NOTÍCIAS

Camila Cabello chega ao topo do Billboard 200

Jovem entra para o clube exclusivo de cantoras que emplacaram discos no ranking enquanto faziam parte de um grupo; veja a lista

por Redação em 22/01/2018

Nesta semana, Camila Cabello estreou em 1º lugar no Billboard 200 com seu primeiro álbum solo, Camila. O disco vendeu o equivalente a 119 mil cópias em sua primeira semana, de acordo com a Nielsen Music.

Com sua chegada ao topo do ranking, Camila se junta a um clube exclusivo de cantoras que inicialmente emplacaram trabalhos no Billboard 200 como parte de um grupo – no seu caso, o Fifth Harmony, que conseguiu colocar três discos no Top 10 da lista enquanto ela era uma integrante – e depois chegaram ao primeiro lugar com um álbum solo.

Veja na galeria a seguir as mulheres que chegaram ao topo do Billboard 200 depois de fazer sucesso em um grupo:

Gwen Stefani
Gwen conseguiu sua primeira liderança no Billboard 200 em 2016 com seu terceiro álbum solo, This Is What The Truth Feels Like. Seu primeiro trabalho solo, Love. Angel. Music. Baby. Foi lançado em 2004, anos depois de o No Doubt conseguir se firmar na indústria. O grupo entrou na lista pela primeira vez em janeiro de 1996, quando Tragic Kingdom apareceu em 175º lugar. Em dezembro do mesmo ano, o disco chegou ao topo do ranking. O grupo emplacou mais cinco álbuns no ranking – incluindo o mais recente, Push and Shove, que chegou ao 3º lugar em 2012.

Reprodução

LeToya
O disco autointitulado de LeToya estreou no topo da lista em 2006, cerca de cinco anos depois de ela deixar o Destiny’s Child. Enquanto ela fazia parte do grupo, dois discos entraram no Billboard 200: Destiny’s Child (67º lugar, em 1998) e The Writing’s On The Wall (5º lugar em 2000).

 

Divulgação

Beyoncé
Outra integrante do Destiny’s Child, Beyoncé lançou seu disco solo, Dangerously in Love, em 2003. O álbum chegou ao 1º lugar do ranking, com o peso do primeiro single “Crazy in Love”, parceria com JAY-Z. Anteriormente, enquanto fazia parte do grupo, cinco discos entraram na lista, incluindo Survivor, que ocupou o topo, em 2001.

Divulgação

Lauryn Hill
Antes de Lauryn estrear em 1º lugar com seu primeiro álbum como cantora solo, The Miseducation of Lauryn Hill, em 1998, ela era uma integrante do Fugees, que emplacou dois trabalhos na lista, incluindo The Score, que chegou ao topo.

Reprodução

Patti LaBelle
A diva do R&B conseguiu sua primeira (e única, até agora) liderança solo no ranking com o disco The Winner in You, em julho de 1989. Antes, ela fazia parte do trio Labelle, que emplacou três discos na lista: Nightbirds (7º lugar, em 1974), Phoenix (44º lugar em 1975) e Chameleon (94º lugar em 1976).

Reprodução

Stevie Nicks
Stevie começou sua carreira solo fazendo barulho – chegando ao topo com sua estreia, Bella Donna, em setembro de 1981. Antes, o Fleetwood Mac entrou três vezes no ranking enquanto Stevie fazia parte do grupo: com o disco autointitulado (1º lugar em 1976), Rumours (1º lugar em 1977) e Tusk (3º lugar em 1979).

Divulgação

Linda Ronstadt
Antes de Linda liderar o ranking como artista solo (com Heart Like a Wheel, em 1975), ela chegou à lista como integrante do Stone Poneys. O trio ocupou o 100º lugar em 1968 com o disco Evergreen, Vol. 2.

Reprodução

Diana Ross
Diana chegou ao topo do ranking como artista solo pela primeira vez em 1973 com o disco Lady Sings the Blues (trilha sonora para o filme de mesmo nome, em que a cantora atua). Antes disso, como integrante do Supremes (e depois, Diana Ross & The Supremes), o grupo emplacou três discos no ranking entre 1966 e 1969.

Reprodução

Janis Joplin
A banda de rock Big Brother and the Holding Company, da qual Janis era a vocalista, entrou duas vezes na lista: em 1967, com o disco autointitulado (chegando ao 60º lugar) e com o sucessor, de grande fama, Cheap Thrills (1º lugar por oito semanas em 1968). Janis deixou o grupo depois desse álbum e lançou seu trabalho de estreia solo em 1969: I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama!, que chegou ao 5º lugar no mesmo ano. Depois da morte da cantora em 1970, seu primeiro álbum póstumo, Pearl, foi lançado e passou nove semanas na liderança.

Reprodução

Menção honrosa para Selena Gomez:

A cantora emplacou os três primeiros álbuns do Selena Gomez & The Scene no ranking antes de seguir carreira solo e chegar ao topo com o disco Stars Dance, em 2013.

