NOTÍCIAS

Gwen Stefani fala sobre volta aos palcos e amizade com Pharrell em entrevista

por em 22/01/2015
Gwen
Stefani teve um 2014 agitado. Da gravidez “inesperada” ao convite para ser jurada do The Voice, a cantora teve de se dividir para dar conta de todos os seus compromissos e, no próximo mês, já retorna aos palcos como artista solo. Em entrevista à Billboard, Gwen falou sobre a ansiedade de voltar a fazer shows, seu novos projetos e a amizade, que rende hits, com Pharrell Williams. Como você está processando este ano agitado que teve? Como o tempo passa rápido, né? É muita informação em um período muito curto de tempo, e são muitas surpresas... Por isso, esta parceria com a MasterCard encaixou tanto. São todas essas “Priceless Suprises” ["surpresas que não têm preço", nome da campanha em tradução livre]. O ano passado tive o choque de ficar grávida e foi um presente que nós não estávamos planejando. Logo depois, fui convidada para participar do The Voice e levei um susto. Nunca havia considerado esta possibilidade, mas senti que a decisão certa era aceitar o convite. E é incrível como aquilo foi inspirador, e também passou muito rápido! Foram coisas que eram para acontecer. Ter um bebê, estar num programa, estar cercada de toda aquela música, estar com Pharrell e enxergar a música de uma outra maneira. Pensando no que eu fiz... Foi um período muito interessante e reflexivo. Você tem divulgado canções. É um aquecimento para o novo álbum? Obviamente. Eu estou fazendo um novo disco e quis divulgar novas músicas durante o tempo em que estive no The Voice. Então, Pharrell e eu fizemos “Spark The Fire”, e eu compus uma música com Ryan Tedder e Benny Blanco chamada “Baby Don’t Lie”. Eu quis lançar o álbum e poderia, mas você sabe quando sente que não está tudo pronto? Por isso, decidi desacelerar as coisas um pouco e agora estou trabalhando nesta ideia do show. Tive de ouvir minhas músicas antigas de novo após muito tempo. Mas tem sido muito inspirador, porque é como uma competição comigo mesma. Eu penso: “Como fiz isso? Queria fazer isso de novo”. Você tem feito parcerias com Pharrell desde “Hella Good”, do No Doubt, lançada em 2001. Como seus filhos, agora mais velhos, processam esta amizade,considerando que ele é o autor de hits como “Happy”, “Blurred Lines” e “Get Lucky”? Eles são grandes fãs dele. É muito estranho porque eles sequer sabem de todos os trabalho que já fiz com Pharrell. Eu digo: “Gente, eu conheço Pharrell! Trabalhei com ele”. E eles perguntam se ele era meu namorado [risos]. Eles são realmente fãs. Eu enviei um vídeo dos meus filhos dançando “Happy” para ele, logo depois que tive o bebê. E ele me escreveu de volta dizendo: “Meu Deus! É muito bom receber isso de você. Eu sei que é cedo, mas você não gostaria de tocar no Coachella?”. Eu fiqueisurpresa. “Eu ainda estou tentando andar!”, respondi. Mas eu realmente quis fazer aquilo e apresentar “Hollaback Girl” com ele. Então, a primeira vez em que sai de casa depois de dar à luz foi para subir ao palco com Pharrell. Um dos meus filhos estava dormindo, mas o outro assistiu e foi incrível. Foi o início de um novo capítulo. Quais das suas canções antigas têm sido mais divertidas de revisitar? Músicas como “Yummy” – aquela letra é maluca. Eu ouço e penso: “O que eu estava fazendo?”. Pharrell é muito criativo. Eu me lembro dessa época e percebo que ele era a mesma pessoa que é hoje. Sempre foi muito positivo e muito seguro de que nunca queria se repetir. Seu pensamento era e ainda é algo do tipo: “Como posso fazer alguma coisa diferente e nova, que não soe parecida com nada?”. Eu olho pra trás, lembro do disco e penso que queria ter tido mais tempo para fazer mais singles. Tenho certeza de que muitas pessoas irão ao show para ouvir “What You Waiting For”, “Sweet Escape” e “Hollaback Girl". Mas há outras que eu quero compartilhar no show.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Gwen Stefani fala sobre volta aos palcos e amizade com Pharrell em entrevista

