NOTÍCIAS

Autorretrato

por em 09/04/2013
M
eio nordestina, meio árabe Neta de Zé Dantas, um dos principais parceiros de Luiz Gonzaga, Marina Elali lança DVD em homenagem ao avô e ao Rei do Baião
Você lançou um DVD com convidados, em homenagem a Luiz Gonzaga e ao seu avô, Zé Dantas, mas seu repertório é variado. O que você gosta de ouvir? Eu sou nordestina, nasci em Natal (RN), e o meu pai nasceu na Palestina. Então sempre ouvi muita MPB, música tradicional nordestina, Luiz Gonzaga, e também muita música árabe. Por causa do meu pai, conheci música americana, pop europeu... Isso me deixou supereclética. Quando eu era criança, adorava balé, então ouvia até música clássica. Mas agora eu ando em uma fase mais roqueira. Estou alucinada pelo último disco do Thirty Seconds to Mars, e tenho ouvido bastante Linkin Park. Como fiz faculdade de música nos EUA, fiquei quatro anos convivendo com estrangeiros. Aí ouvi música japonesa, latina... Ouço de tudo um pouco, mas o que eu mais me identifico é música pop. Pelo visto, você conhece diversos lugares. Qual o mais interessante? Já não moro em Natal há muitos anos, mas tenho um carinho muito grande pela cidade. Hoje, moro no Rio, que amo. Fora do Brasil, tenho um carinho enorme por Boston. Conheci a terra do meu pai, mas o Egito me marcou muito. Quando cheguei ao Cairo, fiquei muito impressionada: as pirâmides, os museus... É a história da humanidade. Nordestina com pai palestino: se houve mistura musical, acredito que houve na culinária também. Qual o seu prato preferido? Tem dia que eu acordo nordestina, aí eu quero tapioca com água de coco e queijo manteiga. E tem dia que eu acordo bem árabe: aí é coalhada, homus, esfiha. Ontem saí da academia, e não teve jeito... Você gosta de malhar? Ah, eu voltei com todo o gás, com coreógrafo e tudo. Estou me preparando para o novo trabalho. Vai ter videoclipe... Ele vai ser o mais pop e autoral dos meus discos, então vou investir muito na dança. É uma das coisas que eu amo também: dançar. Mas cantar vem na frente. E quando você não está gravando, compondo, o que gosta de fazer?  Li uma entrevista com um psicólogo que dizia que artista não tem muito hobby. Eu me identifiquei. Não tenho nenhum hobby. Eu amo música, fico o tempo todo ouvindo, tocando piano. Gosto de estar com as pessoas que eu amo. Também gosto muito de comer, não vou mentir... Gosto de ir a restaurantes exóticos e entrar em contato com a natureza, é o que me faz bem como compositora.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Autorretrato

por em 09/04/2013
M
eio nordestina, meio árabe Neta de Zé Dantas, um dos principais parceiros de Luiz Gonzaga, Marina Elali lança DVD em homenagem ao avô e ao Rei do Baião
Você lançou um DVD com convidados, em homenagem a Luiz Gonzaga e ao seu avô, Zé Dantas, mas seu repertório é variado. O que você gosta de ouvir? Eu sou nordestina, nasci em Natal (RN), e o meu pai nasceu na Palestina. Então sempre ouvi muita MPB, música tradicional nordestina, Luiz Gonzaga, e também muita música árabe. Por causa do meu pai, conheci música americana, pop europeu... Isso me deixou supereclética. Quando eu era criança, adorava balé, então ouvia até música clássica. Mas agora eu ando em uma fase mais roqueira. Estou alucinada pelo último disco do Thirty Seconds to Mars, e tenho ouvido bastante Linkin Park. Como fiz faculdade de música nos EUA, fiquei quatro anos convivendo com estrangeiros. Aí ouvi música japonesa, latina... Ouço de tudo um pouco, mas o que eu mais me identifico é música pop. Pelo visto, você conhece diversos lugares. Qual o mais interessante? Já não moro em Natal há muitos anos, mas tenho um carinho muito grande pela cidade. Hoje, moro no Rio, que amo. Fora do Brasil, tenho um carinho enorme por Boston. Conheci a terra do meu pai, mas o Egito me marcou muito. Quando cheguei ao Cairo, fiquei muito impressionada: as pirâmides, os museus... É a história da humanidade. Nordestina com pai palestino: se houve mistura musical, acredito que houve na culinária também. Qual o seu prato preferido? Tem dia que eu acordo nordestina, aí eu quero tapioca com água de coco e queijo manteiga. E tem dia que eu acordo bem árabe: aí é coalhada, homus, esfiha. Ontem saí da academia, e não teve jeito... Você gosta de malhar? Ah, eu voltei com todo o gás, com coreógrafo e tudo. Estou me preparando para o novo trabalho. Vai ter videoclipe... Ele vai ser o mais pop e autoral dos meus discos, então vou investir muito na dança. É uma das coisas que eu amo também: dançar. Mas cantar vem na frente. E quando você não está gravando, compondo, o que gosta de fazer?  Li uma entrevista com um psicólogo que dizia que artista não tem muito hobby. Eu me identifiquei. Não tenho nenhum hobby. Eu amo música, fico o tempo todo ouvindo, tocando piano. Gosto de estar com as pessoas que eu amo. Também gosto muito de comer, não vou mentir... Gosto de ir a restaurantes exóticos e entrar em contato com a natureza, é o que me faz bem como compositora.