NOTÍCIAS

Banda Fly no Viber da Billboard; leia o bate papo

por em 01/05/2015
n style="font-family: 'Times New Roman', serif; font-size: medium;">Formada por Nathan, Caique e Paulo, a banda Fly é um sucesso entre o público adolescente. A prova disso foi o retorno de nossa entrevista com o trio pelo aplicativo Viber. As “flyers”, como são chamadas as fãs do Fly, colocaram a hashtag #FlynaBillboard no Trending Topic mundial e no 1º lugar no Brasil e em São Paulo. Conversamos com os garotos para entender esse fenômeno da banda Fly, que, em tempos de internet, continuam recebendo cartas pelo correio. Como os três se encontraram e decidiram formar a Fly? Paulo: Começou no final de 2012! Eu conheci o Caique em 2009, mas não tinha rolado a química hahahaha procuramos MUITO, até encontrar o Nathan! Passamos dias no YouTube e achamos elepara a nossa sorte. Caique: Conheci o Paulo no final de 2009 e mantivemos contato, no final de 2012 ele me convidou pra um, até então, "projeto de boyband", pirei na ideia e logo procuramos mais um integrante. Encontramos o Nathan no YouTube, ele topou na mesma semana que conversamos e já gravamos nosso primeiro clipe na maior correria, o "Quero Você", daí, oficialmente, o Fly passou a existir em Maio de 2013 Nathan: Eu participei do Programa Ídolos. E sempre postei bastantes vídeos cover no Youtube. Os meninos me encontraram dessa forma. O que eles escreveram na busca eu não sei, mas deu certo. Muita gente pedindo pra vocês seguirem no Twitter. Como lidam com isso? Seguem todos os fãs? C: Tentamos dar atenção. É meio maluco tudo isso. Fico assustado às vezes. Como vocês lidam com as fãs descontroladas? C: É engraçado, às vezes machucam, não podemos fazer muita coisa nem reclamar, é MUITO AMOR. Qual foi a coisa mais constrangedora que já ouviram de um fã? N: Uma coisa que acontece muito é zoarem quando usamos preto, falam que a gente usa preto pra parecer mais magro. Vamos fingir aqui que essa foi a coisa mais constrangedora. E loucura de fã que mais surpreendeu vocês? P: Já dormiram na portaria das nossas casas! Bizarro! C: Perseguição. E uma quase deu merda. Vocês já falaram que leem todas as cartas de fã, o que acham delas? C: Recebemos muitas! Temos uma música até que chama “Carta de Fã”, baseada nessas cartas todas. A gente tenta ler tudo, a galera joga bastante nos palcos, enviam pra nossa caixa postal... É diferente uma carta de uma mensagem de texto, hoje em dia é legal ter uma lembrança "física" de algumas coisas, né? Raridade. Quais são os principais objetivos da banda pra esse ano? N: Esse ano queremos ir pra lugares que até então não fomos! Vocês já chegaram a pensar em fazer turnês para fora do país? P: Sim! Maior sonho. Quem sabe um dia? Mas, por enquanto, queremos conhecer todo o Brasil e matar a saudade de lugares que ainda não voltamos! C: Quero conhecer a Califórnia com os meninos. Imagina ir pra lá com um violão na mão apenas, a gente volta com um disco novo. O que sentem quando estão no palco e veem todas aquelas pessoas ali cantando com vocês? C: É muito legal, as pessoas prestigiando nosso trabalho, se identificando com o som que escrevemos, é beeeeeeeeeeem legal. Como vocês se veem daqui há 10 anos? C: De cabelo branco. P: Juntos! Quando pretendem fazer um DVD? P: O mais rápido possível. Com qual banda internacional vocês têm vontade de dividir o palco? N: Seria muito legal fazer um som com Justin Bieber, Timberlake.. Mas poder dividir o palco com Nxzero aqui no Brasil, por exemplo, seria animal! Quando vai lançar o clipe “Teu Olhar”? C: Boa pergunta! Acabamos de lançar "Cabelos de Algodão". Já estamos editando “Teu Olhar”. O clipe foi gravado no nosso show no Teatro Bradesco, no mês passado. Se não fossem músicos, o que seriam? N: Eu estaria formado em engenharia. P: Eu seria triste. Nasci pra ser músico. Nunca me vi fazendo outra coisa. C: Gostaria de trabalhar com qualquer coisa relacionada à arte. É tão bom lidar com os sentimentos das pessoas, elas se identificarem com você por alguma coisa, música, ou seja lá o que for. A única coisa que levamos dessa vida é o que fazemos aqui.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Banda Fly no Viber da Billboard; leia o bate papo

por em 01/05/2015
n style="font-family: 'Times New Roman', serif; font-size: medium;">Formada por Nathan, Caique e Paulo, a banda Fly é um sucesso entre o público adolescente. A prova disso foi o retorno de nossa entrevista com o trio pelo aplicativo Viber. As “flyers”, como são chamadas as fãs do Fly, colocaram a hashtag #FlynaBillboard no Trending Topic mundial e no 1º lugar no Brasil e em São Paulo. Conversamos com os garotos para entender esse fenômeno da banda Fly, que, em tempos de internet, continuam recebendo cartas pelo correio. Como os três se encontraram e decidiram formar a Fly? Paulo: Começou no final de 2012! Eu conheci o Caique em 2009, mas não tinha rolado a química hahahaha procuramos MUITO, até encontrar o Nathan! Passamos dias no YouTube e achamos elepara a nossa sorte. Caique: Conheci o Paulo no final de 2009 e mantivemos contato, no final de 2012 ele me convidou pra um, até então, "projeto de boyband", pirei na ideia e logo procuramos mais um integrante. Encontramos o Nathan no YouTube, ele topou na mesma semana que conversamos e já gravamos nosso primeiro clipe na maior correria, o "Quero Você", daí, oficialmente, o Fly passou a existir em Maio de 2013 Nathan: Eu participei do Programa Ídolos. E sempre postei bastantes vídeos cover no Youtube. Os meninos me encontraram dessa forma. O que eles escreveram na busca eu não sei, mas deu certo. Muita gente pedindo pra vocês seguirem no Twitter. Como lidam com isso? Seguem todos os fãs? C: Tentamos dar atenção. É meio maluco tudo isso. Fico assustado às vezes. Como vocês lidam com as fãs descontroladas? C: É engraçado, às vezes machucam, não podemos fazer muita coisa nem reclamar, é MUITO AMOR. Qual foi a coisa mais constrangedora que já ouviram de um fã? N: Uma coisa que acontece muito é zoarem quando usamos preto, falam que a gente usa preto pra parecer mais magro. Vamos fingir aqui que essa foi a coisa mais constrangedora. E loucura de fã que mais surpreendeu vocês? P: Já dormiram na portaria das nossas casas! Bizarro! C: Perseguição. E uma quase deu merda. Vocês já falaram que leem todas as cartas de fã, o que acham delas? C: Recebemos muitas! Temos uma música até que chama “Carta de Fã”, baseada nessas cartas todas. A gente tenta ler tudo, a galera joga bastante nos palcos, enviam pra nossa caixa postal... É diferente uma carta de uma mensagem de texto, hoje em dia é legal ter uma lembrança "física" de algumas coisas, né? Raridade. Quais são os principais objetivos da banda pra esse ano? N: Esse ano queremos ir pra lugares que até então não fomos! Vocês já chegaram a pensar em fazer turnês para fora do país? P: Sim! Maior sonho. Quem sabe um dia? Mas, por enquanto, queremos conhecer todo o Brasil e matar a saudade de lugares que ainda não voltamos! C: Quero conhecer a Califórnia com os meninos. Imagina ir pra lá com um violão na mão apenas, a gente volta com um disco novo. O que sentem quando estão no palco e veem todas aquelas pessoas ali cantando com vocês? C: É muito legal, as pessoas prestigiando nosso trabalho, se identificando com o som que escrevemos, é beeeeeeeeeeem legal. Como vocês se veem daqui há 10 anos? C: De cabelo branco. P: Juntos! Quando pretendem fazer um DVD? P: O mais rápido possível. Com qual banda internacional vocês têm vontade de dividir o palco? N: Seria muito legal fazer um som com Justin Bieber, Timberlake.. Mas poder dividir o palco com Nxzero aqui no Brasil, por exemplo, seria animal! Quando vai lançar o clipe “Teu Olhar”? C: Boa pergunta! Acabamos de lançar "Cabelos de Algodão". Já estamos editando “Teu Olhar”. O clipe foi gravado no nosso show no Teatro Bradesco, no mês passado. Se não fossem músicos, o que seriam? N: Eu estaria formado em engenharia. P: Eu seria triste. Nasci pra ser músico. Nunca me vi fazendo outra coisa. C: Gostaria de trabalhar com qualquer coisa relacionada à arte. É tão bom lidar com os sentimentos das pessoas, elas se identificarem com você por alguma coisa, música, ou seja lá o que for. A única coisa que levamos dessa vida é o que fazemos aqui.