NOTÍCIAS

Grupo usa rap para popularizar o Universo em Desencanto

por em 13/11/2015
P
or Marcos Lauro
“Não é história, não é doutrina, não é ciência, seita ou religião/É coisa limpa, é coisa pura, para o caminho da eterna salvação”. Esses são versos de Tim Maia, retirados da música “Quer Queira Quer Não Queira”, que faz parte de uma das viagens mais complexas e ricas da história da música brasileira, o disco Racional. Dividido em dois volumes, lançados em 1975 e 1976, o trabalho serviu para apresentar a Cultura Racional ao grande público. Se tornou praticamente uma lenda urbana depois que Tim Maia rompeu com a Cultura Racional e renegou o disco e as mensagens que ele transmitia. Em 2006, o álbum ganhou uma versão oficial em CD, lançado pela gravadora Trama, depois do raro vinil original alcançar valores astronômicos e de CDs piratas rodarem lojas de todo o país. Com ou sem Tim Maia, a Cultura Racional seguiu seu caminho – é comum ver até hoje alguns integrantes da seita reunidos no centro de São Paulo ou do Rio de Janeiro. E agora chega um novo trabalho para expor as ideias, dessa vez em rap: o grupo Filhos do Racional Superior. divulgação “Saí da RedeTV! em 2005. Não estava num momento legal e queria encontrar respostas pra minha vida. Sou jornalista e resolvi fazer um documentário sobre Alto Paraíso [cidade de Goiás importante para místicos de todo o país]. Lá na rodoviária, conheci um hippie, que me falou sobre a Cultura Racional”, conta Luiz Rodrigues, o MC e compositor do grupo. A entrada na música, assim como o conhecimento do “universo em desencanto”, foi natural. “Nunca cantei, mas sempre ouvi rap. Queria transmitir o bem que isso me faz. Em 2011, recebi um folheto da Cultura Racional e fiz uma letra em cima daquilo. Convenci o Igor Muniz, produtor, e saiu”, disse o MC. O som é didático. A ideia do grupo, composto também por Ricardo Rodrigues, é desenvolver o raciocínio do ouvinte, fazer com que ele se conheça para que conheça melhor o mundo em que vive. Tim Maia, quando rompeu com a seita, saiu falando mal de tudo e de todos. Seria o Tim uma imagem positiva para as ideias do Universo em Desencanto ainda hoje? “O Tim Maia sempre vai ser o maior divulgador das nossas ideias. Ele era intenso, era uma árvore que cresceu demais e a raiz não suportou. Ele falou da Cultura Racional de forma abstrata, nem todo mundo captou a mensagem. Nós somos mais diretos, é rap”, responde o MC. O terceiro disco do grupo, FRS RAP, foi lançado no final de outubro no SoundCloud. São 13 faixas que falam sobre a Cultura Racional. Luiz Rodrigues promete um acústico para o próximo trabalho do grupo. Ouça:
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Grupo usa rap para popularizar o Universo em Desencanto

por em 13/11/2015
P
or Marcos Lauro
“Não é história, não é doutrina, não é ciência, seita ou religião/É coisa limpa, é coisa pura, para o caminho da eterna salvação”. Esses são versos de Tim Maia, retirados da música “Quer Queira Quer Não Queira”, que faz parte de uma das viagens mais complexas e ricas da história da música brasileira, o disco Racional. Dividido em dois volumes, lançados em 1975 e 1976, o trabalho serviu para apresentar a Cultura Racional ao grande público. Se tornou praticamente uma lenda urbana depois que Tim Maia rompeu com a Cultura Racional e renegou o disco e as mensagens que ele transmitia. Em 2006, o álbum ganhou uma versão oficial em CD, lançado pela gravadora Trama, depois do raro vinil original alcançar valores astronômicos e de CDs piratas rodarem lojas de todo o país. Com ou sem Tim Maia, a Cultura Racional seguiu seu caminho – é comum ver até hoje alguns integrantes da seita reunidos no centro de São Paulo ou do Rio de Janeiro. E agora chega um novo trabalho para expor as ideias, dessa vez em rap: o grupo Filhos do Racional Superior. divulgação “Saí da RedeTV! em 2005. Não estava num momento legal e queria encontrar respostas pra minha vida. Sou jornalista e resolvi fazer um documentário sobre Alto Paraíso [cidade de Goiás importante para místicos de todo o país]. Lá na rodoviária, conheci um hippie, que me falou sobre a Cultura Racional”, conta Luiz Rodrigues, o MC e compositor do grupo. A entrada na música, assim como o conhecimento do “universo em desencanto”, foi natural. “Nunca cantei, mas sempre ouvi rap. Queria transmitir o bem que isso me faz. Em 2011, recebi um folheto da Cultura Racional e fiz uma letra em cima daquilo. Convenci o Igor Muniz, produtor, e saiu”, disse o MC. O som é didático. A ideia do grupo, composto também por Ricardo Rodrigues, é desenvolver o raciocínio do ouvinte, fazer com que ele se conheça para que conheça melhor o mundo em que vive. Tim Maia, quando rompeu com a seita, saiu falando mal de tudo e de todos. Seria o Tim uma imagem positiva para as ideias do Universo em Desencanto ainda hoje? “O Tim Maia sempre vai ser o maior divulgador das nossas ideias. Ele era intenso, era uma árvore que cresceu demais e a raiz não suportou. Ele falou da Cultura Racional de forma abstrata, nem todo mundo captou a mensagem. Nós somos mais diretos, é rap”, responde o MC. O terceiro disco do grupo, FRS RAP, foi lançado no final de outubro no SoundCloud. São 13 faixas que falam sobre a Cultura Racional. Luiz Rodrigues promete um acústico para o próximo trabalho do grupo. Ouça: