NOTÍCIAS

Há 25 anos, Madonna lançava a polêmica "Like A Prayer"

por em 06/03/2014

Em 1989, Madonna lançou o disco Like A Prayer, seu trabalho com a melhor avaliação da crítica até então. Ainda hoje, o álbum é uma referência, lembrado como um marco não só na carreira da cantora, mas também da música pop. A faixa homônima do disco completou 25 anos de lançamento na última segunda-feira (03/03).

Produzida por Madonna e Patrick Leonard ("True Blue", "Ray Of Light"), a faixa obteve também grande sucesso comercial, chegando ao topo dos rankings dos EUA, Reino Unido e Japão, entre outro países.

"A música fala sobre a história de uma menina que se apaixonou por um homem negro, que cantava no coral de uma igreja. Eles tinham aquele amor proibido pelo preconceito racial. Ela era obcecada por ele e ia à igreja toda hora para vê-lo. E a música acabou se tornando uma grande história sobre racismo e intolerância", explicou a cantora sobre o conteúdo da canção.

A diretora do vídeo, Mary Lambert, foi a responsável por fazer a mistura religiosa com o conteúdo sexual do vídeo. No geral, a obra tira diferentes conclusões de quem assiste, e se tornou um dos vídeos mais icônicos de todos os tempos.

Relembre o sucesso da cantora:

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Há 25 anos, Madonna lançava a polêmica "Like A Prayer"

por em 06/03/2014

Em 1989, Madonna lançou o disco Like A Prayer, seu trabalho com a melhor avaliação da crítica até então. Ainda hoje, o álbum é uma referência, lembrado como um marco não só na carreira da cantora, mas também da música pop. A faixa homônima do disco completou 25 anos de lançamento na última segunda-feira (03/03).

Produzida por Madonna e Patrick Leonard ("True Blue", "Ray Of Light"), a faixa obteve também grande sucesso comercial, chegando ao topo dos rankings dos EUA, Reino Unido e Japão, entre outro países.

"A música fala sobre a história de uma menina que se apaixonou por um homem negro, que cantava no coral de uma igreja. Eles tinham aquele amor proibido pelo preconceito racial. Ela era obcecada por ele e ia à igreja toda hora para vê-lo. E a música acabou se tornando uma grande história sobre racismo e intolerância", explicou a cantora sobre o conteúdo da canção.

A diretora do vídeo, Mary Lambert, foi a responsável por fazer a mistura religiosa com o conteúdo sexual do vídeo. No geral, a obra tira diferentes conclusões de quem assiste, e se tornou um dos vídeos mais icônicos de todos os tempos.

Relembre o sucesso da cantora: