NOTÍCIAS

IZA, uma nova voz no pop brasileiro

Cantora descoberta na internet lançará em breve seu primeiro trabalho profissional

por Rebecca Silva em 11/10/2016

Mulher negra, empoderada, talentosa e carismática. Esses são alguns dos adjetivos que podem definir IZA, a nova aposta do pop nacional. Cantora desde que se entende por gente, a carioca de 25 anos deixou o trabalho na área de marketing em um ambiente de co-working que a fazia infeliz pelo sonho de ser cantora profissionalmente. Encontrou no YouTube a ferramenta ideal para atingir o público que queria e divulgar sua voz. “Eu precisava de tempo para estar disponível para qualquer oportunidade que aparecesse. Criei o canal para receber críticas e alguma ajuda para me profissionalizar.” E deu certo. Cerca de dois anos depois de colocar o primeiro vídeo no ar, IZA assinou contrato com a gravadora Warner e conversou com a Billboard Brasil sobre os primeiros passos da realização deste sonho.

Apesar de os vídeos em seu canal serem covers de músicas em inglês – Beyoncé e Rihanna são as que ganharam mais versões –, IZA revelou que em seu disco as faixas serão todas em português. “A gente precisa atrair o público nacional falando a nossa língua. Canto em inglês porque me identifico e quem me segue é do universo pop, aquelas músicas são referência. Quando eu era pequena, me mudava muito e perdi todos os meus CDs, então cresci ouvindo as coisas do meu pai – Stevie Wonder, Michael Jackson, Earth, Wind & Fire. Mas não devo cantar em inglês tão cedo na minha carreira.”

Em ano de lançamento de álbuns como Lemonade e A Seat At The Table pelas irmãs Beyoncé e Solange Knowles, respectivamente, focados na temática negra, IZA pretende preencher esse vazio no cenário pop brasileiro. “Esse é um dos meus focos. Quando eu era mais nova, não tinha nenhuma referência de jovem negra para me espelhar. Tenho uma preocupação grande de levantar essa bandeira e expressarei isso nas letras, nos vídeos, no figurino. Eu também já alisei o cabelo e só me descobri mais tarde. A primeira mulher que vi com um cabelão afro na televisão foi a Taís Araújo. Me lembro de ter estranhado, de tê-la achado muito corajosa. Não havia diálogo aberto sobre isso. Hoje temos a internet para debater.”

A cantora tentou por anos se enquadrar no padrão esperado, mas que não a representava. E pretende ajudar outras pessoas na mesma situação. “Eu cresci na sombra. Morei um tempo no Nordeste e os lugares que eu frequentava não tinha negros. As pessoas olhavam, apontavam para mim. Pequena, eu não entendia, e minha mãe dizia que me olhavam porque eu era linda. Só depois fui entender o que estava acontecendo. Eu era diferente. Hoje temos uma Miss Brasil negra, quando isso teria acontecido na minha infância?”.

Em estúdio gravando faixas para seu primeiro projeto profissional, IZA está trabalhando com nomes como Pretinho da Serrinha, Joey Mattos, Projota e Barbara Ohana para trazer letras que falem não só sobre empoderamento e a raça negra, mas também toquem em temas como sedução e relacionamentos. “Já temos material suficiente para um EP e para um álbum, mas ainda estamos decidindo o que será lançado. Primeiro sairá o single, em breve. Pegamos todas as minhas referências pop e demos um toque de brasilidade.”

Enquanto o material inédito não sai, continuamos na espera ouvindo os hits de Beyoncé, Rihanna, Drake e outros na poderosa voz de IZA: 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

IZA, uma nova voz no pop brasileiro

Cantora descoberta na internet lançará em breve seu primeiro trabalho profissional

por Rebecca Silva em 11/10/2016

Mulher negra, empoderada, talentosa e carismática. Esses são alguns dos adjetivos que podem definir IZA, a nova aposta do pop nacional. Cantora desde que se entende por gente, a carioca de 25 anos deixou o trabalho na área de marketing em um ambiente de co-working que a fazia infeliz pelo sonho de ser cantora profissionalmente. Encontrou no YouTube a ferramenta ideal para atingir o público que queria e divulgar sua voz. “Eu precisava de tempo para estar disponível para qualquer oportunidade que aparecesse. Criei o canal para receber críticas e alguma ajuda para me profissionalizar.” E deu certo. Cerca de dois anos depois de colocar o primeiro vídeo no ar, IZA assinou contrato com a gravadora Warner e conversou com a Billboard Brasil sobre os primeiros passos da realização deste sonho.

Apesar de os vídeos em seu canal serem covers de músicas em inglês – Beyoncé e Rihanna são as que ganharam mais versões –, IZA revelou que em seu disco as faixas serão todas em português. “A gente precisa atrair o público nacional falando a nossa língua. Canto em inglês porque me identifico e quem me segue é do universo pop, aquelas músicas são referência. Quando eu era pequena, me mudava muito e perdi todos os meus CDs, então cresci ouvindo as coisas do meu pai – Stevie Wonder, Michael Jackson, Earth, Wind & Fire. Mas não devo cantar em inglês tão cedo na minha carreira.”

Em ano de lançamento de álbuns como Lemonade e A Seat At The Table pelas irmãs Beyoncé e Solange Knowles, respectivamente, focados na temática negra, IZA pretende preencher esse vazio no cenário pop brasileiro. “Esse é um dos meus focos. Quando eu era mais nova, não tinha nenhuma referência de jovem negra para me espelhar. Tenho uma preocupação grande de levantar essa bandeira e expressarei isso nas letras, nos vídeos, no figurino. Eu também já alisei o cabelo e só me descobri mais tarde. A primeira mulher que vi com um cabelão afro na televisão foi a Taís Araújo. Me lembro de ter estranhado, de tê-la achado muito corajosa. Não havia diálogo aberto sobre isso. Hoje temos a internet para debater.”

A cantora tentou por anos se enquadrar no padrão esperado, mas que não a representava. E pretende ajudar outras pessoas na mesma situação. “Eu cresci na sombra. Morei um tempo no Nordeste e os lugares que eu frequentava não tinha negros. As pessoas olhavam, apontavam para mim. Pequena, eu não entendia, e minha mãe dizia que me olhavam porque eu era linda. Só depois fui entender o que estava acontecendo. Eu era diferente. Hoje temos uma Miss Brasil negra, quando isso teria acontecido na minha infância?”.

Em estúdio gravando faixas para seu primeiro projeto profissional, IZA está trabalhando com nomes como Pretinho da Serrinha, Joey Mattos, Projota e Barbara Ohana para trazer letras que falem não só sobre empoderamento e a raça negra, mas também toquem em temas como sedução e relacionamentos. “Já temos material suficiente para um EP e para um álbum, mas ainda estamos decidindo o que será lançado. Primeiro sairá o single, em breve. Pegamos todas as minhas referências pop e demos um toque de brasilidade.”

Enquanto o material inédito não sai, continuamos na espera ouvindo os hits de Beyoncé, Rihanna, Drake e outros na poderosa voz de IZA: