NOTÍCIAS

Camila Cabello diz que planeja visitar a América do Sul em breve

Cantora concedeu entrevista exclusiva à Billboard Argentina sobre a carreira solo

por Redação em 15/09/2017

Sonhos se tornam realidade e Camila Cabello é a prova disso. Em cinco anos, ela deixou de ser a adolescente fã de One Direction para ter o seu próprio fandom.

Pronta para lançar seu primeiro disco solo, The Hurting. The Healing. The Loving., em 22 de setembro, a jovem cantora conversou com a Billboard Argentina sobre este momento em sua carreira.

Espanhol é a sua língua materna, certo?

Eu nasci em Cojimar, Cuba, e também morei por um tempo no México. Jennifer, uma das minhas vizinhas e melhor amiga, é da Argentina. Ela morou em Buenos Aires e agora vive em Miami, como eu.

O que você faz com seu tempo? Você tem muitos compromissos e viagens, mas imagino que também se divirta.

Sim, é claro. Bom, eu não durmo! É basicamente isso [risos]. Às vezes, penso que só quero ser uma garota de 20 anos. Mas, por exemplo, neste momento eu estou em turnê com o Bruno Mars e, para não perder minha voz, quando não estou trabalhando ou cantando, faço repouso vocal.

Há algum tempo, senti que minha voz estava falhando e, mesmo assim, passei a madrugada conversando e assistindo filme com os dançarinos e músicos. Na semana seguinte, tive que encarar as consequências da minha falta de responsabilidade e perdi a voz. Tive que conviver com isso.

Acredito que seja uma questão de balancear as coisas, você não pode trabalhar o tempo todo. Ao mesmo tempo, sou uma artista, preciso experimentar as coisas para ter sobre o que escrever. Para me inspirar, preciso viver minha vida, mas também ser responsável e descansar.

Você acredita em Deus, no Universo, no amor? A quem você agradece por tudo que está acontecendo?

Há algo maior no universo, não sei o que é, se é Deus ou algum tipo de energia. Honestamente não sei... Mas eu acredito em destino e acho que cada experiência, dependendo da forma como você a enxerga e aproveita, pode te ajudar a melhorar e a escolher seu caminho. Sei que trabalhei muito duro para chegar neste ponto. Tenho uma família incrível também, o apoio dos meus fãs e, na minha equipe, há muitas pessoas que querem me ver vencer. Não posso reduzir a apenas uma coisa, são muitas coisas.

Uma das coisas que seus seguidores me disseram foi que eles te amam porque sentem que você é como eles. É como se você representasse esse sonho porque já foi fã um dia. Você concorda?

Eu era uma super fã do One Direction, minha conta no Twitter era dedicada a eles. Lembro que dois meses antes de fazer o teste para o X Factor, assisti ao show deles em Miami e o Niall jogou um sapato no público. Quando a apresentação terminou, eu e um grupo de fãs estávamos chorando por causa do sapato [risos]. Mas sim, é maravilhoso ouvir isso, ver meus fãs como amigos, como família. Não me sinto diferente. Acho que estamos no mesmo nível, ninguém está acima de ninguém.

O que você tem ouvido ultimamente?

Muito hip hop e, como estou em turnê com o Bruno Mars, ouço muito das influências dele, como Prince, Earth, Wind & Fire e James Brown. Coisas dos anos 1980. Cresci ouvindo música latina. Michael Jackson era um dos únicos artistas que cantavam em inglês que a gente ouvia. Então é estranho, porque só agora estou conhecendo música americana dos anos 1970 e 1980. Estou aprendendo muito.

camilacabello3

O festival Billboard Hot 100 foi a sua primeira aparição como atração principal. Como você se sente?

Foi meu primeiro festival como artista solo. Fizemos alguns com o Fifth Harmony, mas nenhum tão importante. Eu amei, é uma experiência completamente diferente. Dividir o palco com o Major Lazer... Eles são incríveis em festivais, animam o público, colocam todo mundo para pular, é muito diferente do que eu faço com o Bruno Mars, em que a grande maioria está ali para vê-lo.

Você também trabalhou com o J Balvin. Depois do fenômeno “Despacito”, confirmamos uma explosão latina no cenário internacional. Você se sente parte disso?

Sim! É incrível. Lembro que fui para Londres e “Despacito” era a música mais tocada lá. Vivo em Miami, cresci ouvindo música latina. Pessoalmente, não é uma surpresa. Mas também prova que, graças à internet e às plataformas de streaming, o mundo está se tornando menor. São menos barreiras, paredes e boa música é boa música.

Você também se tornou um ícone fashion. Tem fotos imensas suas na loja da Guess, na Quinta Avenida em Nova York. Manter o ego controlado não deve ser fácil...

Amo fazer coisas de moda e o time da Guess é incrível. Mas meu foco, 24 horas por dia, é na música. Estou constantemente trabalhando para ser uma artista melhor. É o que eu faço. Queria ter um namorado só para que, quando terminássemos, ele fosse ao shopping e visse meu rosto por todos os lados. Ele não poderia escapar [risos].

O que você diria para seu fandom da América do Sul? Fará músicas em espanhol?

Claro que sim. Quero dizer que os amo demais. Obrigada pelo apoio. Já estamos conversando com meu empresário para fazer uma viagem para a América do Sul o mais rápido possível. A energia nesses países é única, não tem comparação. Então estou muito animada. Se não formos até o fim deste ano, no início do ano que vem com certeza iremos. É uma promessa!

