NOTÍCIAS

Enrique Iglesias, veterano e sintonizado com as novas tendências; leia entrevista

Artista encerra especial latino da Billboard Brasil

por Marcos Lauro em 04/10/2016

Enrique tem um dos sobrenomes mais musicais da Espanha. Filho mais novo do cantor Julio Iglesias – figura muito presente no Brasil até os anos 1990 –, Enrique Iglesias é um nome estabelecido no que pode se chamar de música moderna latina. Saiu de cena o romantismo como mote principal e entraram o pop, o rock e as batidas eletrônicas. Para reforçar isso, Enrique sempre lança remixes das suas músicas em EPs ou singles.

FENÔMENO ESPANHOL, PABLO ALBORÁN TENTA CONQUISTAR (MAIS) PÚBLICO NO BRASIL

A Billboard Brasil conversou com Enrique sobre como é estar no topo do Hot 100 (ele já conseguiu a façanha duas vezes), ganhar Grammy, chegar aos 40 e gravar com Luan Santana:

Você já esteve duas vezes no topo do Hot 100, em 1999 e 2000 ("Bailando" e "Be With You"). O que mudou dessa época até agora (como pessoa e como artista)?
Eu acho que como pessoa não mudei muito. Eu ainda tenho os mesmos amigos e trabalho duro nas minhas músicas. Como artista, eu sempre tento mudar e progredir. A própria indústria tem mudado muito ao longo dos anos. As redes sociais, o mundo digital, streaming... Nós todos temos que nos adaptar e evoluir com as mudanças tecnológicas. Eu acho que é muito importante para ficar atualizado com a música.

ASTRO DO REGGAETON, MALUMA É UM DOS MAIORES NOMES DO POP LATINO URBANO

DO REALITY PARA OS PALCOS; CONHEÇA O CNCO

Você já ganhou muitos Grammy Latino e está concorrendo novamente em 2016. Virou rotina na sua carreira? Quão importante é ganhar um Grammy Latino para um artista que já está estabelecido como você?
Eu sempre disse que o melhor prêmio é a aceitação do público e realmente ainda acho isso. Na minha carreira, tive o privilégio de ganhar Grammy e outros prêmios. Nesse ano, “Duele El Corazón” está indicada como Canção do Ano e Gravação do Ano. Não digo que seja uma situação de rotina, mas é sempre gratificante quando seu trabalho e dedicação fazem uma canção ser reconhecido de alguma forma. Mas o mais importante é que ela já tinha sido aprovada pelo público e meus fãs, o que já é uma grande honra.

No ano passado você completou 40 anos e muitas pessoas dizem que é uma idade para a reflexão. A que conclusões você chegou sobre a sua carreira, por exemplo?
Reflexão? E que tempo eu tenho pra isso?!?! [risos] Não há tempo para nada! A verdade é que eu estou em um momento muito bom. Tento desfrutar plenamente do que faço e as coisas boas que acontecem comigo. Eu não estou pensando sobre o passado ou no que aconteceu, porque não paro de pensar sobre o que vem pela frente e nas novas músicas.

LALI ESPÓSITO: 24 ANOS E UMA CARREIRA DE GENTE GRANDE

TINI, UMA ARTISTA EM PLENA MUDANÇA

Ainda sente alguma resistência em países que não falam espanhol?
O crescimento da música latina é imenso e não vai parar. “Duele El Corazón” liderou a parada do iTunes em mais de 30 países e em 20 outros ficou no Top 5, incluindo lugares que não falam espanhol como Israel, França, Bulgária, Alemanha, Suíça e, claro, Brasil! “Bailando” tem dois bilhões de visualizações no YouTube (somando todas as versões). Música boa triunfa e agora há menos resistência em países que não falam espanhol.

Há muitos jovens fazendo sucesso no pop latino. Você segue esta cena?
Eu olho para tudo. Eu sempre escuto a música nova de todos os tipos e sigo as paradas da Billboard. Além dos artistas dos gêneros urbanos, já muito talento em novos nomes de todo o mundo.

ABRAHAM MATEO LANÇA “MI VECINA”; LEIA ENTREVISTA

J BALVIN TRABALHA PARA MUDAR A IMAGEM DA COLÔMBIA

Você faz muitas parcerias e colaborações. Como escolhe?
Tudo começa com a música. Eu nunca escrevo sobre um assunto já pensando em alguém para a colaboração. Quando os sons são gravados, aí sim surgem as ideias de quem poderia ser um bom complemento ali. No final do dia, o que eu busco é que o resultado final seja o melhor possível.

E como rolou a parceria com Luan Santana em “Bailando”?
“Bailando” é uma canção que tem me dado muitas recompensas. Imediatamente pensamos em fazer uma versão para o Brasil e pedi Luan, que concordou em fazê-lo. Para mim foi uma honra.

Você tem previsão para shows no Brasil?
Eu não posso esperar para ir ao Brasil e todos os dias exijo que meu empresário consiga viabilizar isso. Estamos planejando a turnê e espero ir ao Brasil muito em breve para compartilhar meu som ao vivo com o público!

