NOTÍCIAS

Banda Eddie lança disco em São Paulo

por em 24/06/2015

Por Bruna Gonçalves Serur

A banda Eddie fará dois shows no SESC Pompeia, em São Paulo, nos dias 10 e 11 de julho, para lançar seu sexto álbum autoral, Morte e Vida, lançado em maio. O disco do grupo pernambucano, formado pelo vocalista e guitarrista Fábio Trummer, Alexandre Barreto (voz e percussão), Roberto Gonçalves Meira (baixo), Ricardo Gonçalves Meira (bateria), André Guedes Alves de Oliveira (teclados, trompete e samples), teve as participações de KSB, Jam da Silva, João do Cello, Karina Buhr e Erasto Vasconcelos.

Além das referências já conhecidas do trabalho, como o frevo, samba, rock e reggae, a banda buscou explorar novos territórios, como uma mistura do frevo canção com o bolero. Em março de 2014, Trummer começou a compor as músicas e, no final de novembro, começaram a ensaiar em São Paulo. Os ensaios seguiram em Olinda no mês de dezembro e, no dia 5 de janeiro, começaram as gravações de Morte e Vida. A Billboard Brasil conversou com frontman.

Como foi o processo de produção de Morte e Vida e a gravação em Olinda?

Olinda veio ter estúdios de gravação há pouco tempo. O estúdio em que gravamos, no centro de Olinda, é da primeira geração e é da produtora da gente. Gravamos no verão, para ficarmos perto da família, da minha mãe. Ensaiamos por uma semana e gravamos tudo em um mês e uma semana. Fazíamos tudo a pé, andando de chinelo. É um lugar em que a gente tem mais tranquilidade.

Como o som do Eddie mudou nesses?

Eu já ouvia bossa nova a vida inteira. E rock também. É uma condição da idade. Quando a gente tem 20 anos não tem noção de mundo. Você amadurece e acha a própria música. Os cinco músicos são autodidatas, cada um tem a sua música, o seu jeito. Eddie é o resultado dessa equação. A gente tem uma cultura muito rica e somos admiradores de uma cultura universal. Então, é uma brincadeira muito boa, pensar músicas a partir dessas diferenças culturais, e tentar fazer uma música própria.

Quais os próximos projetos?

Mais um [álbum] da Trummer SSA [projeto paralelo com os músicos Dieguito Reis e Luca Bori, da banda Vivendo do Ócio], que deve sair em 2016 e outro da Eddie para 2017, para manter o padrão de um disco por ano. Eu já tenho algumas coisas na cabeça. Quero gravar este ano ainda.

Ouça Morte e Vida:

https://www.youtube.com/watch?v=U5b_m-AnGAg
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Banda Eddie lança disco em São Paulo

por em 24/06/2015

Por Bruna Gonçalves Serur

A banda Eddie fará dois shows no SESC Pompeia, em São Paulo, nos dias 10 e 11 de julho, para lançar seu sexto álbum autoral, Morte e Vida, lançado em maio. O disco do grupo pernambucano, formado pelo vocalista e guitarrista Fábio Trummer, Alexandre Barreto (voz e percussão), Roberto Gonçalves Meira (baixo), Ricardo Gonçalves Meira (bateria), André Guedes Alves de Oliveira (teclados, trompete e samples), teve as participações de KSB, Jam da Silva, João do Cello, Karina Buhr e Erasto Vasconcelos.

Além das referências já conhecidas do trabalho, como o frevo, samba, rock e reggae, a banda buscou explorar novos territórios, como uma mistura do frevo canção com o bolero. Em março de 2014, Trummer começou a compor as músicas e, no final de novembro, começaram a ensaiar em São Paulo. Os ensaios seguiram em Olinda no mês de dezembro e, no dia 5 de janeiro, começaram as gravações de Morte e Vida. A Billboard Brasil conversou com frontman.

Como foi o processo de produção de Morte e Vida e a gravação em Olinda?

Olinda veio ter estúdios de gravação há pouco tempo. O estúdio em que gravamos, no centro de Olinda, é da primeira geração e é da produtora da gente. Gravamos no verão, para ficarmos perto da família, da minha mãe. Ensaiamos por uma semana e gravamos tudo em um mês e uma semana. Fazíamos tudo a pé, andando de chinelo. É um lugar em que a gente tem mais tranquilidade.

Como o som do Eddie mudou nesses?

Eu já ouvia bossa nova a vida inteira. E rock também. É uma condição da idade. Quando a gente tem 20 anos não tem noção de mundo. Você amadurece e acha a própria música. Os cinco músicos são autodidatas, cada um tem a sua música, o seu jeito. Eddie é o resultado dessa equação. A gente tem uma cultura muito rica e somos admiradores de uma cultura universal. Então, é uma brincadeira muito boa, pensar músicas a partir dessas diferenças culturais, e tentar fazer uma música própria.

Quais os próximos projetos?

Mais um [álbum] da Trummer SSA [projeto paralelo com os músicos Dieguito Reis e Luca Bori, da banda Vivendo do Ócio], que deve sair em 2016 e outro da Eddie para 2017, para manter o padrão de um disco por ano. Eu já tenho algumas coisas na cabeça. Quero gravar este ano ainda.

Ouça Morte e Vida:

https://www.youtube.com/watch?v=U5b_m-AnGAg