Divulgação

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Apelido Carinhoso
Gusttavo Lima
2
Sua Melhor Versão
Bruno & Marrone
3
Dona Maria (Part. Jorge)
Thiago Brava
4
Rapariga Não (Part. Simone & Simaria)
João Neto & Frederico
5
Transplante (part. Bruno & Marrone)
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Camila Cabello chega ao topo do Billboard 200

Jovem entra para o clube exclusivo de cantoras que emplacaram discos no ranking enquanto faziam parte de um grupo; veja a lista

por Redação em 22/01/2018

Nesta semana, Camila Cabello estreou em 1º lugar no Billboard 200 com seu primeiro álbum solo, Camila. O disco vendeu o equivalente a 119 mil cópias em sua primeira semana, de acordo com a Nielsen Music.

Com sua chegada ao topo do ranking, Camila se junta a um clube exclusivo de cantoras que inicialmente emplacaram trabalhos no Billboard 200 como parte de um grupo – no seu caso, o Fifth Harmony, que conseguiu colocar três discos no Top 10 da lista enquanto ela era uma integrante – e depois chegaram ao primeiro lugar com um álbum solo.

Veja na galeria a seguir as mulheres que chegaram ao topo do Billboard 200 depois de fazer sucesso em um grupo:

Gwen Stefani
Gwen conseguiu sua primeira liderança no Billboard 200 em 2016 com seu terceiro álbum solo, This Is What The Truth Feels Like. Seu primeiro trabalho solo, Love. Angel. Music. Baby. Foi lançado em 2004, anos depois de o No Doubt conseguir se firmar na indústria. O grupo entrou na lista pela primeira vez em janeiro de 1996, quando Tragic Kingdom apareceu em 175º lugar. Em dezembro do mesmo ano, o disco chegou ao topo do ranking. O grupo emplacou mais cinco álbuns no ranking – incluindo o mais recente, Push and Shove, que chegou ao 3º lugar em 2012.

Reprodução

LeToya
O disco autointitulado de LeToya estreou no topo da lista em 2006, cerca de cinco anos depois de ela deixar o Destiny’s Child. Enquanto ela fazia parte do grupo, dois discos entraram no Billboard 200: Destiny’s Child (67º lugar, em 1998) e The Writing’s On The Wall (5º lugar em 2000).

 

Divulgação

Beyoncé
Outra integrante do Destiny’s Child, Beyoncé lançou seu disco solo, Dangerously in Love, em 2003. O álbum chegou ao 1º lugar do ranking, com o peso do primeiro single “Crazy in Love”, parceria com JAY-Z. Anteriormente, enquanto fazia parte do grupo, cinco discos entraram na lista, incluindo Survivor, que ocupou o topo, em 2001.

Divulgação

Lauryn Hill
Antes de Lauryn estrear em 1º lugar com seu primeiro álbum como cantora solo, The Miseducation of Lauryn Hill, em 1998, ela era uma integrante do Fugees, que emplacou dois trabalhos na lista, incluindo The Score, que chegou ao topo.

Reprodução

Patti LaBelle
A diva do R&B conseguiu sua primeira (e única, até agora) liderança solo no ranking com o disco The Winner in You, em julho de 1989. Antes, ela fazia parte do trio Labelle, que emplacou três discos na lista: Nightbirds (7º lugar, em 1974), Phoenix (44º lugar em 1975) e Chameleon (94º lugar em 1976).

Reprodução

Stevie Nicks
Stevie começou sua carreira solo fazendo barulho – chegando ao topo com sua estreia, Bella Donna, em setembro de 1981. Antes, o Fleetwood Mac entrou três vezes no ranking enquanto Stevie fazia parte do grupo: com o disco autointitulado (1º lugar em 1976), Rumours (1º lugar em 1977) e Tusk (3º lugar em 1979).

Divulgação

Linda Ronstadt
Antes de Linda liderar o ranking como artista solo (com Heart Like a Wheel, em 1975), ela chegou à lista como integrante do Stone Poneys. O trio ocupou o 100º lugar em 1968 com o disco Evergreen, Vol. 2.

Reprodução

Diana Ross
Diana chegou ao topo do ranking como artista solo pela primeira vez em 1973 com o disco Lady Sings the Blues (trilha sonora para o filme de mesmo nome, em que a cantora atua). Antes disso, como integrante do Supremes (e depois, Diana Ross & The Supremes), o grupo emplacou três discos no ranking entre 1966 e 1969.

Reprodução

Janis Joplin
A banda de rock Big Brother and the Holding Company, da qual Janis era a vocalista, entrou duas vezes na lista: em 1967, com o disco autointitulado (chegando ao 60º lugar) e com o sucessor, de grande fama, Cheap Thrills (1º lugar por oito semanas em 1968). Janis deixou o grupo depois desse álbum e lançou seu trabalho de estreia solo em 1969: I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama!, que chegou ao 5º lugar no mesmo ano. Depois da morte da cantora em 1970, seu primeiro álbum póstumo, Pearl, foi lançado e passou nove semanas na liderança.

Reprodução

Menção honrosa para Selena Gomez:

A cantora emplacou os três primeiros álbuns do Selena Gomez & The Scene no ranking antes de seguir carreira solo e chegar ao topo com o disco Stars Dance, em 2013.

Divulgação