 

 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Camila Cabello diz que planeja visitar a América do Sul em breve

Cantora concedeu entrevista exclusiva à Billboard Argentina sobre a carreira solo

por Redação em 15/09/2017

Sonhos se tornam realidade e Camila Cabello é a prova disso. Em cinco anos, ela deixou de ser a adolescente fã de One Direction para ter o seu próprio fandom.

Pronta para lançar seu primeiro disco solo, The Hurting. The Healing. The Loving., em 22 de setembro, a jovem cantora conversou com a Billboard Argentina sobre este momento em sua carreira.

Espanhol é a sua língua materna, certo?

Eu nasci em Cojimar, Cuba, e também morei por um tempo no México. Jennifer, uma das minhas vizinhas e melhor amiga, é da Argentina. Ela morou em Buenos Aires e agora vive em Miami, como eu.

O que você faz com seu tempo? Você tem muitos compromissos e viagens, mas imagino que também se divirta.

Sim, é claro. Bom, eu não durmo! É basicamente isso [risos]. Às vezes, penso que só quero ser uma garota de 20 anos. Mas, por exemplo, neste momento eu estou em turnê com o Bruno Mars e, para não perder minha voz, quando não estou trabalhando ou cantando, faço repouso vocal.

Há algum tempo, senti que minha voz estava falhando e, mesmo assim, passei a madrugada conversando e assistindo filme com os dançarinos e músicos. Na semana seguinte, tive que encarar as consequências da minha falta de responsabilidade e perdi a voz. Tive que conviver com isso.

Acredito que seja uma questão de balancear as coisas, você não pode trabalhar o tempo todo. Ao mesmo tempo, sou uma artista, preciso experimentar as coisas para ter sobre o que escrever. Para me inspirar, preciso viver minha vida, mas também ser responsável e descansar.

Você acredita em Deus, no Universo, no amor? A quem você agradece por tudo que está acontecendo?

Há algo maior no universo, não sei o que é, se é Deus ou algum tipo de energia. Honestamente não sei... Mas eu acredito em destino e acho que cada experiência, dependendo da forma como você a enxerga e aproveita, pode te ajudar a melhorar e a escolher seu caminho. Sei que trabalhei muito duro para chegar neste ponto. Tenho uma família incrível também, o apoio dos meus fãs e, na minha equipe, há muitas pessoas que querem me ver vencer. Não posso reduzir a apenas uma coisa, são muitas coisas.

Uma das coisas que seus seguidores me disseram foi que eles te amam porque sentem que você é como eles. É como se você representasse esse sonho porque já foi fã um dia. Você concorda?

Eu era uma super fã do One Direction, minha conta no Twitter era dedicada a eles. Lembro que dois meses antes de fazer o teste para o X Factor, assisti ao show deles em Miami e o Niall jogou um sapato no público. Quando a apresentação terminou, eu e um grupo de fãs estávamos chorando por causa do sapato [risos]. Mas sim, é maravilhoso ouvir isso, ver meus fãs como amigos, como família. Não me sinto diferente. Acho que estamos no mesmo nível, ninguém está acima de ninguém.

O que você tem ouvido ultimamente?

Muito hip hop e, como estou em turnê com o Bruno Mars, ouço muito das influências dele, como Prince, Earth, Wind & Fire e James Brown. Coisas dos anos 1980. Cresci ouvindo música latina. Michael Jackson era um dos únicos artistas que cantavam em inglês que a gente ouvia. Então é estranho, porque só agora estou conhecendo música americana dos anos 1970 e 1980. Estou aprendendo muito.

camilacabello3

O festival Billboard Hot 100 foi a sua primeira aparição como atração principal. Como você se sente?

Foi meu primeiro festival como artista solo. Fizemos alguns com o Fifth Harmony, mas nenhum tão importante. Eu amei, é uma experiência completamente diferente. Dividir o palco com o Major Lazer... Eles são incríveis em festivais, animam o público, colocam todo mundo para pular, é muito diferente do que eu faço com o Bruno Mars, em que a grande maioria está ali para vê-lo.

Você também trabalhou com o J Balvin. Depois do fenômeno “Despacito”, confirmamos uma explosão latina no cenário internacional. Você se sente parte disso?

Sim! É incrível. Lembro que fui para Londres e “Despacito” era a música mais tocada lá. Vivo em Miami, cresci ouvindo música latina. Pessoalmente, não é uma surpresa. Mas também prova que, graças à internet e às plataformas de streaming, o mundo está se tornando menor. São menos barreiras, paredes e boa música é boa música.

Você também se tornou um ícone fashion. Tem fotos imensas suas na loja da Guess, na Quinta Avenida em Nova York. Manter o ego controlado não deve ser fácil...

Amo fazer coisas de moda e o time da Guess é incrível. Mas meu foco, 24 horas por dia, é na música. Estou constantemente trabalhando para ser uma artista melhor. É o que eu faço. Queria ter um namorado só para que, quando terminássemos, ele fosse ao shopping e visse meu rosto por todos os lados. Ele não poderia escapar [risos].

O que você diria para seu fandom da América do Sul? Fará músicas em espanhol?

Claro que sim. Quero dizer que os amo demais. Obrigada pelo apoio. Já estamos conversando com meu empresário para fazer uma viagem para a América do Sul o mais rápido possível. A energia nesses países é única, não tem comparação. Então estou muito animada. Se não formos até o fim deste ano, no início do ano que vem com certeza iremos. É uma promessa!