NOTÍCIAS

Dia Internacional da Mulher: top 10 clipes de girl groups

por em 08/03/2015

Por Andrew Unterberger

Desde o advento da MTV, o videoclipe tem sido uma parte fundamental da experiência do girl group. Algumas formações fizeram carreira com um vídeo atraente, tiveram suas imagens sedimentadas e tornaram-se uma parte da história da cultura pop. É difícil imaginar uma época em que você não podia ver um clipe do mais novo grupo de garotas e instantaneamente saber tudo o que precisava sobre elas – aparências, personalidades individuais e coletivas, até mesmo a relação com todos os outros grupos de meninas que viram antes. (E, fala sério, imagine os vídeos incríveis que as Supremes ou o Shangri-Las teriam feito?)

Aqui está a lista Billboard dos 10 vídeos mais icônicos de grupos femininos. Só vídeos que alcançaram uma grande popularidade dentro os EUA foram incluídos, uma vez que esta é uma lista de vídeos que os fãs do pop devem ser capazes de lembrar instantaneamente. E se você notar que faz algum tempo desde que foi lançado o último vídeo desta lista... Bem, cabe à próxima geração de grupos femininos mudar essa história.

10) The Go-Go's, "Our Lips Are Sealed" (1981, dir. Derek Burbidge)

The Go-Go's não era um grupo de garotas tradicional – como autoras e cantoras de todas as suas canções, elas tinham um grau de autonomia musical que não era comum para a maioria desses grupos – mas elas ainda assim foram responsáveis por uma boa parte das melhores canções e vídeos pop exibidos nos primeiros dias da MTV. Os melhor (e mais pop) foi "Our Lips Are Sealed", que apresentou as meninas dirigindo conversíveis e se divertindo em fontes de água na ensolarada Califórnia, alternadas com cenas  cenas das Go-Go’s tocando em uma casa noturna.

O grupo não queria nem fazer o vídeo, mas você nunca perceberia assistindo a ele; as garotas parecem estar se divertindo muito, a sua jovialidade e energia combinam perfeitamente com a batida da música e com a melodia enérgica. Desde a primeira cena da banda dando passos desajeitados no ritmo, elas parecem as irmãs mais velhas legais dos anos 80 e a personalidade do simpático vídeo ajudou a consolidá-las entre as maiores estrelas dos primeiros anos da MTV.

9) Bananarama, "Cruel Summer" (1983, dir. Brian Simmons)

Outro grupo feminino surgido da new wave com um vídeo musical fazendo palhaçada em uma grande cidade dos EUA. Dessa vez, é o trio inglês Bananarama, em sua primeira visita a Big Apple. As meninas usam macacões de pintor e pulam e batem palmas em uníssono enquanto trabalham em um posto de gasolina, fazem amizade com um motorista de caminhão local e entram em conflito com a polícia. A cena de abertura não foi o único tropeço das meninas – de acordo com a cantora Siobhan Fahey, o grupo exausto experimentou cocaína pela primeira vez no meio da filmagem, resultando em uma mistura estranha de baixa energia e de alta energia ao longo de todo o vídeo (que, na verdade, acaba sendo uma representação perfeita da mistura de excitação maníaca e opressão sugadora de vida do verão).

Tanto a música quanto o vídeoforam grandes hitspara o Bananarama, trazendo-lhes sucesso nos EUA, algo que durou a maior parte dosanos 80– emborahoje a imagem restanteda bandaainda seja das meninasnaquelesmacacões dançando com a vista de Manhattan.

8) Wilson Phillips, "Hold On" (1990, dir. Julien Temple)

Não são muitos osvídeosde gruposfemininos que começam comvistasdeslumbrantes decadeias de montanhasnevadas.Maso clipe de "Hold On", das WilsonPhillips–osupergrupodefilhas deastros do rockfamososdos anos 60–,abraça o som arejado, expansivo dosingle, apresentando o grupoem váriosambientes naturais. As meninassão vistas deitadas em formações rochosas, inclinando-se contra as árvorese fazendo desenhos na areia,com o Sul da Califórniacoestrelando. A imagemmais lembradadovídeo, no entanto, é a dotriovestidotodo de pretoem umaVenice Beach lotada, caminhando agressivamentepelo calçadãoem direção à câmera, confrontando o espectador coma mensagem deresistência damúsica, bem na hora em que o último refrão começa.

