NOTÍCIAS

Hayley Williams, do Paramore, fala sobre machismo na letra de “Misery Business”

Faixa foi o single que levou a banda ao sucesso mundial

por Redação em 01/08/2017

A vocalista e líder do Paramore, Hayley Williams, falou sobre as críticas que recebeu por causa da letra do hit “Misery Business” em uma nova entrevista para o site Track 7.

A faixa, que foi o single que levou a banda ao sucesso mundial, foi lançada em junho de 2007. Anos mais tarde, começou a ser criticada por conta do conteúdo machista da letra, principalmente pelo trecho “Once a whore, you’re nothing more/I’m sorry, that will never change” [“Uma vez vadia, você não é nada além disso/ desculpe, isso nunca vai mudar”, em tradução livre].

HAYLEY WILLIAMS REVELA QUE DEIXOU O PARAMORE EM 2015

Durante a entrevista, Hayley afirmou que já tinha refletido sobre o conteúdo antes mesmo da bomba explodir na mídia. “O que me irritou é que já tinha pensado seriamente sobre isso anos antes de qualquer um decidir que havia um problema. Quando o artigo começou a circular, precisei refazer tudo, em frente às pessoas. Foi importante para mostrar humildade naquele momento. Eu tinha 17 anos quando escrevi aquilo e se posso exemplificar o que significa crescer, se informar e acordar, tudo bem por mim”. Em um show recente do Paramore em Londres, a cantora optou por não cantar este trecho da música.

Ela continua: “A letra veio de uma página do meu diário, literalmente. O que eu não sabia na época é que eu estava sendo alimentada de uma mentira, assim como outras adolescentes – e adultos – antes de mim. Essa coisa de ‘não sou como as outras’, a religião da ‘garota legal’. O que é isso afinal? Quem estipula o que é legal? Homens? São mulheres que colocamos no topo de um pedestal inalcançável?”.

PARAMORE FAZ COVER DE “PASSIONFRUIT”, DE DRAKE; VEJA

“O problema com a letra não é que eu tinha rixa com alguém que estudei junto. Isso faz parte das amizades e relacionamentos durante o Ensino Médio. O problema é que a ofendi usando palavras que não precisava. É o fato de que a história foi criada no contexto de uma competição que não existiu sobre um romance de fantasia”.

“Por algum motivo, acredito que eu precisava ter escrito aquilo e que eu precisava aprender algo com a letra. Me fez ter mais compaixão por mulheres. Estamos tentando o nosso máximo. É muito mais fácil quando temos apoio e união umas com as outras. A vulnerabilidade ajuda a criar as bases para tudo aquilo”.

 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Hayley Williams, do Paramore, fala sobre machismo na letra de “Misery Business”

Faixa foi o single que levou a banda ao sucesso mundial

por Redação em 01/08/2017

A vocalista e líder do Paramore, Hayley Williams, falou sobre as críticas que recebeu por causa da letra do hit “Misery Business” em uma nova entrevista para o site Track 7.

A faixa, que foi o single que levou a banda ao sucesso mundial, foi lançada em junho de 2007. Anos mais tarde, começou a ser criticada por conta do conteúdo machista da letra, principalmente pelo trecho “Once a whore, you’re nothing more/I’m sorry, that will never change” [“Uma vez vadia, você não é nada além disso/ desculpe, isso nunca vai mudar”, em tradução livre].

HAYLEY WILLIAMS REVELA QUE DEIXOU O PARAMORE EM 2015

Durante a entrevista, Hayley afirmou que já tinha refletido sobre o conteúdo antes mesmo da bomba explodir na mídia. “O que me irritou é que já tinha pensado seriamente sobre isso anos antes de qualquer um decidir que havia um problema. Quando o artigo começou a circular, precisei refazer tudo, em frente às pessoas. Foi importante para mostrar humildade naquele momento. Eu tinha 17 anos quando escrevi aquilo e se posso exemplificar o que significa crescer, se informar e acordar, tudo bem por mim”. Em um show recente do Paramore em Londres, a cantora optou por não cantar este trecho da música.

Ela continua: “A letra veio de uma página do meu diário, literalmente. O que eu não sabia na época é que eu estava sendo alimentada de uma mentira, assim como outras adolescentes – e adultos – antes de mim. Essa coisa de ‘não sou como as outras’, a religião da ‘garota legal’. O que é isso afinal? Quem estipula o que é legal? Homens? São mulheres que colocamos no topo de um pedestal inalcançável?”.

PARAMORE FAZ COVER DE “PASSIONFRUIT”, DE DRAKE; VEJA

“O problema com a letra não é que eu tinha rixa com alguém que estudei junto. Isso faz parte das amizades e relacionamentos durante o Ensino Médio. O problema é que a ofendi usando palavras que não precisava. É o fato de que a história foi criada no contexto de uma competição que não existiu sobre um romance de fantasia”.

“Por algum motivo, acredito que eu precisava ter escrito aquilo e que eu precisava aprender algo com a letra. Me fez ter mais compaixão por mulheres. Estamos tentando o nosso máximo. É muito mais fácil quando temos apoio e união umas com as outras. A vulnerabilidade ajuda a criar as bases para tudo aquilo”.