jim Morrison. Mas foi o músico americano que inspirou suas danças peculiares no palco, não o líder dos Smiths, como costumam apontar. "A minha dança é a dança do Jim Morrison. Só que eu sou desajeitado, aí fica parecendo o Morrisey", relatou o roqueiro em uma entrevista em 1994.

Divulgação

The Jesus and Mary Chain

Todas as semelhanças entre a banda pós-punk inglesa e a contemporânea Legião Urbana não são mera coincidência. Renato Russo era viciado na dupla dos irmãos Reid, que nunca foi muito popular no Brasil. Tanto que também dedicou um espaço a eles no Acústico MTV, com uma versão de "Head On".

Reprodução

Public Image Ltd. (PiL)

Ao lado de Cure e Gang of Four, PiL é outra banda inglesa pós-punk que influenciou diretamente a carreira de Renato Russo. O brasileiro citou mais de uma vez que a banda fundada pelo vocalista John Lydon depois do fim dos Pistols era uma de suas favoritas. No Acústico MTV, Legião tocou "Rise" (de Album, 1986) em um pot-pourri com "On the Way Home", de Neil Young nos tempos do Buffalo Springfield.

Kevin Strada/Divulgação

The Beatles

Mas, de longe, a maior influência de Renato Russo era Beatles, banda que ele dizia escutar desde os oito anos de idade. Os rapazes de Liverpool eram citados em quase todas as entrevistas. "Quando eles acabaram, eu queria morrer. Achava que era o maior fã do mundo", contou em 1995. "É a maior banda do universo. Do Please, Please Me ao Let It Be, todos os discos são bons".

Divulgação

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

9 artistas que influenciaram Renato Russo

Havia muito mais referências na Legião Urbana do que as conparações com os Smiths

por Lucas Borges Teixeira em 10/10/2016

Você já deve ter ouvido que Renato Russo imitava o Morrisey. De fato, se analisar o perfil de engajamento social e exagero romântico dos Smiths e somar às danças excêntricas do vocalista, pode-se fazer a comparação. O próprio líder da Legião Urbana já falou sobre as semelhanças, as quais ele jurava não serem propositais.

COMO ERA O MUNDO QUANDO RENATO RUSSO MORREU

Acontece que o grupo inglês não era uma das maiores influências do roqueiro brasileiro. Há uma série de bandas e artistas internacionais em que ele se espalhava na hora de compor.

12 COVERS DA LEGIÃO URBANA

Suas influências eram das mais variadas: de Elvis e Emmerson, Lake and Power na infância, punk e pós-punk na adolescência a blues e até pop na idade adulta.

15 MÚSICAS DA LEGIÃO URBANA QUE TALVEZ VOCÊ NÃO CONHEÇA, MAS DEVERIA

Veja na galeria de fotos a seguir nove artistas que influenciaram Renato Russo:

Sex Pistols

Embora nunca tenha ficado claro nas suas músicas, Sex Pistols foi uma das bandas mais determinantes no início da carreira de Renato Russo. Adolescente, era apaixonado por Sid Vicious e sua atitude rebelde. Foi o gosto por roupas rasgadas e pseudoanarquia que reuniu parte do grupo que daria origem ao Aborto Elétrico, sua primeira banda.

Quando Vicious morreu, em decorrência de uma overdose de heroína em fevereiro de 1979, Renato Russo enviou uma carta, em inglês, ao jornal Melody Maker, sob o pseudônimo Eric Russel. "Nada me atingiu do jeito que a morte do Sid me atingiu. Chorei a noite toda", dizia o texto.

Wiki

The Clash

Pistols preenchiam o quesito estético, mas eram os punks do Clash que aproximavam-se dos ideais políticos do jovem Renato Russo. A forte posição da banda inglesa contra as autoridades, em especial quando se tratava de desigualdade social, influenciaram o adolescente de Brasília. Basta ouvir "White Riot", de The Clash (1977), e procurar as referências em "Veraneio Vascaína" e "Mais do Mesmo".

Reprodução

The Ramones

Se na atitude queria chegar perto de Pistols e Clash, no começo da carreira, quando nenhum dos jovens de Brasília sabia tocar direito, Ramones era a preferência dos ensaios. "Tinham Saints, Damned, Buzzcocks, mas o mais fácil de tocar era Ramones: uma tarde inteira tocando 'Now I Wanna Sniff Some Glue'", contou em 1989.

Divulgação

Joni Mitchell

Renato Russo descobriu a compositora canadense na adolescência, quando começou a comprar os próprios discos com o dinheiro que ganhava dando aulas de inglês. Foi tiro e queda: nela, ele buscou a melancolia e a aptidão para exageros emocionais. No Acústico MTV, gravado em 1992, mas lançado em 1999, a Legião gravou "The Last Time I Saw Richard", de Blue (1971).

Reprodução

Bob Dylan

Nessa época, Renato também encontrou Dylan. Ele se encantou primeiro com a poesia do americano, quem considerava o maior compositor de todos os tempos, para depois se espelhar no modo autêntico e difícil do cantor. "Eu gosto de falar como Bob Dylan", disse em uma entrevista em 1996. "É porque, na época, as pessoas eram completamente idiotas, mas eu já li entrevistas magníficas com Bob Dylan, quando ele percebeu que podia pelo menos abrir o jogo e falar um pouco de verdade".

No seu primeiro disco solo, The Stonewall Celebration Concert (1994), ele gravou uma versão adaptada de "If You See Him, Say Hello", do clássico Blood on the Tracks (1975), ao mudar a letra para o pronome masculino "him". Ficou "se você o ver, diga oi", na tradução livre.

Divulgação

Jim Morrison

Legião Urbana nunca soou como Doors. E, fora o problema com álcool, Renato Russo não tinha muito a ver com Jim Morrison. Mas foi o músico americano que inspirou suas danças peculiares no palco, não o líder dos Smiths, como costumam apontar. "A minha dança é a dança do Jim Morrison. Só que eu sou desajeitado, aí fica parecendo o Morrisey", relatou o roqueiro em uma entrevista em 1994.

Divulgação

The Jesus and Mary Chain

Todas as semelhanças entre a banda pós-punk inglesa e a contemporânea Legião Urbana não são mera coincidência. Renato Russo era viciado na dupla dos irmãos Reid, que nunca foi muito popular no Brasil. Tanto que também dedicou um espaço a eles no Acústico MTV, com uma versão de "Head On".

Reprodução

Public Image Ltd. (PiL)

Ao lado de Cure e Gang of Four, PiL é outra banda inglesa pós-punk que influenciou diretamente a carreira de Renato Russo. O brasileiro citou mais de uma vez que a banda fundada pelo vocalista John Lydon depois do fim dos Pistols era uma de suas favoritas. No Acústico MTV, Legião tocou "Rise" (de Album, 1986) em um pot-pourri com "On the Way Home", de Neil Young nos tempos do Buffalo Springfield.

Kevin Strada/Divulgação

The Beatles

Mas, de longe, a maior influência de Renato Russo era Beatles, banda que ele dizia escutar desde os oito anos de idade. Os rapazes de Liverpool eram citados em quase todas as entrevistas. "Quando eles acabaram, eu queria morrer. Achava que era o maior fã do mundo", contou em 1995. "É a maior banda do universo. Do Please, Please Me ao Let It Be, todos os discos são bons".

Divulgação