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Enrique Iglesias, veterano e sintonizado com as novas tendências; leia entrevista

Artista encerra especial latino da Billboard Brasil

por Marcos Lauro em 04/10/2016

Enrique tem um dos sobrenomes mais musicais da Espanha. Filho mais novo do cantor Julio Iglesias – figura muito presente no Brasil até os anos 1990 –, Enrique Iglesias é um nome estabelecido no que pode se chamar de música moderna latina. Saiu de cena o romantismo como mote principal e entraram o pop, o rock e as batidas eletrônicas. Para reforçar isso, Enrique sempre lança remixes das suas músicas em EPs ou singles.

FENÔMENO ESPANHOL, PABLO ALBORÁN TENTA CONQUISTAR (MAIS) PÚBLICO NO BRASIL

A Billboard Brasil conversou com Enrique sobre como é estar no topo do Hot 100 (ele já conseguiu a façanha duas vezes), ganhar Grammy, chegar aos 40 e gravar com Luan Santana:

Você já esteve duas vezes no topo do Hot 100, em 1999 e 2000 ("Bailando" e "Be With You"). O que mudou dessa época até agora (como pessoa e como artista)?
Eu acho que como pessoa não mudei muito. Eu ainda tenho os mesmos amigos e trabalho duro nas minhas músicas. Como artista, eu sempre tento mudar e progredir. A própria indústria tem mudado muito ao longo dos anos. As redes sociais, o mundo digital, streaming... Nós todos temos que nos adaptar e evoluir com as mudanças tecnológicas. Eu acho que é muito importante para ficar atualizado com a música.

ASTRO DO REGGAETON, MALUMA É UM DOS MAIORES NOMES DO POP LATINO URBANO

DO REALITY PARA OS PALCOS; CONHEÇA O CNCO

Você já ganhou muitos Grammy Latino e está concorrendo novamente em 2016. Virou rotina na sua carreira? Quão importante é ganhar um Grammy Latino para um artista que já está estabelecido como você?
Eu sempre disse que o melhor prêmio é a aceitação do público e realmente ainda acho isso. Na minha carreira, tive o privilégio de ganhar Grammy e outros prêmios. Nesse ano, “Duele El Corazón” está indicada como Canção do Ano e Gravação do Ano. Não digo que seja uma situação de rotina, mas é sempre gratificante quando seu trabalho e dedicação fazem uma canção ser reconhecido de alguma forma. Mas o mais importante é que ela já tinha sido aprovada pelo público e meus fãs, o que já é uma grande honra.

No ano passado você completou 40 anos e muitas pessoas dizem que é uma idade para a reflexão. A que conclusões você chegou sobre a sua carreira, por exemplo?
Reflexão? E que tempo eu tenho pra isso?!?! [risos] Não há tempo para nada! A verdade é que eu estou em um momento muito bom. Tento desfrutar plenamente do que faço e as coisas boas que acontecem comigo. Eu não estou pensando sobre o passado ou no que aconteceu, porque não paro de pensar sobre o que vem pela frente e nas novas músicas.

LALI ESPÓSITO: 24 ANOS E UMA CARREIRA DE GENTE GRANDE

TINI, UMA ARTISTA EM PLENA MUDANÇA

Ainda sente alguma resistência em países que não falam espanhol?
O crescimento da música latina é imenso e não vai parar. “Duele El Corazón” liderou a parada do iTunes em mais de 30 países e em 20 outros ficou no Top 5, incluindo lugares que não falam espanhol como Israel, França, Bulgária, Alemanha, Suíça e, claro, Brasil! “Bailando” tem dois bilhões de visualizações no YouTube (somando todas as versões). Música boa triunfa e agora há menos resistência em países que não falam espanhol.

Há muitos jovens fazendo sucesso no pop latino. Você segue esta cena?
Eu olho para tudo. Eu sempre escuto a música nova de todos os tipos e sigo as paradas da Billboard. Além dos artistas dos gêneros urbanos, já muito talento em novos nomes de todo o mundo.

ABRAHAM MATEO LANÇA “MI VECINA”; LEIA ENTREVISTA

J BALVIN TRABALHA PARA MUDAR A IMAGEM DA COLÔMBIA

Você faz muitas parcerias e colaborações. Como escolhe?
Tudo começa com a música. Eu nunca escrevo sobre um assunto já pensando em alguém para a colaboração. Quando os sons são gravados, aí sim surgem as ideias de quem poderia ser um bom complemento ali. No final do dia, o que eu busco é que o resultado final seja o melhor possível.

E como rolou a parceria com Luan Santana em “Bailando”?
“Bailando” é uma canção que tem me dado muitas recompensas. Imediatamente pensamos em fazer uma versão para o Brasil e pedi Luan, que concordou em fazê-lo. Para mim foi uma honra.

Você tem previsão para shows no Brasil?
Eu não posso esperar para ir ao Brasil e todos os dias exijo que meu empresário consiga viabilizar isso. Estamos planejando a turnê e espero ir ao Brasil muito em breve para compartilhar meu som ao vivo com o público!