NOTÍCIAS

Banda Maneva comemora 12 anos com DVD e show em São Paulo

Apresentação conta com Armandinho, Haikaiss e Zeider, do Planta e Raiz, entre outros

por Marcos Lauro em 30/03/2017

Na última semana, o DVD Ao vivo em São Paulo, do Maneva, chegou às lojas repleto de participações especiais, como Armandinho, Haikaiss e Zeider, do Planta e Raiz, entre outros. Agora, nessa sexta (31/03), a banda reproduz o DVD no palco da Audio, com shows de abertura de Gabriel Elias e Deko – que também está no DVD e volta ao palco durante a atração principal.

Conversamos com Tales de Polli e Diego Andrade, fundadores da banda, sobre a nova fase – que inclui contrato com a Universal Music.

MANEVA LANÇA CLIPE DA MÚSICA “MEU PAI É RASTAFAR-I”

Esse é o segundo DVD da banda. Qual a grande diferença em relação ao primeiro?
No primeiro, nós comemoramos oito anos e éramos completamente independentes. Pro DVD, a gente teve que fazer de tudo, desde venda de ingresso até cuidar da infraestrutura. Então, a gente não teve tempo pra cuidar muito da parte musical. Agora, não... temos novos parceiros, infra, equipe... conseguimos explorar as possibilidades musicais. Conseguimos contar com excelentes profissionais desde o planejamento até a gravação.

E pra uma banda que sempre viveu na independência, como é ter uma gravadora agora?
A gente nunca almejou, nem era a proposta. Mas a vida é feita de possibilidades, né... a gente viu um momento de crescimento, conquistamos uma base de fãs totalmente independente e agora temos um parceiro grande pra mais gente conhecer mais pessoas. A gente quer levar o nosso som pra mais gente, expandir mesmo.

MANEVA LANÇA CLIPE DA MÚSICA “ÊXODO”

O reggae não está na grande mídia, mas as festas estão sempre cheias e a agenda de shows é concorrida. Como vocês veem essa diferença?
Acho que o fato de estarmos agora numa grande gravadora vai fazer com que a grande mídia veja isso. Tudo isso é pra mostrar que o reggae tem público. Nós gravamos o DVD no Espaço das Américas [casa com capacidade para oito mil pessoas] com ingressos esgotados. E não era grátis. Passamos um obstáculo.

Vi que vocês tocaram recentemente até em Fernando de Noronha. Como foi essa experiência?
A logística é complicada, né. Então fizemos tudo num formato bem simples... só nos cinco, sem equipe grande. E foi muito legal porque é um lugar que permite o autoconhecimento, ficamos conectados entre nós, com a música... a gente perde um pouco a noção das coisas nessa correria toda. Tá rolando um grande movimento lá. Já foi o Planta, Cidade Verde... é importante também pro local, pra galera que defende questões ambientais. Boa música pra todos.

MANEVA LANÇA CLIPE DE “SAUDADES DO TEMPO”

O reggae mudou muito com o tempo. Como vocês veem o gênero hoje?
Cada um tem sua verdade. O reggae, historicamente, tem um
posicionamento político, social, mas também fala de amor... Isso é natural do reggae. Não é só dor e só amor, é o equilíbrio. É a nossa vida também, né.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
4
Dona Maria (Part. Jorge)
Thiago Brava
5
Não Era Você
João Bosco & Vinicius
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Banda Maneva comemora 12 anos com DVD e show em São Paulo

Apresentação conta com Armandinho, Haikaiss e Zeider, do Planta e Raiz, entre outros

por Marcos Lauro em 30/03/2017

Na última semana, o DVD Ao vivo em São Paulo, do Maneva, chegou às lojas repleto de participações especiais, como Armandinho, Haikaiss e Zeider, do Planta e Raiz, entre outros. Agora, nessa sexta (31/03), a banda reproduz o DVD no palco da Audio, com shows de abertura de Gabriel Elias e Deko – que também está no DVD e volta ao palco durante a atração principal.

Conversamos com Tales de Polli e Diego Andrade, fundadores da banda, sobre a nova fase – que inclui contrato com a Universal Music.

MANEVA LANÇA CLIPE DA MÚSICA “MEU PAI É RASTAFAR-I”

Esse é o segundo DVD da banda. Qual a grande diferença em relação ao primeiro?
No primeiro, nós comemoramos oito anos e éramos completamente independentes. Pro DVD, a gente teve que fazer de tudo, desde venda de ingresso até cuidar da infraestrutura. Então, a gente não teve tempo pra cuidar muito da parte musical. Agora, não... temos novos parceiros, infra, equipe... conseguimos explorar as possibilidades musicais. Conseguimos contar com excelentes profissionais desde o planejamento até a gravação.

E pra uma banda que sempre viveu na independência, como é ter uma gravadora agora?
A gente nunca almejou, nem era a proposta. Mas a vida é feita de possibilidades, né... a gente viu um momento de crescimento, conquistamos uma base de fãs totalmente independente e agora temos um parceiro grande pra mais gente conhecer mais pessoas. A gente quer levar o nosso som pra mais gente, expandir mesmo.

MANEVA LANÇA CLIPE DA MÚSICA “ÊXODO”

O reggae não está na grande mídia, mas as festas estão sempre cheias e a agenda de shows é concorrida. Como vocês veem essa diferença?
Acho que o fato de estarmos agora numa grande gravadora vai fazer com que a grande mídia veja isso. Tudo isso é pra mostrar que o reggae tem público. Nós gravamos o DVD no Espaço das Américas [casa com capacidade para oito mil pessoas] com ingressos esgotados. E não era grátis. Passamos um obstáculo.

Vi que vocês tocaram recentemente até em Fernando de Noronha. Como foi essa experiência?
A logística é complicada, né. Então fizemos tudo num formato bem simples... só nos cinco, sem equipe grande. E foi muito legal porque é um lugar que permite o autoconhecimento, ficamos conectados entre nós, com a música... a gente perde um pouco a noção das coisas nessa correria toda. Tá rolando um grande movimento lá. Já foi o Planta, Cidade Verde... é importante também pro local, pra galera que defende questões ambientais. Boa música pra todos.

MANEVA LANÇA CLIPE DE “SAUDADES DO TEMPO”

O reggae mudou muito com o tempo. Como vocês veem o gênero hoje?
Cada um tem sua verdade. O reggae, historicamente, tem um
posicionamento político, social, mas também fala de amor... Isso é natural do reggae. Não é só dor e só amor, é o equilíbrio. É a nossa vida também, né.