"Hold On" foi o primeiro de três hits no topo das paradas seguidos das Wilson Phillips, fazendo do grupo presença constante na MTV na virada da década e breves ícones pop. A música e o vídeo duraram bem para o próximo século, inspirando cenas de pessoas cantando juntas  em comédias de sucesso. E você provavelmente poderá ainda encontrar grupos de mulheres em seus 30 e 40 anos no calçadão de Venice Beach hoje recriando a famosa cena do clipe.

7) En Vogue, "My Lovin' (You're Never Gonna Get It)" (1992, dir. Matthew Rolston)

O En Vogue praticamente não fez vídeo nos anos 90 que não fosse icônico de alguma forma, seja no look retrô anos 60 de "Giving Him Something He Can Feel," o conflituoso desfile na passarela de "Free Your Mind" ou a performance altamente dramática de "Don’t Let Go". Mas a sua obra-prima na MTV é, inquestionavelmente, o vídeo de "My Lovin'", no qual o grupo apresenta uma dança de girl group perfeitamente coreografada, usando vestidos de lantejoulas prata de parar o trânsito numa cena, e girando em igualmente impressionantes conjuntos com babados em torno de uma barra paralela em outro, tudo brilhantemente iluminado e emoldurado pelo diretor Matthew Rolston para alcançar o máximo efeito pop.

Os looks são ousados, mas totalmente clássicos, e as damas do En Vogue arrasam neles. O vídeo elevou o patamar para todos os clipes do En Vogue que vieram depois, se tornou um dos clipes mais inesquecíveis do início dos anos 90, foi nomeado para um monte de VMAs e transformou as cantoras em superstars consagradas.

6) Salt-N-Pepa, "None Of Your Business" (1993, dir. Matthew Rolston)

O status do Salt-N-Pepa como um dos grupos de rap feminino mais populares e importantes de todos os tempos sempre esteve ligado a seus vídeos musicais, que remonta aos dias em que as integrantes vestiam colants pretos, grandes joias e jaquetas de autopromoção no vídeo de "Push It", em 1987, e aos clipes de sucesso para os singles de seu álbum Very Necessary, de 1993. O terceiro single desse LP, "None Of Your Business", não foi tão popular como os dois primeiros (os clássicos do hip hop anos 90 "Shoop" e "Whatta Man"), mas o seu clipe foi o mais memorável – as três garotas vestindo roupas reveladoras, assistindo a um striptease masculino, e a luta na lama (de vez em quando, dando um banho de mangueira umas nas outras).

Sem dúvida, um clipe que quebrou barreiras na MTV do início dos anos 90, e que passa a imagem de empoderamento. A mensagem é: "vamos ser nós mesmas em nossas vidas pessoais". O vídeo também ajudou a consolidar o status do Salt-N-Pepa de meninas mais da pesada de 1993 – embora elas não precisassem de muita ajuda nesse quesito.

5) TLC, "Waterfalls" (1995, dir. F. Gary Gray)

Como o En Vogue, o TLC era um grupo de garotas feito sob medida para o meio “videoclíptico”, estourando na televisão com um conjunto de vídeos de arregalar os olhos e impressionantemente energéticos no início dos anos 90: "Ain't 2 Proud To Beg", "What About Your Friends" e "Hat 2 Da Back". Mas o grupo amadureceu muito antes do clássico LP CrazySexyCool, de 1995, e os vídeos para músicas mais discretas e ainda assim estonteantes, como "Red Light Special" e "Creep" (ambos dirigidos por Matthew Rolston, o grande nome da MTV do período) mostraram um TLC mais sexy e classudo, apesar que com a personalidade forte de sempre.

Tudo se consolidou com "Waterfalls", o vídeo musical mais famoso do grupo e um dos mais populares dos anos 90. Espécie de conto de alerta sobre os perigos do tráfico de drogas e sexo sem proteção, o clipe dirigido por F. Gary Gray divide seu tempo entre encenações de histórias da letra da música e cenas do trio cantando e dançando enquanto está em pé sobre a água, materializando-se e desmaterializando-se. Esse ambiente  deu ao TLC um evidente sentido de estar em outro mundo, como se fossem uma força benevolente pura de R&B envida para reinar ao longo da década. O público estava muito disposto a aceitar suas novas senhoras: "Waterfalls" foi premiado como Clipe do Ano, Clipe de Grupo e Escolha da Audiência no VMA daquele ano.

4) Spice Girls, "Wannabe" (1996, dir. Jhoan Camitz)

Elas eram praticamente desconhecidas para o público norte-americano quando o vídeo do single de estreia "Wannabe" – um passeio turbulento em plano sequencia com as meninas bagunçando alegremente algum evento inglês fino – estreou. Mas, até o final do clipe de quatro minutos, sabíamos absolutamente tudo o que precisávamos saber sobre as Spice Girls. Você percebe quais são as personalidades individuais de todas as cinco integrantes, a união contagiante do grupo e, mais importante, a ideia de  que elas estavam vindo para explodir tudo na música pop mundial e bagunçar geral.

Com "MMMBop", do Hanson (outro clipe efervescente construído em torno de uma sensação de impulso irrefreável, lançado alguns meses depois), o vídeo de "Wannabe" lançou um movimento juvenil na MTV e no rádio, avançando inexoravelmente para o estouro das boy bands adolescentes do pop do final dos anos 90. Assistindo "Wannabe" quase 20 anos depois, ainda é fácil perceber o porquê: o clipe era tão inebriante e incansável com a sua energia que ou faria do grupo a maior sensação do mundo ou seria ignorado por completo.

  

3) Destiny's Child, "Bills, Bills, Bills" (1999, dir. Darren Grant)

Gravado em um momento em que cada vídeo de hip hop e R&B tinha de parecer como se estivesse sendo filmado no ano de 2199, o vídeo de "Bills, Bills, Bills", do Destiny´s Child, restringe seu futurismo a um cenário de uma barbearia sobrenaturalmente brilhante e limpa e algumas roupas esquisitas (embora inegavelmente atraentes). Ainda assim, o vídeo é, em essência, quatro amigas em um salão de beleza, fofocando com desprezo sobre caras com quem estão saindo e, ao mesmo tempo, usando suas cadeiras do salão de beleza para algumas rotinas de dança ao estilo Cabaret.

O clipe provou que as meninasnão eramum grupo de um só sucesso(depois da estreia de "No, No, No")e abriu oprecedente paraa maioria de seustrabalhos seguintes:visual inovador,roupasexclusivas, e muitos rapazes que se achavam sem serem tudo isso(e seus merecidos foras em massa).

2) t.A.T.u., "All The Things She Said" (2002, dir. Ivan Shapovalov)

O vídeo de "All The Things She Said" merecemenção aquipor ser o primeirodeuma formaçãocom mais de uma mulher no qual o interesse amoroso das meninasnão era em um cara."All The Things She Said" causou um imenso alvoroçonaMTVnoinício dos anos00, com um clipesombrio deopressão sociale romancecondenadoque foi principalmentenotável por suascenaspicantesde beijosentresuascoestrelas adolescentes, sem falar em seusuniformes escolaresencharcados dechuva.

Alguns reclamaram deexploraçãonoclipe,alegando queele olhava com desejo para suas estrelasmenores de idadeeencorajava as pessoas afazerem o mesmo,enquanto outros o viram simplesmente como uma declaraçãoprovocativadeamor proibidoerebelião juvenil, a essência do rock.Ambos os ladosprovavelmentetinham sua dose de razão, mas o clipese tornou umdos mais famososdoinício do século 21, transformando rapidamente oduorussoem estrelaspopinternacionaise levando a umdesempenhoigualmente memorávelnosingle subsequente, "Not Gonna GetUs". NoMTV Movie Awardsdo ano seguinte, um exército inteiro demeninasvestindouniformeescolar do clipe ajudou a marcar o nome t.A.T.u. na história da música pop.

1) Pussycat Dolls com participação de Busta Rhymes, "Don't Cha" (2005, dir. Paul Hunter)

"Don't Cha" apresentou oPussycatDolls como umexército de sedução praticamente impossível de ser detido. E, claro,o ataqueera lideradopela incrivelmentesedutorabonecachefeNicoleScherzinger,vestindo um moletomcoma letra cheia de maldade fria dorefrão estampadana parte superior.

Era inevitável queamúsica e o vídeose tornassem imensos. E foi o que realmente aconteceu,com a cançãoesquentandoa paradaHot 100eo vídeo  estabelecendo o grupo como um dospilaresda MTVpara muita coisa que viria depois (embora nada tenha sido tão memorável).Scherzingeracabaria saindo do grupoe aformação original do Dolls se separaria, mas você ainda pode comprara blusa com o capuz brancodovídeo noeBaypor US$ 40.

