NOTÍCIAS

"Eu sou atrevida, mas não uma vadia", diz Fergie sobre seu novo álbum

por em 11/11/2014
Por
Steve Baltin Faz oito anos que Fergie lançou seu último álbum solo, The Dutchess. Apesar de o cenário da música pop ter mudado muito neste meio tempo, a esposa de Josh Duhamel e mãe de Axl está de volta ao Hot 100 americano com "L.A. Love (La La)", o primeiro single de seu segundo trabalho, com lançamento previsto para o começo de 2015. https://www.youtube.com/watch?v=GLyP0B2Q-R4 Recentemente, a cantora falou à Billboard sobre seu retorno às paradas, o disco que vem por aí e ainda revelou algumas de suas influências, como Amy Winehouse, Ed Sheeran, Robert Plant e Guns N’ Roses. Ser mãe está influenciando sua composição? Eu tenho algumas ideias de músicas para Axl, mas enquanto as músicas não são sobre ele, isso não muda muito. Eu sou basicamente a mesma menina louca que ouviu [o grupo de rap americano] N.W.A. a vida inteira. Então, eu não tenho nenhum limite real nesse sentido, exceto aqueles que eu sempre tive porque eu sou atrevida, mas não uma vadia. Eu nunca dormi com muitas pessoas, mas gosto de brincar com a minha sexualidade e de me divertir. Muito disso é com uma simples piscadela. Will.i.am está colaborando com seu novo álbum e, apesar de vocês já se conhecerem, os dois tiveram novas experiências individuais para compartilhar. Como isso interferiu no processo do trabalho? A parte boa é que o Will não tem a pressão de precisar ser o capitão do navio, como é no Black Eyed Peas. É muito mais sobre as minhas ideias e fazê-las render, do que tentar encaixá-las no grupo. Então, é uma experiência um pouco mais livre. Como é o meu disco, ele está me ajudando a dar vida às minhas ideias. Não há pressão em fazer com que não seja Fergie demais, é mais importante desenvolver o álbum com a paixão e o amor que tive pela música minha vida inteira e gravar aquilo que me move. Você já tem planos para fazer uma turnê? Agora há pouco eu estava em uma ligação agendando a turnê do ano que vem. Eu estou tão animada, porque tive uma boa pausa de shows. Você verá no vídeo que fiz que eu tenho essa vibe inacreditável de ônibus de festa, pode ver o quanto meu cérebro explodiu e o como eu expandi todas essas ideias. Eu sou tão apaixonada pelo visual, por como as músicas são apresentadas e quero ter certeza de que as pessoas estão recebendo o que eu vejo na minha cabeça, porque quando eu estou escrevendo ou cantando uma música, automaticamente vejo como quero apresentá-la. Eu fico muito animada para as pessoas verem o vídeo e perceberem a transição para o show ao vivo, porque penso muito nisso quando estou fazendo as músicas.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

"Eu sou atrevida, mas não uma vadia", diz Fergie sobre seu novo álbum

por em 11/11/2014
Por
Steve Baltin Faz oito anos que Fergie lançou seu último álbum solo, The Dutchess. Apesar de o cenário da música pop ter mudado muito neste meio tempo, a esposa de Josh Duhamel e mãe de Axl está de volta ao Hot 100 americano com "L.A. Love (La La)", o primeiro single de seu segundo trabalho, com lançamento previsto para o começo de 2015. https://www.youtube.com/watch?v=GLyP0B2Q-R4 Recentemente, a cantora falou à Billboard sobre seu retorno às paradas, o disco que vem por aí e ainda revelou algumas de suas influências, como Amy Winehouse, Ed Sheeran, Robert Plant e Guns N’ Roses. Ser mãe está influenciando sua composição? Eu tenho algumas ideias de músicas para Axl, mas enquanto as músicas não são sobre ele, isso não muda muito. Eu sou basicamente a mesma menina louca que ouviu [o grupo de rap americano] N.W.A. a vida inteira. Então, eu não tenho nenhum limite real nesse sentido, exceto aqueles que eu sempre tive porque eu sou atrevida, mas não uma vadia. Eu nunca dormi com muitas pessoas, mas gosto de brincar com a minha sexualidade e de me divertir. Muito disso é com uma simples piscadela. Will.i.am está colaborando com seu novo álbum e, apesar de vocês já se conhecerem, os dois tiveram novas experiências individuais para compartilhar. Como isso interferiu no processo do trabalho? A parte boa é que o Will não tem a pressão de precisar ser o capitão do navio, como é no Black Eyed Peas. É muito mais sobre as minhas ideias e fazê-las render, do que tentar encaixá-las no grupo. Então, é uma experiência um pouco mais livre. Como é o meu disco, ele está me ajudando a dar vida às minhas ideias. Não há pressão em fazer com que não seja Fergie demais, é mais importante desenvolver o álbum com a paixão e o amor que tive pela música minha vida inteira e gravar aquilo que me move. Você já tem planos para fazer uma turnê? Agora há pouco eu estava em uma ligação agendando a turnê do ano que vem. Eu estou tão animada, porque tive uma boa pausa de shows. Você verá no vídeo que fiz que eu tenho essa vibe inacreditável de ônibus de festa, pode ver o quanto meu cérebro explodiu e o como eu expandi todas essas ideias. Eu sou tão apaixonada pelo visual, por como as músicas são apresentadas e quero ter certeza de que as pessoas estão recebendo o que eu vejo na minha cabeça, porque quando eu estou escrevendo ou cantando uma música, automaticamente vejo como quero apresentá-la. Eu fico muito animada para as pessoas verem o vídeo e perceberem a transição para o show ao vivo, porque penso muito nisso quando estou fazendo as músicas.