NOTÍCIAS

Leia a resenha de The London Sessions, novo álbum de Mary J Blige

por em 21/12/2014
> MARY J BLIGE THE LONDON SESSIONS Universal É sempre emocionante quando um veterano da música pop sai do marasmo e corre atrás de uma nova sonoridade, sem estar necessariamente se pautando pelo mercado. Em seu 13º álbum, a dama da canção negra americana foi longe. Passou um tempo morando em Londres, ouvindo as rádios da cidade e criando com o auxílio de estrelas locais. O estalo veio de um remix do Disclosure do qual ela havia participado anteriormente. E o duo eletrônico é quem dá a pulsação do novo disco da cantora de 43 anos. Nem todas as faixas são próprias para as pistas, mas as que são brilham forte. Em “Follow”, “My Loving”, “Nobody But You” e no single “Right Now”, Mary flerta com um revival da house music dos anos 90 que parece estar forte em terras britânicas. A elegância do gênero não tem nada a ver com a onda trap que vem dominando a América, nem com produções de David Gueta e demais DJs superstars perseguidos por outras divas. A contramão fica ainda mais acentuada em “Pick Me Up”, que remete ao garage inglês do começo deste milênio, com direito a clarinete e piano, e tem Emeli Sandé como coautora. Emeli também está nos créditos de “Whole Damn Year”, um potente lamento soul, prova de que Mary não virou as costas para o seu passado. O pupilo Sam Smith, outra presença forte no disco, também não deixa a cantora se afastar tanto de suas raízes, vide a harmonia vocal de “Therapy”, totalmente doo-wop.  E essa mistura de reverência com busca pelo novo garante The London Sessions como um dos trabalhos mais admiráveis de 2014. (José Flávio Júnior)
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Leia a resenha de The London Sessions, novo álbum de Mary J Blige

por em 21/12/2014
> MARY J BLIGE THE LONDON SESSIONS Universal É sempre emocionante quando um veterano da música pop sai do marasmo e corre atrás de uma nova sonoridade, sem estar necessariamente se pautando pelo mercado. Em seu 13º álbum, a dama da canção negra americana foi longe. Passou um tempo morando em Londres, ouvindo as rádios da cidade e criando com o auxílio de estrelas locais. O estalo veio de um remix do Disclosure do qual ela havia participado anteriormente. E o duo eletrônico é quem dá a pulsação do novo disco da cantora de 43 anos. Nem todas as faixas são próprias para as pistas, mas as que são brilham forte. Em “Follow”, “My Loving”, “Nobody But You” e no single “Right Now”, Mary flerta com um revival da house music dos anos 90 que parece estar forte em terras britânicas. A elegância do gênero não tem nada a ver com a onda trap que vem dominando a América, nem com produções de David Gueta e demais DJs superstars perseguidos por outras divas. A contramão fica ainda mais acentuada em “Pick Me Up”, que remete ao garage inglês do começo deste milênio, com direito a clarinete e piano, e tem Emeli Sandé como coautora. Emeli também está nos créditos de “Whole Damn Year”, um potente lamento soul, prova de que Mary não virou as costas para o seu passado. O pupilo Sam Smith, outra presença forte no disco, também não deixa a cantora se afastar tanto de suas raízes, vide a harmonia vocal de “Therapy”, totalmente doo-wop.  E essa mistura de reverência com busca pelo novo garante The London Sessions como um dos trabalhos mais admiráveis de 2014. (José Flávio Júnior)