NOTÍCIAS

Indicados ao Grammy Latino mostram diversidade

Edição deste ano da premiação será realizada em 16 de novembro, em Las Vegas

por Redação em 11/10/2017

O Grammy Latino reconheceu, em suas indicações para a edição deste ano, a ampla gama de gêneros musicais e suas sensibilidades, honrando projetos baseados em estilos tradicionais da América Latina assim como discos com sonoridades mais modernas e de vanguarda. Entre os indicados anunciados em 26 de setembro, colaborações e fusões estilísticas foram a tendência.

Apesar da cerimônia ter a tradição de honrar a arte e não o comercial, não havia forma do Grammy Latino ignorar “Despacito”, o hit de Luis Fonsi e Daddy Yankee.

GRAMMY LATINO DIVULGA INDICADOS

“Qual explicação eu poderia dar se não tivesse sido indicada?”, disse o presidente e CEO da Academia Latina da Gravação, Gabriel Abaroa, sobre a música que passou 16 semanas no topo do Hot 100.

A música regional Mexicana, força importante da música Latina nos Estados Unidos, e o ritmo urbano do trap, que está emergindo, ficaram de fora das principais categorias, mas o campo é formado por uma lista balanceada que reflete a riqueza da música latina atual.

O 18º Grammy Latino será realizado em 16 de novembro, em Las Vegas, Estados Unidos. Para aquecer, a Billboard analisou 10 dos mais notáveis indicados.

RESIDENTE
Residente
Nove indicações, incluindo álbum, música e gravação do ano.

Anteriormente parte do duo de rap Calle 13, Residente (René Pérez Joglar), 39, tem o recorde por mais Grammy Latino já conquistados, 20. Com seu primeiro álbum solo, ele lidera a lista de indicados deste ano, com nove citações. O disco estreou em 3º lugar no Billboard Top Latin Albums com faixas como “Somos Anormales”, indicada a Melhor Música Urbana, e “Desencuentro”, indicada a Melhor Curta. As rádios não apoiaram a música de Residente. Mas, como ele argumenta, o rádio dá aos ouvintes ‘junk food’ “até que você tenha um ataque cardíaco. Se você não der brocólis – boa música – para as pessoas, as coisas vão para o inferno”.

RENE PEREZ, DO CALLE 13, RECEBE NOBEL PEACE SUMMIT

MALUMA
"Felices Los 4"

Sete indicações, incluindo música e gravação do ano.

O colombiano de 23 anos que acelera os corações está em uma boa fase, a julgar pelas parcerias com Ricky Martin e Shakira. “Chantaje” passou 11 semanas no topo do ranking Hot Latin Songs e “Vente Pa’Cá” chegou ao 4º lugar. O hit solo de Maluma, “Felices Los 4”, teria chegado ao 1º lugar se não fosse por “Despacito”. Não importa. Maluma conseguiu emplacar três músicas simultaneamente no top 10 dos vídeos mais assistidos semanalmente no YouTube e conquistou três indicações ao Grammy Latino.

SHAKIRA E MALUMA LIDERAM INDICAÇÕES AO LATIN AMA

SHAKIRA
El Dorado
Seis indicações, incluindo álbum do ano.

El Dorado chegou ao topo do ranking Top Latin Albums apesar de Shakira ter passado os últimos três anos fora dos holofotes, ocupada com a criação de seus dois filhos, Milan e Sasha. Mas a colombiana não perdeu seu brilho: “Chantaje”, seu hit sexy com Maluma, ocupou o 1º lugar do ranking Hot Latin Songs, rendendo à cantora três indicações pela gravação, música e performance de fusão urbana. O álbum conta com outras colaborações – Nicky Jam e Prince Royce, entre outros – que introduz diferentes gêneros, principalmente reggaetón e música eletrônica, no universo pop de Shakira.

VICENTE GARCIA
A La Mar
Cinco indicações, incluindo álbum do ano e artista revelação.

É difícil categorizar Garcia, de 34 anos, que passeia da bachata acústica a doces boleros. Ele era o vocalista da banda de rock alternativo Calor Urbano e está indicado na categoria Artista Revelação em sua fase solo. Seu álbum, produzido por Eduardo Cabra (a outra metade do Calle 13), é sem dúvidas experimental e está indicado em várias categorias.

JUANES
Misplanes Son Amarte
Cinco indicações, incluindo álbum, gravação e música do ano.

O primeiro álbum visual do Juanes traz clipes para todas as faixas, contando a história de um astronauta que viaja do México para a Colômbia em busca da mulher que ele ama. Com músicas que variam do místico ao radiofônico, o álbum permite que Juanes experimente artisticamente.

MON LAFERTE
La Trenza

Cinco indicações, incluindo álbum, gravação e música do ano.

Cantora e compositora chilena Mon Laferte, 34, já era uma experiente performer quando foi indicada a Artista Revelação no Grammy Latino de 2016. Ela não ganhou, mas continuou a se destacar. La Trenza, o disco lançado este ano, é uma fusão de folk alternativo com guitarras, cantada por uma voz doce e forte. O disco concorre a Álbum do Ano e Melhor Álbum de Música Alternativa.

DANAY SUAREZ 
Palabras Manuales

Cinco indicações, incluindo álbum do ano e artista revelação.

A MC Cubana Suarez, 29, foi indicada na categoria Artista Revelação, mas é veterana no movimento do rap e hip hop Cubano. Ela mistura hip hop com jazz, música cubana com música eletrônica e permite que sua voz flutue por linhas musicais complexas.

LUIS FONSI E DADDY YANKEE
“Despacito”

Quatro indicações, incluindo música e gravação do ano.

O hit juntou os vocais pop de Fonsi, 39, e o estilo e ginga de Daddy Yankee, 40, com a elegante composição de Erika Ender, 42, e se provou irresistível para os votantes do Grammy Latino, normalmente avessos à hits radiofônicos. A música, indicada também na categoria Melhor Performance/Fusão Urbana pelo remix com Justin Bieber, é mais relevante do que nunca. “Celebrei essas quatro indicações como não celebrei nada em muito tempo”, disse Fonsi.

NICKY JAM
Fenix
Quatro indicações, incluindo álbum do ano e melhor performance/fusão urbana.

Primeiro álbum de Nicky Jam em uma década, Fenix tem 26 faixas que tratam sobre como ele escapou de uma vida regada a drogas e álcool. O disco estreou em 1º lugar no ranking Top Latin Albums e inclui inúmeras participações com a realeza do reggaetón como J Balvin e Daddy Yankee.

NATALIA LAFOURCADE
Musas: Un Homenaje Al Folclore Latinoamericano En Manos De Los Macorinos
Quatro indicações, incluindo álbum e música do ano.

Lafourcade, 33, triunfou no Grammy Latino de 2015, quando levou para casa quatro troféus, incluindo Gravação do Ano por “Hasta la Raiz”. Suas quatro indicações em 2017 são graças a sua colaboração em Musas com o duo de guitarras Los Macorinos, que tocam há muito tempo para a lendária cantora mexicana Chavela Vargas. Uma coleção de clássicos latino americanos, Musas foi gravado ao vivo em estúdio, com Natalia buscando inspiração em músicos veteranos. “Eu tinha a vontade de gravar com os Los Macorinos e fazer música para mim. Queria um álbum que representasse música de verdade, boêmia, com instrumentos feitos de madeira. A música que fizemos ali não é algo possível de explicar; só pode ser sentida”.

 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
5
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Indicados ao Grammy Latino mostram diversidade

Edição deste ano da premiação será realizada em 16 de novembro, em Las Vegas

por Redação em 11/10/2017

O Grammy Latino reconheceu, em suas indicações para a edição deste ano, a ampla gama de gêneros musicais e suas sensibilidades, honrando projetos baseados em estilos tradicionais da América Latina assim como discos com sonoridades mais modernas e de vanguarda. Entre os indicados anunciados em 26 de setembro, colaborações e fusões estilísticas foram a tendência.

Apesar da cerimônia ter a tradição de honrar a arte e não o comercial, não havia forma do Grammy Latino ignorar “Despacito”, o hit de Luis Fonsi e Daddy Yankee.

GRAMMY LATINO DIVULGA INDICADOS

“Qual explicação eu poderia dar se não tivesse sido indicada?”, disse o presidente e CEO da Academia Latina da Gravação, Gabriel Abaroa, sobre a música que passou 16 semanas no topo do Hot 100.

A música regional Mexicana, força importante da música Latina nos Estados Unidos, e o ritmo urbano do trap, que está emergindo, ficaram de fora das principais categorias, mas o campo é formado por uma lista balanceada que reflete a riqueza da música latina atual.

O 18º Grammy Latino será realizado em 16 de novembro, em Las Vegas, Estados Unidos. Para aquecer, a Billboard analisou 10 dos mais notáveis indicados.

RESIDENTE
Residente
Nove indicações, incluindo álbum, música e gravação do ano.

Anteriormente parte do duo de rap Calle 13, Residente (René Pérez Joglar), 39, tem o recorde por mais Grammy Latino já conquistados, 20. Com seu primeiro álbum solo, ele lidera a lista de indicados deste ano, com nove citações. O disco estreou em 3º lugar no Billboard Top Latin Albums com faixas como “Somos Anormales”, indicada a Melhor Música Urbana, e “Desencuentro”, indicada a Melhor Curta. As rádios não apoiaram a música de Residente. Mas, como ele argumenta, o rádio dá aos ouvintes ‘junk food’ “até que você tenha um ataque cardíaco. Se você não der brocólis – boa música – para as pessoas, as coisas vão para o inferno”.

RENE PEREZ, DO CALLE 13, RECEBE NOBEL PEACE SUMMIT

MALUMA
"Felices Los 4"

Sete indicações, incluindo música e gravação do ano.

O colombiano de 23 anos que acelera os corações está em uma boa fase, a julgar pelas parcerias com Ricky Martin e Shakira. “Chantaje” passou 11 semanas no topo do ranking Hot Latin Songs e “Vente Pa’Cá” chegou ao 4º lugar. O hit solo de Maluma, “Felices Los 4”, teria chegado ao 1º lugar se não fosse por “Despacito”. Não importa. Maluma conseguiu emplacar três músicas simultaneamente no top 10 dos vídeos mais assistidos semanalmente no YouTube e conquistou três indicações ao Grammy Latino.

SHAKIRA E MALUMA LIDERAM INDICAÇÕES AO LATIN AMA

SHAKIRA
El Dorado
Seis indicações, incluindo álbum do ano.

El Dorado chegou ao topo do ranking Top Latin Albums apesar de Shakira ter passado os últimos três anos fora dos holofotes, ocupada com a criação de seus dois filhos, Milan e Sasha. Mas a colombiana não perdeu seu brilho: “Chantaje”, seu hit sexy com Maluma, ocupou o 1º lugar do ranking Hot Latin Songs, rendendo à cantora três indicações pela gravação, música e performance de fusão urbana. O álbum conta com outras colaborações – Nicky Jam e Prince Royce, entre outros – que introduz diferentes gêneros, principalmente reggaetón e música eletrônica, no universo pop de Shakira.

VICENTE GARCIA
A La Mar
Cinco indicações, incluindo álbum do ano e artista revelação.

É difícil categorizar Garcia, de 34 anos, que passeia da bachata acústica a doces boleros. Ele era o vocalista da banda de rock alternativo Calor Urbano e está indicado na categoria Artista Revelação em sua fase solo. Seu álbum, produzido por Eduardo Cabra (a outra metade do Calle 13), é sem dúvidas experimental e está indicado em várias categorias.

JUANES
Misplanes Son Amarte
Cinco indicações, incluindo álbum, gravação e música do ano.

O primeiro álbum visual do Juanes traz clipes para todas as faixas, contando a história de um astronauta que viaja do México para a Colômbia em busca da mulher que ele ama. Com músicas que variam do místico ao radiofônico, o álbum permite que Juanes experimente artisticamente.

MON LAFERTE
La Trenza

Cinco indicações, incluindo álbum, gravação e música do ano.

Cantora e compositora chilena Mon Laferte, 34, já era uma experiente performer quando foi indicada a Artista Revelação no Grammy Latino de 2016. Ela não ganhou, mas continuou a se destacar. La Trenza, o disco lançado este ano, é uma fusão de folk alternativo com guitarras, cantada por uma voz doce e forte. O disco concorre a Álbum do Ano e Melhor Álbum de Música Alternativa.

DANAY SUAREZ 
Palabras Manuales

Cinco indicações, incluindo álbum do ano e artista revelação.

A MC Cubana Suarez, 29, foi indicada na categoria Artista Revelação, mas é veterana no movimento do rap e hip hop Cubano. Ela mistura hip hop com jazz, música cubana com música eletrônica e permite que sua voz flutue por linhas musicais complexas.

LUIS FONSI E DADDY YANKEE
“Despacito”

Quatro indicações, incluindo música e gravação do ano.

O hit juntou os vocais pop de Fonsi, 39, e o estilo e ginga de Daddy Yankee, 40, com a elegante composição de Erika Ender, 42, e se provou irresistível para os votantes do Grammy Latino, normalmente avessos à hits radiofônicos. A música, indicada também na categoria Melhor Performance/Fusão Urbana pelo remix com Justin Bieber, é mais relevante do que nunca. “Celebrei essas quatro indicações como não celebrei nada em muito tempo”, disse Fonsi.

NICKY JAM
Fenix
Quatro indicações, incluindo álbum do ano e melhor performance/fusão urbana.

Primeiro álbum de Nicky Jam em uma década, Fenix tem 26 faixas que tratam sobre como ele escapou de uma vida regada a drogas e álcool. O disco estreou em 1º lugar no ranking Top Latin Albums e inclui inúmeras participações com a realeza do reggaetón como J Balvin e Daddy Yankee.

NATALIA LAFOURCADE
Musas: Un Homenaje Al Folclore Latinoamericano En Manos De Los Macorinos
Quatro indicações, incluindo álbum e música do ano.

Lafourcade, 33, triunfou no Grammy Latino de 2015, quando levou para casa quatro troféus, incluindo Gravação do Ano por “Hasta la Raiz”. Suas quatro indicações em 2017 são graças a sua colaboração em Musas com o duo de guitarras Los Macorinos, que tocam há muito tempo para a lendária cantora mexicana Chavela Vargas. Uma coleção de clássicos latino americanos, Musas foi gravado ao vivo em estúdio, com Natalia buscando inspiração em músicos veteranos. “Eu tinha a vontade de gravar com os Los Macorinos e fazer música para mim. Queria um álbum que representasse música de verdade, boêmia, com instrumentos feitos de madeira. A música que fizemos ali não é algo possível de explicar; só pode ser sentida”.