NOTÍCIAS

Com muita positividade, Msário estreia carreira solo

por em 05/11/2015
P
or Rodrigo Amaral da Rocha
Oriundo do grupo de rap Pentágono, sucesso do gênero na década de 2000, Msário está lançando o seu primeiro trabalho em carreira solo, Sangue De Leão. Assim como fizeram os também ex-integrantes Rael e Apolo, o rapper também segue seus próprios passos na música, uma necessidade de comum acordo entre todos. “Nós sempre fomos influenciados por grupos como Wu Tang Clan, caras que trabalham em grupos com carreiras solos em paralelo. Sempre tivemos essa meta”, explica ele sobre o fim saudável do grupo. “O Rael foi o primeiro a seguir esse caminho. Assim que saiu o Ainda Bem Que Segui As Batidas Do Meu Coração, vimos esta necessidade de ser este o momento. Com “James Brown e Bob Marley no coração” e “Racionais e RZO na cabeça”, o primeiro trabalho de estúdio de Msário traz muito esta junção entre o rap, o reggae e as suas variedades. Num momento em que o hip hop aumenta sua popularidade no Brasil e no mundo e as festas de dub dominam cada vez mais as periferias, o rapper aparece para fazer parte dessas duas cenas. As participações no Sangue De Leão refletem esta mistura: Rael e Apolo, do Pentágono, os rappers Max B.O. e Kamau, Junior Dread e a cantora Izzy Gordon. Como está sendo trabalhar sozinho em vez de fazer parte do Pentágono? No Pentágono eu sempre estava dividindo as músicas com alguém, por mais que a ideia fosse minha. A minha parte era só uma fatia do bolo. Agora nessa fase solo, tem esse lance de serem só ideias minhas. Pude desenvolver melhor as ideias das músicas, os ritmos que queria usar. Sangue De Leão tem uma presença bem forte do ragga e do dub... No Pentágono a gente já misturava, né, muito por influência minha. Eu era o cara do reggae no grupo. Então quis trazer isso para o meu disco. Eu me juntei ao Bruno Dupre e ao Jeff Boto, um dos maiores produtores de reggae do país, e foi a junção perfeita. E hoje, como você avalia o rap? Naquela época que a gente começou, nós lutávamos para o rap se tornar o que ele é hoje. O Pentágono sempre falou muito sobre você acreditar no seu sonho, independente da dificuldade. Hoje, o rap é muito isso. O rap não é só mais para negro ou para a periferia, o rap está em todo o lugar e se mistura com diversos estilos musicais. A cena de hoje é só uma consequência do que a gente lutou no passado. Msário se apresenta dias 05 e 06 de novembro em São Paulo. Msário/ Festa Abase @ Clash Club -  Quinta-feira, 05 de novembro, às 23h Rua Barra Funda, 969 – São Paulo. Ingressos: Mulheres: VIP com lista*; sem lista: R$30,00 entrada ou R$60,00 consumação | Homens: com lista* R$30,00 entrada ou R$ 60,00 cons; sem lista: R$40,00 entrada ou R$ 80,00 consumação Msário @ Tupinikim Bar & Lounge Sexta-feira, 06 de novembro, a partir das 22h Rua das Monções, 585 – Santo André, SP Ingressos: R$15,00 (mulheres VIP até 00h)
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Com muita positividade, Msário estreia carreira solo

por em 05/11/2015
P
or Rodrigo Amaral da Rocha
Oriundo do grupo de rap Pentágono, sucesso do gênero na década de 2000, Msário está lançando o seu primeiro trabalho em carreira solo, Sangue De Leão. Assim como fizeram os também ex-integrantes Rael e Apolo, o rapper também segue seus próprios passos na música, uma necessidade de comum acordo entre todos. “Nós sempre fomos influenciados por grupos como Wu Tang Clan, caras que trabalham em grupos com carreiras solos em paralelo. Sempre tivemos essa meta”, explica ele sobre o fim saudável do grupo. “O Rael foi o primeiro a seguir esse caminho. Assim que saiu o Ainda Bem Que Segui As Batidas Do Meu Coração, vimos esta necessidade de ser este o momento. Com “James Brown e Bob Marley no coração” e “Racionais e RZO na cabeça”, o primeiro trabalho de estúdio de Msário traz muito esta junção entre o rap, o reggae e as suas variedades. Num momento em que o hip hop aumenta sua popularidade no Brasil e no mundo e as festas de dub dominam cada vez mais as periferias, o rapper aparece para fazer parte dessas duas cenas. As participações no Sangue De Leão refletem esta mistura: Rael e Apolo, do Pentágono, os rappers Max B.O. e Kamau, Junior Dread e a cantora Izzy Gordon. Como está sendo trabalhar sozinho em vez de fazer parte do Pentágono? No Pentágono eu sempre estava dividindo as músicas com alguém, por mais que a ideia fosse minha. A minha parte era só uma fatia do bolo. Agora nessa fase solo, tem esse lance de serem só ideias minhas. Pude desenvolver melhor as ideias das músicas, os ritmos que queria usar. Sangue De Leão tem uma presença bem forte do ragga e do dub... No Pentágono a gente já misturava, né, muito por influência minha. Eu era o cara do reggae no grupo. Então quis trazer isso para o meu disco. Eu me juntei ao Bruno Dupre e ao Jeff Boto, um dos maiores produtores de reggae do país, e foi a junção perfeita. E hoje, como você avalia o rap? Naquela época que a gente começou, nós lutávamos para o rap se tornar o que ele é hoje. O Pentágono sempre falou muito sobre você acreditar no seu sonho, independente da dificuldade. Hoje, o rap é muito isso. O rap não é só mais para negro ou para a periferia, o rap está em todo o lugar e se mistura com diversos estilos musicais. A cena de hoje é só uma consequência do que a gente lutou no passado. Msário se apresenta dias 05 e 06 de novembro em São Paulo. Msário/ Festa Abase @ Clash Club -  Quinta-feira, 05 de novembro, às 23h Rua Barra Funda, 969 – São Paulo. Ingressos: Mulheres: VIP com lista*; sem lista: R$30,00 entrada ou R$60,00 consumação | Homens: com lista* R$30,00 entrada ou R$ 60,00 cons; sem lista: R$40,00 entrada ou R$ 80,00 consumação Msário @ Tupinikim Bar & Lounge Sexta-feira, 06 de novembro, a partir das 22h Rua das Monções, 585 – Santo André, SP Ingressos: R$15,00 (mulheres VIP até 00h)