NOTÍCIAS

Neil Young volta atrás sobre o uso de suas músicas por Trump

Compositor afirma não ser contra, apenas gostaria de ter sido consultado

por Da Redação em 24/05/2016

O cantor e compositor Neil Young está para lançar o seu novo álbum Earth e resolveu desculpar Donald Trump pelo uso de sua música sem permissão. A declaração foi dada em uma entrevista à Reuters.

O candidato à presidência dos Estados Unidos usou a música “Rockin’ In The Free World” durante sua campanha em junho do ano passado. Na época, a equipe de Young emitiu uma nota dizendo que Trump não estava autorizado a usar a música no anúncio de sua candidatura.

“EU FAÇO MÚSICAS PARA PESSOAS, NÃO PARA CANDIDATOS”, DIZ NEIL YOUNG PARA DONALD TRUMP

Agora, o cantor e compositor diz que não tem nada contra o uso por Trump, mas que gostaria de ter sido perguntado.  

"Não é porque eu disse que meu candidato era Bernie Sanders e Trump não me pediu para usar “Rockin’ In The Free World” que ele não pode usar a música”, disse Young.

Depois de lançar o single "FDT" (sigla para "Fuck Donald Trump") em março de 2016, o rapper YG anunciu nessa terça-feira (16/08) a turnê FDT, que acompanha a música "FDT (Fuck Donald Trump) Part 2". No clipe, YG está acompanhado de G-Eazy & Macklemore.

Veja: 

Divulgação

Barbra Streisand fez um show num evento pró-Hllary Clinton no dia 9 de setembro e cantou uma paródia da música “Send In The Clowns”, de Stephen Sondheim. Em vez da letra original, ela cantou coisas como “Ele é rico? Talvez seja pobre/até ele se revelar, quem saberá a verdade?” e “Algo está errado, eu não aprovo/ Se ele estivesse correndo pelo mundo livre, onde iria passar?”. Para finalizar, ainda brincou com o bordão que Trump usava nas demissões do programa The Apprentice, “You’re fired”: “You’re fired, you clown” (“Você está demitido, seu palhaço”, em tradução livre).

Getty Images

Paul McCartney postou essa imagem com Hillary em seu Twitter no dia 17 de agosto com a legenda “she’s with me”. Ou seja, é Hillary Clinton que apoia Paul McCartney. Fãs do cantor que apoiam Donald Trump mostraram seu descontentamento nas respostas ao post.

Reprodução/Twitter

Em entrevista à revista Kerrang de agosto, o líder do Green Day, Billie Joe Armstrong, comparou Donald Trump a Hitler: “Eu realmente me sinto mal com isso, porque quem segue Trump é pobre, trabalhador e que não consegue se erguer. Ele vem e diz: ‘vocês não têm opções e eu sou a saída, vou cuidar disso’. Cara, isso é Hitler!”. Armstrong continuou: “Eu não sei como explicar isso e gostaria de estar exagerando. Eu sei que exagerei com Bush. Mas, com Trump, eu só desejo que ele vá embora”.

Divulgação

O DJ Steve Aoki postou essa selfie com Hillary e Bill Clinton logo depois de um dos debates entre a candidata e Trump. O posto fez sucesso, mas, claro, dividiu opiniões. Enquanto um usuário do Instagram se pergunta quando Aoki teria recebido para fazer a foto, outro diz: "Se eu já gostava de você antes, agora eu amo".

Reprodução

Após o discurso de Donald Trump em Ohio no início desta semana, onde ele pediu uma chance aos eleitores latinos, o líder do Maná, Fher Olvera, usou o Twitter para responder ao candidato presidencial republicano: "Não seja ingênuo, as pessoas não são estúpidas".

"Olhe para Trump agora, mudando a sua mensagem para os imigrantes em situação irregular... estranho, não é? Ele está atrás nas pesquisas agora, mas durante um tempo muito longo ele não se importava com ofender e humilhar todos os mexicanos e latinos que têm trabalhou duro em os EUA", continuou.

"Você já fez seus comentários racistas, Trump. Sem o voto latino, você não será presidente. O que quero dizer é que é mais fácil para você alcançar o sol do que se tornar presidente dos Estados Unidos”, concluiu Olvera.

Divulgação

Democrata de longa data, a diva pop Cher já demonstrou pelo Twitter seu voto para Hilary. “Ela é inteligente, forte e altamente qualificada”.
 

Divulgação

Em apresentação durante o comitê de Hilary Clinton em Iowa City, Demi Lovato explicou que vota na candidata por causa de “suas crenças, sua força e o fato de ela incorporar completamente o conceito de empoderamento das mulheres”.
 

Divulgação

Depois de apoiar Mitt Romney nas últimas eleições presidenciais, em 2012, o polêmico guitarrista de hard rock Ted Nugent já declarou seu apoio a Trump pelo Facebook. “Ele é o cara que os EUA precisam por um longo tempo”.
 

Divulgação

Depois de afirmar em 2013 que tinha vergonha de ser republicano, o cantor Kid Rock, conservador, que também apoiou Romney nas últimas eleições, elogiou Trump em entrevista. “Deixe o cara fodão nos negócios executar o país como um grande negócio. E sua campanha tem sido muito divertida”.
 

Divulgação

O cantor confirmou as informações da nota divulgada pelo candidato após a proibição. O texto afirma que Trump teria um acordo para uso de músicas com a Sociedade Americana de Compositores, Autores e Editores.  

"Ele tem uma licença para o uso. Quer dizer, ele diz que tem e eu acredito nele. Não tenho nada contra Trump. Sabe, quando lançamos uma música, todo mundo pode usá-la para qualquer coisa. Mas se o artista que responsável diz que vocês nunca conversaram sobre isso, talvez você deva parar de usar. E foi o que ele fez”.

O próximo álbum de Neil Young, com versões ao vivo de músicas de sua carreira, será lançado em 17 de junho.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Pegada que Desgrama
Naiara Azevedo
2
Rapariga Não (Part. Simone & Simaria)
João Neto & Frederico
3
Dona Maria (Part. Jorge)
Thiago Brava
4
Apelido Carinhoso
Gusttavo Lima
5
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Neil Young volta atrás sobre o uso de suas músicas por Trump

Compositor afirma não ser contra, apenas gostaria de ter sido consultado

por Da Redação em 24/05/2016

O cantor e compositor Neil Young está para lançar o seu novo álbum Earth e resolveu desculpar Donald Trump pelo uso de sua música sem permissão. A declaração foi dada em uma entrevista à Reuters.

O candidato à presidência dos Estados Unidos usou a música “Rockin’ In The Free World” durante sua campanha em junho do ano passado. Na época, a equipe de Young emitiu uma nota dizendo que Trump não estava autorizado a usar a música no anúncio de sua candidatura.

“EU FAÇO MÚSICAS PARA PESSOAS, NÃO PARA CANDIDATOS”, DIZ NEIL YOUNG PARA DONALD TRUMP

Agora, o cantor e compositor diz que não tem nada contra o uso por Trump, mas que gostaria de ter sido perguntado.  

"Não é porque eu disse que meu candidato era Bernie Sanders e Trump não me pediu para usar “Rockin’ In The Free World” que ele não pode usar a música”, disse Young.

Depois de lançar o single "FDT" (sigla para "Fuck Donald Trump") em março de 2016, o rapper YG anunciu nessa terça-feira (16/08) a turnê FDT, que acompanha a música "FDT (Fuck Donald Trump) Part 2". No clipe, YG está acompanhado de G-Eazy & Macklemore.

Veja: 

Divulgação

Barbra Streisand fez um show num evento pró-Hllary Clinton no dia 9 de setembro e cantou uma paródia da música “Send In The Clowns”, de Stephen Sondheim. Em vez da letra original, ela cantou coisas como “Ele é rico? Talvez seja pobre/até ele se revelar, quem saberá a verdade?” e “Algo está errado, eu não aprovo/ Se ele estivesse correndo pelo mundo livre, onde iria passar?”. Para finalizar, ainda brincou com o bordão que Trump usava nas demissões do programa The Apprentice, “You’re fired”: “You’re fired, you clown” (“Você está demitido, seu palhaço”, em tradução livre).

Getty Images

Paul McCartney postou essa imagem com Hillary em seu Twitter no dia 17 de agosto com a legenda “she’s with me”. Ou seja, é Hillary Clinton que apoia Paul McCartney. Fãs do cantor que apoiam Donald Trump mostraram seu descontentamento nas respostas ao post.

Reprodução/Twitter

Em entrevista à revista Kerrang de agosto, o líder do Green Day, Billie Joe Armstrong, comparou Donald Trump a Hitler: “Eu realmente me sinto mal com isso, porque quem segue Trump é pobre, trabalhador e que não consegue se erguer. Ele vem e diz: ‘vocês não têm opções e eu sou a saída, vou cuidar disso’. Cara, isso é Hitler!”. Armstrong continuou: “Eu não sei como explicar isso e gostaria de estar exagerando. Eu sei que exagerei com Bush. Mas, com Trump, eu só desejo que ele vá embora”.

Divulgação

O DJ Steve Aoki postou essa selfie com Hillary e Bill Clinton logo depois de um dos debates entre a candidata e Trump. O posto fez sucesso, mas, claro, dividiu opiniões. Enquanto um usuário do Instagram se pergunta quando Aoki teria recebido para fazer a foto, outro diz: "Se eu já gostava de você antes, agora eu amo".

Reprodução

Após o discurso de Donald Trump em Ohio no início desta semana, onde ele pediu uma chance aos eleitores latinos, o líder do Maná, Fher Olvera, usou o Twitter para responder ao candidato presidencial republicano: "Não seja ingênuo, as pessoas não são estúpidas".

"Olhe para Trump agora, mudando a sua mensagem para os imigrantes em situação irregular... estranho, não é? Ele está atrás nas pesquisas agora, mas durante um tempo muito longo ele não se importava com ofender e humilhar todos os mexicanos e latinos que têm trabalhou duro em os EUA", continuou.

"Você já fez seus comentários racistas, Trump. Sem o voto latino, você não será presidente. O que quero dizer é que é mais fácil para você alcançar o sol do que se tornar presidente dos Estados Unidos”, concluiu Olvera.

Divulgação

Democrata de longa data, a diva pop Cher já demonstrou pelo Twitter seu voto para Hilary. “Ela é inteligente, forte e altamente qualificada”.
 

Divulgação

Em apresentação durante o comitê de Hilary Clinton em Iowa City, Demi Lovato explicou que vota na candidata por causa de “suas crenças, sua força e o fato de ela incorporar completamente o conceito de empoderamento das mulheres”.
 

Divulgação

Depois de apoiar Mitt Romney nas últimas eleições presidenciais, em 2012, o polêmico guitarrista de hard rock Ted Nugent já declarou seu apoio a Trump pelo Facebook. “Ele é o cara que os EUA precisam por um longo tempo”.
 

Divulgação

Depois de afirmar em 2013 que tinha vergonha de ser republicano, o cantor Kid Rock, conservador, que também apoiou Romney nas últimas eleições, elogiou Trump em entrevista. “Deixe o cara fodão nos negócios executar o país como um grande negócio. E sua campanha tem sido muito divertida”.
 

Divulgação

O cantor confirmou as informações da nota divulgada pelo candidato após a proibição. O texto afirma que Trump teria um acordo para uso de músicas com a Sociedade Americana de Compositores, Autores e Editores.  

"Ele tem uma licença para o uso. Quer dizer, ele diz que tem e eu acredito nele. Não tenho nada contra Trump. Sabe, quando lançamos uma música, todo mundo pode usá-la para qualquer coisa. Mas se o artista que responsável diz que vocês nunca conversaram sobre isso, talvez você deva parar de usar. E foi o que ele fez”.

O próximo álbum de Neil Young, com versões ao vivo de músicas de sua carreira, será lançado em 17 de junho.