 
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Dia Internacional da Mulher: top 10 clipes de girl groups

por em 08/03/2015

Por Andrew Unterberger

Desde o advento da MTV, o videoclipe tem sido uma parte fundamental da experiência do girl group. Algumas formações fizeram carreira com um vídeo atraente, tiveram suas imagens sedimentadas e tornaram-se uma parte da história da cultura pop. É difícil imaginar uma época em que você não podia ver um clipe do mais novo grupo de garotas e instantaneamente saber tudo o que precisava sobre elas – aparências, personalidades individuais e coletivas, até mesmo a relação com todos os outros grupos de meninas que viram antes. (E, fala sério, imagine os vídeos incríveis que as Supremes ou o Shangri-Las teriam feito?)

Aqui está a lista Billboard dos 10 vídeos mais icônicos de grupos femininos. Só vídeos que alcançaram uma grande popularidade dentro os EUA foram incluídos, uma vez que esta é uma lista de vídeos que os fãs do pop devem ser capazes de lembrar instantaneamente. E se você notar que faz algum tempo desde que foi lançado o último vídeo desta lista... Bem, cabe à próxima geração de grupos femininos mudar essa história.

10) The Go-Go's, "Our Lips Are Sealed" (1981, dir. Derek Burbidge)

The Go-Go's não era um grupo de garotas tradicional – como autoras e cantoras de todas as suas canções, elas tinham um grau de autonomia musical que não era comum para a maioria desses grupos – mas elas ainda assim foram responsáveis por uma boa parte das melhores canções e vídeos pop exibidos nos primeiros dias da MTV. Os melhor (e mais pop) foi "Our Lips Are Sealed", que apresentou as meninas dirigindo conversíveis e se divertindo em fontes de água na ensolarada Califórnia, alternadas com cenas  cenas das Go-Go’s tocando em uma casa noturna.

O grupo não queria nem fazer o vídeo, mas você nunca perceberia assistindo a ele; as garotas parecem estar se divertindo muito, a sua jovialidade e energia combinam perfeitamente com a batida da música e com a melodia enérgica. Desde a primeira cena da banda dando passos desajeitados no ritmo, elas parecem as irmãs mais velhas legais dos anos 80 e a personalidade do simpático vídeo ajudou a consolidá-las entre as maiores estrelas dos primeiros anos da MTV.

9) Bananarama, "Cruel Summer" (1983, dir. Brian Simmons)

Outro grupo feminino surgido da new wave com um vídeo musical fazendo palhaçada em uma grande cidade dos EUA. Dessa vez, é o trio inglês Bananarama, em sua primeira visita a Big Apple. As meninas usam macacões de pintor e pulam e batem palmas em uníssono enquanto trabalham em um posto de gasolina, fazem amizade com um motorista de caminhão local e entram em conflito com a polícia. A cena de abertura não foi o único tropeço das meninas – de acordo com a cantora Siobhan Fahey, o grupo exausto experimentou cocaína pela primeira vez no meio da filmagem, resultando em uma mistura estranha de baixa energia e de alta energia ao longo de todo o vídeo (que, na verdade, acaba sendo uma representação perfeita da mistura de excitação maníaca e opressão sugadora de vida do verão).

Tanto a música quanto o vídeoforam grandes hitspara o Bananarama, trazendo-lhes sucesso nos EUA, algo que durou a maior parte dosanos 80– emborahoje a imagem restanteda bandaainda seja das meninasnaquelesmacacões dançando com a vista de Manhattan.

8) Wilson Phillips, "Hold On" (1990, dir. Julien Temple)

Não são muitos osvídeosde gruposfemininos que começam comvistasdeslumbrantes decadeias de montanhasnevadas.Maso clipe de "Hold On", das WilsonPhillips–osupergrupodefilhas deastros do rockfamososdos anos 60–,abraça o som arejado, expansivo dosingle, apresentando o grupoem váriosambientes naturais. As meninassão vistas deitadas em formações rochosas, inclinando-se contra as árvorese fazendo desenhos na areia,com o Sul da Califórniacoestrelando. A imagemmais lembradadovídeo, no entanto, é a dotriovestidotodo de pretoem umaVenice Beach lotada, caminhando agressivamentepelo calçadãoem direção à câmera, confrontando o espectador coma mensagem deresistência damúsica, bem na hora em que o último refrão começa.

