NOTÍCIAS

Flaming Lips tenta fazer fãs embarcarem em viagem difícil

por em 29/03/2013
Imagem: Divulgação

Para alguns poucos devotos, foi um show ousado e intenso. Para outros, uma provação necessária para garantir um bom lugar para conferir The Killers, a banda que fecha o primeiro dia do Lollapalooza Brasil. Ainda assim, provavelmente apenas cerca de 5 mil dos 52 mil presentes (número divulgado pelos organizadores) prestaram atenção até o final da apresentação dos Flaming Lips.

Com um disco recém-lançado, The Terror, cujo repertório é pouco palatável a ouvidos pop e desconhecido até dos fãs, o grupo americano Lips abusou das baladas arrastadas e climáticas na primeira hora de sua apresentação.

Os efeitos visuais que costumam marcar as apresentaçãos da banda foram renovados, porém bem menos impactantes do que a famosa bolha - atualmente adotada pelo sertanejo Sorocaba - e outros truques do passado. Vestido com um casaco brilhoso azul-turquesa, o vocalista Wayne Coyne ficou durante as primeiras seis músicas com uma boneca no colo, tal qual um bebê recém-nascido.

"Ela está acostumada com música alta", brincou, bem-humorado. Filamentos com aparência de matéria orgânica (cordões umbilicais??) ligados ao nenê disparavam luzes em uma estrutura emaranhada atrás de Coyne. O sono do boneco não foi interrompido por hits animados e esperados como "She Don't Use Jelly". Só no final os fãs puderam se deleitar com "Yoshimi Battles the Pink Robots, Pt. 1" e o hino neo-hippie "Do You Realize?".

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Flaming Lips tenta fazer fãs embarcarem em viagem difícil

por em 29/03/2013
Imagem: Divulgação

Para alguns poucos devotos, foi um show ousado e intenso. Para outros, uma provação necessária para garantir um bom lugar para conferir The Killers, a banda que fecha o primeiro dia do Lollapalooza Brasil. Ainda assim, provavelmente apenas cerca de 5 mil dos 52 mil presentes (número divulgado pelos organizadores) prestaram atenção até o final da apresentação dos Flaming Lips.

Com um disco recém-lançado, The Terror, cujo repertório é pouco palatável a ouvidos pop e desconhecido até dos fãs, o grupo americano Lips abusou das baladas arrastadas e climáticas na primeira hora de sua apresentação.

Os efeitos visuais que costumam marcar as apresentaçãos da banda foram renovados, porém bem menos impactantes do que a famosa bolha - atualmente adotada pelo sertanejo Sorocaba - e outros truques do passado. Vestido com um casaco brilhoso azul-turquesa, o vocalista Wayne Coyne ficou durante as primeiras seis músicas com uma boneca no colo, tal qual um bebê recém-nascido.

"Ela está acostumada com música alta", brincou, bem-humorado. Filamentos com aparência de matéria orgânica (cordões umbilicais??) ligados ao nenê disparavam luzes em uma estrutura emaranhada atrás de Coyne. O sono do boneco não foi interrompido por hits animados e esperados como "She Don't Use Jelly". Só no final os fãs puderam se deleitar com "Yoshimi Battles the Pink Robots, Pt. 1" e o hino neo-hippie "Do You Realize?".