NOTÍCIAS

Favela transformada por “Despacito” é destruída após furacão

Local que serviu de cenário para o clipe do hit latino estava recebendo mais turistas por causa do sucesso da música

por Redação em 10/10/2017

A esperança veio em forma de música para La Perla, uma favela a beira mar até então conhecida pela violência e por servir como o maior ponto de distribuição de heroína em Porto Rico.

O som de câmeras clicando e conversas animadas quebravam o silêncio das manhãs. Turistas caminhavam pelas ruas estreitas repletas de casas coloridas. Restaurantes e lojas estavam surgindo para receber os turistas atraídos para o local que serviu de cenário para o clipe do hit “Despacito”, visto bilhões de vezes desde seu lançamento, em janeiro deste ano.

LUIS FONSI CONTA COMO APROVEITA O SUCESSO DE “DESPACITO”

E então veio o furacão Maria, destruindo os cabos de energia, o serviço de fornecimento de água, os tetos das residências e as recém-instaladas placas que direcionavam os turistas para os locais retratados no vídeo.

Com o turismo em Porto Rico sendo interrompido abruptamente, os únicos visitantes de La Perla desde a tempestade em 20 de setembro tem sido trabalhadores que vão até o local para distribuir garrafas de água. “No momento, estamos todos deprimidos”, disse Carmen Perez, aposentada de 77 anos, moradora de La Perla.

despacito

Um dos negócios que fez sucesso após “Despacito”, o restaurante La Garita perdeu suas quatro paredes de concreto para o furacão e apenas a cozinha se manteve de pé.

“As pessoas nem cabiam aqui dentro”, disse o dono Ibilson Morales enquanto mostrava o espaço que o restaurante costumava ocupar. “Esse se tornou o bairro mais visitado de Porto Rico”.

A má reputação do bairro surgiu quando um antigo vídeo foi divulgado, mostrando um traficante atirando várias vezes em outro. Um matador de aluguel que se transformou em testemunha federal afirmou que os corpos das pessoas mortas em La Perla eram jogados no mar para que os tubarões se alimentassem.

5 FATOS SOBRE “DESPACITO”, O VÍDEO MAIS VISTO DE TODOS OS TEMPOS NO YOUTUBE

Uma linha amarela pintada em uma das estreitas ruas do bairro servia como limite para traficantes rivais, que chegavam a usar sapos venenosos para proteger o estoque de drogas.

Grande parte da atividade criminal chegou ao fim quando centenas de agentes norte-americanos se alocaram na favela em 2011 e prenderam dezenas de pessoas, inclusive um conhecido líder comunitário.

Iniciativas do governo e do setor privado foram criadas para tentar melhorar a situação do local. Uma nova padaria foi aberta e as casas foram pintadas com cores vibrantes. E aí, veio “Despacito”.

ENTREVISTA: ERIKA ENDER, AQUELE 1% BRASILEIRO DE “DESPACITO”

Os cantores portorriquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee escolheram a favela como cenário do clipe, que quebrou o recorde de vídeo mais visto no YouTube, ultrapassando a marca de três bilhões de visualizações. Os turistas começaram a aparecer, sendo bem recebidos pelos locais, que ofereciam comida e cerveja gelada. Muitos moradores de La Perla esperavam que a transformação ajudaria a garantir o futuro da comunidade e protegê-la dos interesses imobiliários, que há muito tem observado de perto a vizinhança para transformá-la.

A recente vibração no local até promoveu a visita do Secretário de Turismo da ilha, Jose Izquierdo. “Ninguém deu uma chance à La Perla. A música ajudou a romper com os estereótipos da comunidade e deu ao povo de La Perla a chance de se organizarem e tirarem vantagem desta oportunidade histórica”, disse durante visita.

Entre os que esperam que as oportunidades voltem para La Perla está Yentil Ramirez, de 26 anos, que trabalhava como guia em tours organizados pela vizinhança. Ela afirmou, ainda, que Luis Fonsi visitou o local recentemente e prometeu retornar em breve para ajudar nos esforços de reconstrução.

MALÁSIA PROÍBE “DESPACITO” APÓS RECLAMAÇÕES SOBRE “LETRA OBSCENA”

Fonsi se tornou o novo rosto da campanha turística do governo de Porto Rico, ganhando US$ 700 mil no contrato e cedendo o uso da música pela agência para as propagandas. Oficiais de Turismo da ilha afirmam que a busca por Porto Rico em sites de reserva de hotéis cresceu 45% nos meses anteriores ao furacão – algo que eles atribuíram à popularidade da música.

Atualmente, aqueles que voam para Porto Rico são voluntários e oficiais do governo que ajudam a reconstruir a ilha devastada pela tempestade de Categoria 4.

Oficiais de Turismo se encontraram recentemente com a líder local Yashira Gomez, filha do líder comunitário preso pelos norte-americanos em 2011. Eles a perguntaram quanto tempo ela acha que demorará para que La Perla volte a receber turistas.

“Dissemos para eles que precisamos de um mês ou dois, que vamos nos reerguer. Estamos procurando qualquer tipo de ajuda… para que os turistas voltem e vejam que La Perla continua linda, em pé e que estamos trabalhando duro para que ela brilhe como antes”.

As informações são da Associated Press.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Favela transformada por “Despacito” é destruída após furacão

Local que serviu de cenário para o clipe do hit latino estava recebendo mais turistas por causa do sucesso da música

por Redação em 10/10/2017

A esperança veio em forma de música para La Perla, uma favela a beira mar até então conhecida pela violência e por servir como o maior ponto de distribuição de heroína em Porto Rico.

O som de câmeras clicando e conversas animadas quebravam o silêncio das manhãs. Turistas caminhavam pelas ruas estreitas repletas de casas coloridas. Restaurantes e lojas estavam surgindo para receber os turistas atraídos para o local que serviu de cenário para o clipe do hit “Despacito”, visto bilhões de vezes desde seu lançamento, em janeiro deste ano.

LUIS FONSI CONTA COMO APROVEITA O SUCESSO DE “DESPACITO”

E então veio o furacão Maria, destruindo os cabos de energia, o serviço de fornecimento de água, os tetos das residências e as recém-instaladas placas que direcionavam os turistas para os locais retratados no vídeo.

Com o turismo em Porto Rico sendo interrompido abruptamente, os únicos visitantes de La Perla desde a tempestade em 20 de setembro tem sido trabalhadores que vão até o local para distribuir garrafas de água. “No momento, estamos todos deprimidos”, disse Carmen Perez, aposentada de 77 anos, moradora de La Perla.

despacito

Um dos negócios que fez sucesso após “Despacito”, o restaurante La Garita perdeu suas quatro paredes de concreto para o furacão e apenas a cozinha se manteve de pé.

“As pessoas nem cabiam aqui dentro”, disse o dono Ibilson Morales enquanto mostrava o espaço que o restaurante costumava ocupar. “Esse se tornou o bairro mais visitado de Porto Rico”.

A má reputação do bairro surgiu quando um antigo vídeo foi divulgado, mostrando um traficante atirando várias vezes em outro. Um matador de aluguel que se transformou em testemunha federal afirmou que os corpos das pessoas mortas em La Perla eram jogados no mar para que os tubarões se alimentassem.

5 FATOS SOBRE “DESPACITO”, O VÍDEO MAIS VISTO DE TODOS OS TEMPOS NO YOUTUBE

Uma linha amarela pintada em uma das estreitas ruas do bairro servia como limite para traficantes rivais, que chegavam a usar sapos venenosos para proteger o estoque de drogas.

Grande parte da atividade criminal chegou ao fim quando centenas de agentes norte-americanos se alocaram na favela em 2011 e prenderam dezenas de pessoas, inclusive um conhecido líder comunitário.

Iniciativas do governo e do setor privado foram criadas para tentar melhorar a situação do local. Uma nova padaria foi aberta e as casas foram pintadas com cores vibrantes. E aí, veio “Despacito”.

ENTREVISTA: ERIKA ENDER, AQUELE 1% BRASILEIRO DE “DESPACITO”

Os cantores portorriquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee escolheram a favela como cenário do clipe, que quebrou o recorde de vídeo mais visto no YouTube, ultrapassando a marca de três bilhões de visualizações. Os turistas começaram a aparecer, sendo bem recebidos pelos locais, que ofereciam comida e cerveja gelada. Muitos moradores de La Perla esperavam que a transformação ajudaria a garantir o futuro da comunidade e protegê-la dos interesses imobiliários, que há muito tem observado de perto a vizinhança para transformá-la.

A recente vibração no local até promoveu a visita do Secretário de Turismo da ilha, Jose Izquierdo. “Ninguém deu uma chance à La Perla. A música ajudou a romper com os estereótipos da comunidade e deu ao povo de La Perla a chance de se organizarem e tirarem vantagem desta oportunidade histórica”, disse durante visita.

Entre os que esperam que as oportunidades voltem para La Perla está Yentil Ramirez, de 26 anos, que trabalhava como guia em tours organizados pela vizinhança. Ela afirmou, ainda, que Luis Fonsi visitou o local recentemente e prometeu retornar em breve para ajudar nos esforços de reconstrução.

MALÁSIA PROÍBE “DESPACITO” APÓS RECLAMAÇÕES SOBRE “LETRA OBSCENA”

Fonsi se tornou o novo rosto da campanha turística do governo de Porto Rico, ganhando US$ 700 mil no contrato e cedendo o uso da música pela agência para as propagandas. Oficiais de Turismo da ilha afirmam que a busca por Porto Rico em sites de reserva de hotéis cresceu 45% nos meses anteriores ao furacão – algo que eles atribuíram à popularidade da música.

Atualmente, aqueles que voam para Porto Rico são voluntários e oficiais do governo que ajudam a reconstruir a ilha devastada pela tempestade de Categoria 4.

Oficiais de Turismo se encontraram recentemente com a líder local Yashira Gomez, filha do líder comunitário preso pelos norte-americanos em 2011. Eles a perguntaram quanto tempo ela acha que demorará para que La Perla volte a receber turistas.

“Dissemos para eles que precisamos de um mês ou dois, que vamos nos reerguer. Estamos procurando qualquer tipo de ajuda… para que os turistas voltem e vejam que La Perla continua linda, em pé e que estamos trabalhando duro para que ela brilhe como antes”.

As informações são da Associated Press.