NOTÍCIAS

Beyoncé entrevista a irmã Solange para revista

Tema principal foi o novo disco A Seat At The Table

por Redação em 11/01/2017

Solange, que estampa a capa da última edição da revista Interview, contou com uma entrevistadora inusitada: sua própria irmã, Beyoncé.

Durante uma viagem em dezembro, Bey conversou com Solange por telefone sobre crescer na casa da família Knowles e a inspiração por trás do álbum A Seat At The Table.

"Para esse disco, especificamente, tive a vontade de revelar algumas verdades e inverdades”, explicou a caçula. “Algumas coisas estavam me sobrecarregando já há um tempo. E entrei nesse buraco, tentando trabalhar essas questões para ser uma versão melhor de mim, ser uma mãe, esposa, amiga e irmã melhor. Por isso quis que você me entrevistasse, porque o álbum tem essa pegada de contar histórias sobre nós, nossa família. Ter as vozes de nossos pais no disco pareceu o certo a se fazer para fechar um capítulo de nossa história como família.”

As irmãs conversaram sobre semelhanças entre o pai, Mathew Knowles, e o magnata do rap Master P – ambos participam do álbum de Solange –, assim como sobre o significado por trás do single “Cranes In The Sky”.

Escrita há oito anos em Miami, a faixa marcou um período de transição na vida de Solange, quando ela terminou o relacionamento com o pai de seu filho Julez. “Um novo edifício estava sendo construído a cada 100 metros. Você [Beyoncé] também gravou muitas músicas lá e acho que, para nós, Miami foi um refúgio, um local de paz. Não estávamos lá para festejar”, contou.

"Lembro de olhar para cima e ver os guindastes pendurados. Eles eram pesados e feios e não eram o que eu identificava como paz e refúgio. Recordo de ter pensado nisso como analogia para a minha transição – essa ideia de construção, que estava acontecendo muito no nosso país naquele momento, prédios subindo, enquanto as pessoas não lidavam com o que estava bem na nossa cara. E vimos no que isso deu. Deu errado. Foi uma catástrofe. E aquele verso veio para mim porque indicava justamente o que eu estava passando na minha vida pessoal.”

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Beyoncé entrevista a irmã Solange para revista

Tema principal foi o novo disco A Seat At The Table

por Redação em 11/01/2017

Solange, que estampa a capa da última edição da revista Interview, contou com uma entrevistadora inusitada: sua própria irmã, Beyoncé.

Durante uma viagem em dezembro, Bey conversou com Solange por telefone sobre crescer na casa da família Knowles e a inspiração por trás do álbum A Seat At The Table.

"Para esse disco, especificamente, tive a vontade de revelar algumas verdades e inverdades”, explicou a caçula. “Algumas coisas estavam me sobrecarregando já há um tempo. E entrei nesse buraco, tentando trabalhar essas questões para ser uma versão melhor de mim, ser uma mãe, esposa, amiga e irmã melhor. Por isso quis que você me entrevistasse, porque o álbum tem essa pegada de contar histórias sobre nós, nossa família. Ter as vozes de nossos pais no disco pareceu o certo a se fazer para fechar um capítulo de nossa história como família.”

As irmãs conversaram sobre semelhanças entre o pai, Mathew Knowles, e o magnata do rap Master P – ambos participam do álbum de Solange –, assim como sobre o significado por trás do single “Cranes In The Sky”.

Escrita há oito anos em Miami, a faixa marcou um período de transição na vida de Solange, quando ela terminou o relacionamento com o pai de seu filho Julez. “Um novo edifício estava sendo construído a cada 100 metros. Você [Beyoncé] também gravou muitas músicas lá e acho que, para nós, Miami foi um refúgio, um local de paz. Não estávamos lá para festejar”, contou.

"Lembro de olhar para cima e ver os guindastes pendurados. Eles eram pesados e feios e não eram o que eu identificava como paz e refúgio. Recordo de ter pensado nisso como analogia para a minha transição – essa ideia de construção, que estava acontecendo muito no nosso país naquele momento, prédios subindo, enquanto as pessoas não lidavam com o que estava bem na nossa cara. E vimos no que isso deu. Deu errado. Foi uma catástrofe. E aquele verso veio para mim porque indicava justamente o que eu estava passando na minha vida pessoal.”