"Hold On" foi o primeiro de três hits no topo das paradas seguidos das Wilson Phillips, fazendo do grupo presença constante na MTV na virada da década e breves ícones pop. A música e o vídeo duraram bem para o próximo século, inspirando cenas de pessoas cantando juntas  em comédias de sucesso. E você provavelmente poderá ainda encontrar grupos de mulheres em seus 30 e 40 anos no calçadão de Venice Beach hoje recriando a famosa cena do clipe.

7) En Vogue, "My Lovin' (You're Never Gonna Get It)" (1992, dir. Matthew Rolston)

O En Vogue praticamente não fez vídeo nos anos 90 que não fosse icônico de alguma forma, seja no look retrô anos 60 de "Giving Him Something He Can Feel," o conflituoso desfile na passarela de "Free Your Mind" ou a performance altamente dramática de "Don’t Let Go". Mas a sua obra-prima na MTV é, inquestionavelmente, o vídeo de "My Lovin'", no qual o grupo apresenta uma dança de girl group perfeitamente coreografada, usando vestidos de lantejoulas prata de parar o trânsito numa cena, e girando em igualmente impressionantes conjuntos com babados em torno de uma barra paralela em outro, tudo brilhantemente iluminado e emoldurado pelo diretor Matthew Rolston para alcançar o máximo efeito pop.

Os looks são ousados, mas totalmente clássicos, e as damas do En Vogue arrasam neles. O vídeo elevou o patamar para todos os clipes do En Vogue que vieram depois, se tornou um dos clipes mais inesquecíveis do início dos anos 90, foi nomeado para um monte de VMAs e transformou as cantoras em superstars consagradas.

6) Salt-N-Pepa, "None Of Your Business" (1993, dir. Matthew Rolston)

O status do Salt-N-Pepa como um dos grupos de rap feminino mais populares e importantes de todos os tempos sempre esteve ligado a seus vídeos musicais, que remonta aos dias em que as integrantes vestiam colants pretos, grandes joias e jaquetas de autopromoção no vídeo de "Push It", em 1987, e aos clipes de sucesso para os singles de seu álbum Very Necessary, de 1993. O terceiro single desse LP, "None Of Your Business", não foi tão popular como os dois primeiros (os clássicos do hip hop anos 90 "Shoop" e "Whatta Man"), mas o seu clipe foi o mais memorável – as três garotas vestindo roupas reveladoras, assistindo a um striptease masculino, e a luta na lama (de vez em quando, dando um banho de mangueira umas nas outras).

Sem dúvida, um clipe que quebrou barreiras na MTV do início dos anos 90, e que passa a imagem de empoderamento. A mensagem é: "vamos ser nós mesmas em nossas vidas pessoais". O vídeo também ajudou a consolidar o status do Salt-N-Pepa de meninas mais da pesada de 1993 – embora elas não precisassem de muita ajuda nesse quesito.

5) TLC, "Waterfalls" (1995, dir. F. Gary Gray)

Como o En Vogue, o TLC era um grupo de garotas feito sob medida para o meio “videoclíptico”, estourando na televisão com um conjunto de vídeos de arregalar os olhos e impressionantemente energéticos no início dos anos 90: "Ain't 2 Proud To Beg", "What About Your Friends" e "Hat 2 Da Back". Mas o grupo amadureceu muito antes do clássico LP CrazySexyCool, de 1995, e os vídeos para músicas mais discretas e ainda assim estonteantes, como "Red Light Special" e "Creep" (ambos dirigidos por Matthew Rolston, o grande nome da MTV do período) mostraram um TLC mais sexy e classudo, apesar que com a personalidade forte de sempre.

Tudo se consolidou com "Waterfalls", o vídeo musical mais famoso do grupo e um dos mais populares dos anos 90. Espécie de conto de alerta sobre os perigos do tráfico de drogas e sexo sem proteção, o clipe dirigido por F. Gary Gray divide seu tempo entre encenações de histórias da letra da música e cenas do trio cantando e dançando enquanto está em pé sobre a água, materializando-se e desmaterializando-se. Esse ambiente  deu ao TLC um evidente sentido de estar em outro mundo, como se fossem uma força benevolente pura de R&B envida para reinar ao longo da década. O público estava muito disposto a aceitar suas novas senhoras: "Waterfalls" foi premiado como Clipe do Ano, Clipe de Grupo e Escolha da Audiência no VMA daquele ano.

4) Spice Girls, "Wannabe" (1996, dir. Jhoan Camitz)

Elas eram praticamente desconhecidas para o público norte-americano quando o vídeo do single de estreia "Wannabe" – um passeio turbulento em plano sequencia com as meninas bagunçando alegremente algum evento inglês fino – estreou. Mas, até o final do clipe de quatro minutos, sabíamos absolutamente tudo o que precisávamos saber sobre as Spice Girls. Você percebe quais são as personalidades individuais de todas as cinco integrantes, a união contagiante do grupo e, mais importante, a ideia de  que elas estavam vindo para explodir tudo na música pop mundial e bagunçar geral.

Com "MMMBop", do Hanson (outro clipe efervescente construído em torno de uma sensação de impulso irrefreável, lançado alguns meses depois), o vídeo de "Wannabe" lançou um movimento juvenil na MTV e no rádio, avançando inexoravelmente para o estouro das boy bands adolescentes do pop do final dos anos 90. Assistindo "Wannabe" quase 20 anos depois, ainda é fácil perceber o porquê: o clipe era tão inebriante e incansável com a sua energia que ou faria do grupo a maior sensação do mundo ou seria ignorado por completo.

  

3) Destiny's Child, "Bills, Bills, Bills" (1999, dir. Darren Grant)

Gravado em um momento em que cada vídeo de hip hop e R&B tinha de parecer como se estivesse sendo filmado no ano de 2199, o vídeo de "Bills, Bills, Bills", do Destiny´s Child, restringe seu futurismo a um cenário de uma barbearia sobrenaturalmente brilhante e limpa e algumas roupas esquisitas (embora inegavelmente atraentes). Ainda assim, o vídeo é, em essência, quatro amigas em um salão de beleza, fofocando com desprezo sobre caras com quem estão saindo e, ao mesmo tempo, usando suas cadeiras do salão de beleza para algumas rotinas de dança ao estilo Cabaret.

O clipe provou que as meninasnão eramum grupo de um só sucesso(depois da estreia de "No, No, No")e abriu oprecedente paraa maioria de seustrabalhos seguintes:visual inovador,roupasexclusivas, e muitos rapazes que se achavam sem serem tudo isso(e seus merecidos foras em massa).

2) t.A.T.u., "All The Things She Said" (2002, dir. Ivan Shapovalov)

O vídeo de "All The Things She Said" merecemenção aquipor ser o primeirodeuma formaçãocom mais de uma mulher no qual o interesse amoroso das meninasnão era em um cara."All The Things She Said" causou um imenso alvoroçonaMTVnoinício dos anos00, com um clipesombrio deopressão sociale romancecondenadoque foi principalmentenotável por suascenaspicantesde beijosentresuascoestrelas adolescentes, sem falar em seusuniformes escolaresencharcados dechuva.

Alguns reclamaram deexploraçãonoclipe,alegando queele olhava com desejo para suas estrelasmenores de idadeeencorajava as pessoas afazerem o mesmo,enquanto outros o viram simplesmente como uma declaraçãoprovocativadeamor proibidoerebelião juvenil, a essência do rock.Ambos os ladosprovavelmentetinham sua dose de razão, mas o clipese tornou umdos mais famososdoinício do século 21, transformando rapidamente oduorussoem estrelaspopinternacionaise levando a umdesempenhoigualmente memorávelnosingle subsequente, "Not Gonna GetUs". NoMTV Movie Awardsdo ano seguinte, um exército inteiro demeninasvestindouniformeescolar do clipe ajudou a marcar o nome t.A.T.u. na história da música pop.

1) Pussycat Dolls com participação de Busta Rhymes, "Don't Cha" (2005, dir. Paul Hunter)

"Don't Cha" apresentou oPussycatDolls como umexército de sedução praticamente impossível de ser detido. E, claro,o ataqueera lideradopela incrivelmentesedutorabonecachefeNicoleScherzinger,vestindo um moletomcoma letra cheia de maldade fria dorefrão estampadana parte superior.

Era inevitável queamúsica e o vídeose tornassem imensos. E foi o que realmente aconteceu,com a cançãoesquentandoa paradaHot 100eo vídeo  estabelecendo o grupo como um dospilaresda MTVpara muita coisa que viria depois (embora nada tenha sido tão memorável).Scherzingeracabaria saindo do grupoe aformação original do Dolls se separaria, mas você ainda pode comprara blusa com o capuz brancodovídeo noeBaypor US$ 40.