NOTÍCIAS

Leia a resenha de Title, estreia de Meghan Trainor por uma grande gravadora

por em 12/02/2015
MEGH
AN TRAINOR TITLE Sony Não existe a menor garantia de que Meghan Trainor ainda seja assunto daqui a um ano. São muitos os casos de artistas que tomaram as paradas de assalto com um single espertinho, fizeram menos sucesso com uma segunda música, menos ainda com a terceira... Até a chegada apressada do ocaso. Para ficar na mesma seara da cantora americana, vale lembrar o gordinho Sean Kingston e sua “Beautiful Girls”, que encheu a paciência em 2007. Assim como Meghan, ele dava um tratamento contemporâneo a um certo pop sessentista, entre o R&B e o doo-wop (com pitadas de reggae). Se ”All About That Bass” e “Lips Are Movin” já apontavam nessa direção, o resto do repertório de Title confirma a intenção da loirinha de 21 anos em conectar o som típico dos girl groups de outrora com o tipo de produção hip hop em voga atualmente. Em raros momentos, Meghan sai dessa pegada, como na meio reggae “No Good For You” (uma das quatro faixas extras da versão brasileira do CD) e na safadinha “Bang Dem Sticks”, que usa “baqueta” para falar de outra coisa de formato parecido (mas não tão fino) e que remete a “Hollaback Girl”, de Gwen Stefani. A indústria certamente espera bem mais de Meghan do que um sucesso de uma temporada. Com formação na prestigiosa Berklee College of Music e três álbuns independentes lançados antes da assinatura com a Epic/Sony, a jovem artista, em tese, é capaz de entregar material mais interessante em futuros trabalhos. Resta saber até quando vai durar esse revival de “soul music das antigas” em que estamos metidos desde que Amy Winehouse surgiu (e se Meghan seguirá nesse caminho). Já há gente torcendo para essa era chegar ao fim logo. Trilha sonora para o funeral é o que não falta. (José Flávio Júnior)
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Leia a resenha de Title, estreia de Meghan Trainor por uma grande gravadora

por em 12/02/2015
MEGH
AN TRAINOR TITLE Sony Não existe a menor garantia de que Meghan Trainor ainda seja assunto daqui a um ano. São muitos os casos de artistas que tomaram as paradas de assalto com um single espertinho, fizeram menos sucesso com uma segunda música, menos ainda com a terceira... Até a chegada apressada do ocaso. Para ficar na mesma seara da cantora americana, vale lembrar o gordinho Sean Kingston e sua “Beautiful Girls”, que encheu a paciência em 2007. Assim como Meghan, ele dava um tratamento contemporâneo a um certo pop sessentista, entre o R&B e o doo-wop (com pitadas de reggae). Se ”All About That Bass” e “Lips Are Movin” já apontavam nessa direção, o resto do repertório de Title confirma a intenção da loirinha de 21 anos em conectar o som típico dos girl groups de outrora com o tipo de produção hip hop em voga atualmente. Em raros momentos, Meghan sai dessa pegada, como na meio reggae “No Good For You” (uma das quatro faixas extras da versão brasileira do CD) e na safadinha “Bang Dem Sticks”, que usa “baqueta” para falar de outra coisa de formato parecido (mas não tão fino) e que remete a “Hollaback Girl”, de Gwen Stefani. A indústria certamente espera bem mais de Meghan do que um sucesso de uma temporada. Com formação na prestigiosa Berklee College of Music e três álbuns independentes lançados antes da assinatura com a Epic/Sony, a jovem artista, em tese, é capaz de entregar material mais interessante em futuros trabalhos. Resta saber até quando vai durar esse revival de “soul music das antigas” em que estamos metidos desde que Amy Winehouse surgiu (e se Meghan seguirá nesse caminho). Já há gente torcendo para essa era chegar ao fim logo. Trilha sonora para o funeral é o que não falta. (José Flávio Júnior)