NOTÍCIAS

Em meio a números controversos, empresário do U2 fala sobre a parceria com a Apple

por em 11/09/2014
No
ltimo dia 9, a Apple realizou seu concorrido evento anual para apresentar os novos produtos, entre eles, o iPhone 6. Em paralelo, foi anunciado que o novo álbum do U2, Songs Of Innocence, estaria disponível de graça no iTunes para seus 500 milhões de usuários em 119 países onde o serviço de áudio está presente. Fontes disseram à Billboard americana que, desde então, a coletânea teve aproximadamente 200 mil downloads nos Estados Unidos. Entretanto, o porta-voz do Universal Music Group disse que esse número “é completamente impreciso” Enquanto a Apple afirma que “mais de meio bilhão de cópias” estão sendo “distribuídas”, na verdade nem todos os usuários estão ouvindo o álbum. A companhia coloca Songs Of Innocence na lista de “comprado”, na qual os arquivos podem ser ouvidos online ou baixados manualmente. Alguns consumidores podem, inclusive, escolher ouvir o álbum em outro site. O Beat Music e o iTunes Radio, da própria Apple, também oferecem o serviço de streaming do disco. A Billboard entrou em contato com varejistas, que estimam que o disco teria vendido entre 450 mil e 500 mil unidades nas semanas iniciais se tivesse sido lançado normalmente. Porém, por causa da exclusividade do iTunes, eles preveem uma venda de apenas 150 mil unidades nos primeiros dias. O U2 e o Universal Music Group enfrentarão alguns obstáculos com varejistas descontentes. Alguns dizem que a Target, uma das principais redes de lojas do país, tem como política não vender títulos que a princípio foram liberados digitalmente, como já fez anteriormente com um álbum da Beyoncé. O trabalho homônimo da cantora foi lançado com exclusividade pelo iTunes, privilegiando a Amazon. Para seduzir os lojistas, a Universal está oferecendo quatro faixas do álbum da banda irlandesa que a Apple não terá até novembro. Seletos revendedores poderão até ter mais algumas, já que a gravadora possui três faixas adicionais. O lançamento da Apple e todo o trabalho feito com publicidade podem, no entanto, trazer grandes benefícios financeiros para o U2 - a Universal planeja um plano bastante agressivo. O catálogo da banda foi colocado à venda por preços especiais “por tempo limitado” na página inicial da iTunes Music Store. Os álbuns de estúdio estão sendo vendidos por US$ 5,99, os discos ao vivo e as coletâneas por US$ 7,99, e as versões deluxe custam US$ 11,99. Além da parceria com a Apple, o U2 conseguiu boa publicidade recentemente com a execução da canção “Invisible” no Super Bowl – arrecadando mais de US$ 3 milhões para a organização RED, de Bono Vox, que luta contra a Aids, tuberculose e malária – e também com a apresentação no programa The Tonight Show with Jimmy Fallon. Em entrevista à Billboard americana, Guy Oseary, empresário do grupo, disse que as iniciativas do início do ano foram estratégias programadas: “Algumas oportunidades aparecem e o Super Bowl foi uma para a qual estávamos preparados. A banda trabalhou neste álbum por cinco anos, e a ideia de realizar alguns projetos no início do ano foi apenas para conectá-la novamente com o público e demonstrar que algo estava por vir. Fizemos o Jimmy Fallon e também participamos da trilha sonora de Mandela, apresentando a canção no Oscar. São ações para manter o U2 ativo. Nos últimos meses, conversamos com a Apple e eles são muito colaborativos, com visão de futuro, e tem um relacionamento muito forte com a banda. Tudo veio muito organicamente.”
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Em meio a números controversos, empresário do U2 fala sobre a parceria com a Apple

por em 11/09/2014
No
ltimo dia 9, a Apple realizou seu concorrido evento anual para apresentar os novos produtos, entre eles, o iPhone 6. Em paralelo, foi anunciado que o novo álbum do U2, Songs Of Innocence, estaria disponível de graça no iTunes para seus 500 milhões de usuários em 119 países onde o serviço de áudio está presente. Fontes disseram à Billboard americana que, desde então, a coletânea teve aproximadamente 200 mil downloads nos Estados Unidos. Entretanto, o porta-voz do Universal Music Group disse que esse número “é completamente impreciso” Enquanto a Apple afirma que “mais de meio bilhão de cópias” estão sendo “distribuídas”, na verdade nem todos os usuários estão ouvindo o álbum. A companhia coloca Songs Of Innocence na lista de “comprado”, na qual os arquivos podem ser ouvidos online ou baixados manualmente. Alguns consumidores podem, inclusive, escolher ouvir o álbum em outro site. O Beat Music e o iTunes Radio, da própria Apple, também oferecem o serviço de streaming do disco. A Billboard entrou em contato com varejistas, que estimam que o disco teria vendido entre 450 mil e 500 mil unidades nas semanas iniciais se tivesse sido lançado normalmente. Porém, por causa da exclusividade do iTunes, eles preveem uma venda de apenas 150 mil unidades nos primeiros dias. O U2 e o Universal Music Group enfrentarão alguns obstáculos com varejistas descontentes. Alguns dizem que a Target, uma das principais redes de lojas do país, tem como política não vender títulos que a princípio foram liberados digitalmente, como já fez anteriormente com um álbum da Beyoncé. O trabalho homônimo da cantora foi lançado com exclusividade pelo iTunes, privilegiando a Amazon. Para seduzir os lojistas, a Universal está oferecendo quatro faixas do álbum da banda irlandesa que a Apple não terá até novembro. Seletos revendedores poderão até ter mais algumas, já que a gravadora possui três faixas adicionais. O lançamento da Apple e todo o trabalho feito com publicidade podem, no entanto, trazer grandes benefícios financeiros para o U2 - a Universal planeja um plano bastante agressivo. O catálogo da banda foi colocado à venda por preços especiais “por tempo limitado” na página inicial da iTunes Music Store. Os álbuns de estúdio estão sendo vendidos por US$ 5,99, os discos ao vivo e as coletâneas por US$ 7,99, e as versões deluxe custam US$ 11,99. Além da parceria com a Apple, o U2 conseguiu boa publicidade recentemente com a execução da canção “Invisible” no Super Bowl – arrecadando mais de US$ 3 milhões para a organização RED, de Bono Vox, que luta contra a Aids, tuberculose e malária – e também com a apresentação no programa The Tonight Show with Jimmy Fallon. Em entrevista à Billboard americana, Guy Oseary, empresário do grupo, disse que as iniciativas do início do ano foram estratégias programadas: “Algumas oportunidades aparecem e o Super Bowl foi uma para a qual estávamos preparados. A banda trabalhou neste álbum por cinco anos, e a ideia de realizar alguns projetos no início do ano foi apenas para conectá-la novamente com o público e demonstrar que algo estava por vir. Fizemos o Jimmy Fallon e também participamos da trilha sonora de Mandela, apresentando a canção no Oscar. São ações para manter o U2 ativo. Nos últimos meses, conversamos com a Apple e eles são muito colaborativos, com visão de futuro, e tem um relacionamento muito forte com a banda. Tudo veio muito organicamente.”