por em 22/01/2015
Gwen
Stefani teve um 2014 agitado. Da gravidez “inesperada” ao convite para ser jurada do The Voice, a cantora teve de se dividir para dar conta de todos os seus compromissos e, no próximo mês, já retorna aos palcos como artista solo. Em entrevista à Billboard, Gwen falou sobre a ansiedade de voltar a fazer shows, seu novos projetos e a amizade, que rende hits, com Pharrell Williams. Como você está processando este ano agitado que teve? Como o tempo passa rápido, né? É muita informação em um período muito curto de tempo, e são muitas surpresas... Por isso, esta parceria com a MasterCard encaixou tanto. São todas essas “Priceless Suprises” ["surpresas que não têm preço", nome da campanha em tradução livre]. O ano passado tive o choque de ficar grávida e foi um presente que nós não estávamos planejando. Logo depois, fui convidada para participar do The Voice e levei um susto. Nunca havia considerado esta possibilidade, mas senti que a decisão certa era aceitar o convite. E é incrível como aquilo foi inspirador, e também passou muito rápido! Foram coisas que eram para acontecer. Ter um bebê, estar num programa, estar cercada de toda aquela música, estar com Pharrell e enxergar a música de uma outra maneira. Pensando no que eu fiz... Foi um período muito interessante e reflexivo. Você tem divulgado canções. É um aquecimento para o novo álbum? Obviamente. Eu estou fazendo um novo disco e quis divulgar novas músicas durante o tempo em que estive no The Voice. Então, Pharrell e eu fizemos “Spark The Fire”, e eu compus uma música com Ryan Tedder e Benny Blanco chamada “Baby Don’t Lie”. Eu quis lançar o álbum e poderia, mas você sabe quando sente que não está tudo pronto? Por isso, decidi desacelerar as coisas um pouco e agora estou trabalhando nesta ideia do show. Tive de ouvir minhas músicas antigas de novo após muito tempo. Mas tem sido muito inspirador, porque é como uma competição comigo mesma. Eu penso: “Como fiz isso? Queria fazer isso de novo”. Você tem feito parcerias com Pharrell desde “Hella Good”, do No Doubt, lançada em 2001. Como seus filhos, agora mais velhos, processam esta amizade,considerando que ele é o autor de hits como “Happy”, “Blurred Lines” e “Get Lucky”? Eles são grandes fãs dele. É muito estranho porque eles sequer sabem de todos os trabalho que já fiz com Pharrell. Eu digo: “Gente, eu conheço Pharrell! Trabalhei com ele”. E eles perguntam se ele era meu namorado [risos]. Eles são realmente fãs. Eu enviei um vídeo dos meus filhos dançando “Happy” para ele, logo depois que tive o bebê. E ele me escreveu de volta dizendo: “Meu Deus! É muito bom receber isso de você. Eu sei que é cedo, mas você não gostaria de tocar no Coachella?”. Eu fiqueisurpresa. “Eu ainda estou tentando andar!”, respondi. Mas eu realmente quis fazer aquilo e apresentar “Hollaback Girl” com ele. Então, a primeira vez em que sai de casa depois de dar à luz foi para subir ao palco com Pharrell. Um dos meus filhos estava dormindo, mas o outro assistiu e foi incrível. Foi o início de um novo capítulo. Quais das suas canções antigas têm sido mais divertidas de revisitar? Músicas como “Yummy” – aquela letra é maluca. Eu ouço e penso: “O que eu estava fazendo?”. Pharrell é muito criativo. Eu me lembro dessa época e percebo que ele era a mesma pessoa que é hoje. Sempre foi muito positivo e muito seguro de que nunca queria se repetir. Seu pensamento era e ainda é algo do tipo: “Como posso fazer alguma coisa diferente e nova, que não soe parecida com nada?”. Eu olho pra trás, lembro do disco e penso que queria ter tido mais tempo para fazer mais singles. Tenho certeza de que muitas pessoas irão ao show para ouvir “What You Waiting For”, “Sweet Escape” e “Hollaback Girl". Mas há outras que eu quero compartilhar no show.