NOTÍCIAS

Com mais tempo do que no Rock in Rio, OneRepublic agitou em SP

por em 21/09/2015
P
or Angela Destri
Neste domingo (20/09), o OneRepublic subiu ao palco do Espaço das Américas, em São Paulo para uma apresentação bastante diferente daquela feita na sexta-feira, no Rock in Rio. Com um público bastante variado – mas que estava ali unicamente para vê-los – a banda conseguiu fazer uma verdadeira festa e deixar todos animados, desde casais até os pais que acompanhavam seus filhos. Com mais tempo de show do que no festival (quase duas horas), o grupo pôde passar por seus principais sucessos e ainda trazer mais surpresas para os fãs, o que incluiu alguns covers e arranjos diferentes de suas músicas. Sentindo a empolgação e a ótima recepção de sua plateia ainda nos primeiros momentos da apresentação, o vocalista Ryan Tedder logo pediu desculpas por terem demorado tanto para vir ao Brasil, declarou sua paixão pelo país e prometeu que a noite iria “valer por oito anos de música”. Antes de tocarem “Something I Need”, o americano pediu ajuda para cantar: “nós gravamos essa música com 40 pessoas – bêbadas –, mas agora somos apenas seis no palco”. O coro deveria acompanhá-lo apenas no refrão, mas assim que a música começou, todo mundo cantou junto. Depois, na parte do palco que avançava em direção à plateia, Tedder emendou um solo de piano à “Apologize”, single que, com o remix do rapper e produtor Timbaland, levou a banda ao sucesso e ainda garantiu uma indicação ao Grammy de 2009. Nesta versão, a música ganhou ainda o refrão de “Stay With Me”, de Sam Smith Em seguida, o restante do grupo juntou-se ao líder no meio do palco e tocou “Budapest”, do novato inglês George Ezra. O frontman confessou gostar muito da música, mas disse que devem aposentá-la para as próximas apresentações. Disse ainda que já estão trabalhando em um novo álbum e que gravaram algumas músicas por aqui. Por isso, ainda segundo ele, da próxima vez em que voltarem – sim, teve promessa de que retornarão – não apresentarão muitas das músicas que tocaram na noite passada. O publicou vibrou muito com todas essas notícias e aproveitou a empolgação para dar os parabéns ao guitarrista Zack Filkins, que completou 37 anos no último dia 15. Depois, foi a vez da animada “Good Life” ganhar uma nova versão mais tranquila. Para emocionar ainda mais os fãs, o telão exibia imagens da banda durante a The Native Tour, com alguns momentos do quinteto em São Paulo. Para finalizar, foi projetada uma bandeira do Brasil. AS 10 MAIS DO SEU PASSEIO NO SHOPPING Filkinis então fez seu já clássico solo de guitarra espanhola antes de um dos hits mais esperados da noite, “Counting Stars”, que colocou o OneRepublic de volta às paradas. Tedder brincou dizendo que “agora vamos cantar uma música que talvez vocês não conheçam” e, com a empolgação de seus admiradores e os abraços que recebeu, fez um elogiou tipicamente brasileiro: “Vocês são foda!”, assim mesmo, em português. Atendendo aos muitos pedidos que recebeu no aeroporto e no hotel, o músico puxou um breve coro de “Burn My Bridges Down” e logo depois já mandou “I Lived”, que também foi cantada a plenos pulmões pelos fãs. Depois, foi a hora de mais um cover: “Seven Nation Army”, do The White Stripes, que se transformou em “Love Runs Out”. Foi aí que os gritos de “Ryan, eu te amo” não pararam. “Vocês são incríveis”, foi a resposta. Chegando perto do fim, cantaram uma das músicas preferidas do vocalista, “What A Wonderful World”. O clima mais calmo do sucesso de Louis Armstrong logo foi interrompido com um brinde e a introdução do último hit da noite: “Prometo que essa é a hora mais animada do show. Se vocês não gostarem, podem ir embora no meio”. A promessa foi cumprida e o público não parou com a elétrica “If I Lose Myself” e a certeza de que não levará mais oito anos para a banda retornar.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Com mais tempo do que no Rock in Rio, OneRepublic agitou em SP

por em 21/09/2015
P
or Angela Destri
Neste domingo (20/09), o OneRepublic subiu ao palco do Espaço das Américas, em São Paulo para uma apresentação bastante diferente daquela feita na sexta-feira, no Rock in Rio. Com um público bastante variado – mas que estava ali unicamente para vê-los – a banda conseguiu fazer uma verdadeira festa e deixar todos animados, desde casais até os pais que acompanhavam seus filhos. Com mais tempo de show do que no festival (quase duas horas), o grupo pôde passar por seus principais sucessos e ainda trazer mais surpresas para os fãs, o que incluiu alguns covers e arranjos diferentes de suas músicas. Sentindo a empolgação e a ótima recepção de sua plateia ainda nos primeiros momentos da apresentação, o vocalista Ryan Tedder logo pediu desculpas por terem demorado tanto para vir ao Brasil, declarou sua paixão pelo país e prometeu que a noite iria “valer por oito anos de música”. Antes de tocarem “Something I Need”, o americano pediu ajuda para cantar: “nós gravamos essa música com 40 pessoas – bêbadas –, mas agora somos apenas seis no palco”. O coro deveria acompanhá-lo apenas no refrão, mas assim que a música começou, todo mundo cantou junto. Depois, na parte do palco que avançava em direção à plateia, Tedder emendou um solo de piano à “Apologize”, single que, com o remix do rapper e produtor Timbaland, levou a banda ao sucesso e ainda garantiu uma indicação ao Grammy de 2009. Nesta versão, a música ganhou ainda o refrão de “Stay With Me”, de Sam Smith Em seguida, o restante do grupo juntou-se ao líder no meio do palco e tocou “Budapest”, do novato inglês George Ezra. O frontman confessou gostar muito da música, mas disse que devem aposentá-la para as próximas apresentações. Disse ainda que já estão trabalhando em um novo álbum e que gravaram algumas músicas por aqui. Por isso, ainda segundo ele, da próxima vez em que voltarem – sim, teve promessa de que retornarão – não apresentarão muitas das músicas que tocaram na noite passada. O publicou vibrou muito com todas essas notícias e aproveitou a empolgação para dar os parabéns ao guitarrista Zack Filkins, que completou 37 anos no último dia 15. Depois, foi a vez da animada “Good Life” ganhar uma nova versão mais tranquila. Para emocionar ainda mais os fãs, o telão exibia imagens da banda durante a The Native Tour, com alguns momentos do quinteto em São Paulo. Para finalizar, foi projetada uma bandeira do Brasil. AS 10 MAIS DO SEU PASSEIO NO SHOPPING Filkinis então fez seu já clássico solo de guitarra espanhola antes de um dos hits mais esperados da noite, “Counting Stars”, que colocou o OneRepublic de volta às paradas. Tedder brincou dizendo que “agora vamos cantar uma música que talvez vocês não conheçam” e, com a empolgação de seus admiradores e os abraços que recebeu, fez um elogiou tipicamente brasileiro: “Vocês são foda!”, assim mesmo, em português. Atendendo aos muitos pedidos que recebeu no aeroporto e no hotel, o músico puxou um breve coro de “Burn My Bridges Down” e logo depois já mandou “I Lived”, que também foi cantada a plenos pulmões pelos fãs. Depois, foi a hora de mais um cover: “Seven Nation Army”, do The White Stripes, que se transformou em “Love Runs Out”. Foi aí que os gritos de “Ryan, eu te amo” não pararam. “Vocês são incríveis”, foi a resposta. Chegando perto do fim, cantaram uma das músicas preferidas do vocalista, “What A Wonderful World”. O clima mais calmo do sucesso de Louis Armstrong logo foi interrompido com um brinde e a introdução do último hit da noite: “Prometo que essa é a hora mais animada do show. Se vocês não gostarem, podem ir embora no meio”. A promessa foi cumprida e o público não parou com a elétrica “If I Lose Myself” e a certeza de que não levará mais oito anos para a banda retornar.