NOTÍCIAS

Liniker faz seu primeiro show em São Paulo

por em 01/12/2015
P
or Marcos Lauro
Apenas três músicas foram suficientes para que Liniker chamasse a atenção de muita gente na internet. Desde o final de outubro, “Zero”, “Caeu” e “Louise Do Brésil” estão no YouTube e já garantiram mais de um milhão de views, no total, para o canal do cantor. “A produção começou em dezembro de 2014. Ensaiamos de fevereiro a junho e tudo foi editado entre julho e outubro”, conta ele à Billboard Brasil, para termos ideia de como foi trabalhoso esse processo. OUÇA LINIKER, REVELAÇÃO DA BLACK MUSIC NO INTERIOR PAULISTA Sem aviso prévio ou assessoria de comunicação falando sobre o lançamento, Liniker conseguiu pegar muita gente de surpresa. Seu som, que vai da soul music ao afrobeat, vem do interior de São Paulo, Araraquara (a 270 quilômetros da capital). “Minha família sempre foi da música. Tenho tios sambistas, avô sanfoneiro... minha mãe teve grupo de samba quando era nova. Então, pra mim, foi natural. E em Araraquara tem o Baile do Carmo, que começou nos quilombos há 150 anos, é muito tradicional”, revela, para quem estranha que o interior paulista também pode ser fonte de boa black music. Agora, quase dois meses depois do lançamento, Liniker se prepara para começar sua agenda de shows. O primeiro é nessa sexta-feira (04/12), dentro da programação da Semana Internacional de Música de São Paulo. “Esse vai ser um pocket show, só voz, violão e trompete.” O show está previsto para 21 horas no Jongo Reverendo, na Vila Madalena. Além do som, é claro que o visual do Liniker também chamou bastante a atenção – as músicas foram lançadas em vídeo, gravado ao vivo em estúdio. Batom, turbante e brincos fazem parte do visual. “Eu me visto daquele jeito! Na verdade, eu venho me questionando há algum tempo sobre minha identidade e meu gênero. Sou gay e negro, mas não me identifico totalmente com isso. Sou uma bicha preta [risos]”, brinca. Para os (poucos) haters que apareceram nas suas postagens, Liniker tem um recado: “Peguei o que rolou de negativo nos comentários e me empoderei, usei a meu favor”. Lacrou! Pedimos uma playlist com as referências e influências do Liniker. Ouça aqui, junto com as três músicas do seu EP:
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Liniker faz seu primeiro show em São Paulo

por em 01/12/2015
P
or Marcos Lauro
Apenas três músicas foram suficientes para que Liniker chamasse a atenção de muita gente na internet. Desde o final de outubro, “Zero”, “Caeu” e “Louise Do Brésil” estão no YouTube e já garantiram mais de um milhão de views, no total, para o canal do cantor. “A produção começou em dezembro de 2014. Ensaiamos de fevereiro a junho e tudo foi editado entre julho e outubro”, conta ele à Billboard Brasil, para termos ideia de como foi trabalhoso esse processo. OUÇA LINIKER, REVELAÇÃO DA BLACK MUSIC NO INTERIOR PAULISTA Sem aviso prévio ou assessoria de comunicação falando sobre o lançamento, Liniker conseguiu pegar muita gente de surpresa. Seu som, que vai da soul music ao afrobeat, vem do interior de São Paulo, Araraquara (a 270 quilômetros da capital). “Minha família sempre foi da música. Tenho tios sambistas, avô sanfoneiro... minha mãe teve grupo de samba quando era nova. Então, pra mim, foi natural. E em Araraquara tem o Baile do Carmo, que começou nos quilombos há 150 anos, é muito tradicional”, revela, para quem estranha que o interior paulista também pode ser fonte de boa black music. Agora, quase dois meses depois do lançamento, Liniker se prepara para começar sua agenda de shows. O primeiro é nessa sexta-feira (04/12), dentro da programação da Semana Internacional de Música de São Paulo. “Esse vai ser um pocket show, só voz, violão e trompete.” O show está previsto para 21 horas no Jongo Reverendo, na Vila Madalena. Além do som, é claro que o visual do Liniker também chamou bastante a atenção – as músicas foram lançadas em vídeo, gravado ao vivo em estúdio. Batom, turbante e brincos fazem parte do visual. “Eu me visto daquele jeito! Na verdade, eu venho me questionando há algum tempo sobre minha identidade e meu gênero. Sou gay e negro, mas não me identifico totalmente com isso. Sou uma bicha preta [risos]”, brinca. Para os (poucos) haters que apareceram nas suas postagens, Liniker tem um recado: “Peguei o que rolou de negativo nos comentários e me empoderei, usei a meu favor”. Lacrou! Pedimos uma playlist com as referências e influências do Liniker. Ouça aqui, junto com as três músicas do seu EP: