NOTÍCIAS

Ney Matogrosso e suas diversas faces

Cantor ficou na 3ª posição na eleição do artista mais completo do Brasil

por Rebecca Silva em 19/09/2016

Ney Matogrosso surgiu para o grande público no grupo Secos e Molhados em 1973, com quem lançou dois discos de sucesso. Com o fim da banda, passou a se dedicar a sua carreira solo. Seu primeiro álbum, homônimo, foi lançado em 1975. Ney chamou atenção por sua voz aguda e seu jeito de se apresentar no palco, sempre maquiado, com figurinos exóticos e com carga dramática.

VEJA O PERFIL DE MARIA BETHÂNIA, 10ª COLOCADA NA ELEIÇÃO DE ARTISTA MAIS COMPLETO DO BRASIL

9º) RAUL SEIXAS

8º) TIM MAIA

7º) CHICO BUARQUE

6º) JORGE BEN JOR

5º) ELIS REGINA

4º) RITA LEE  

Em seus discos, imortalizou em sua voz músicas de outros grandes artistas brasileiros como Rita Lee, Arnaldo Baptista, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque. Ganhou discos de ouro e de platina em uma época que venda de álbuns contava e muito.

Ney ficou em 3º lugar na eleição da Billboard Brasil que vai revelar qual é o artista mais completo do país. Sua maior nota foi conquistada no quesito “presença de palco” – como não se lembrar de performances marcadas pela interpretação ímpar do artista?

Veja abaixo cinco álbuns imperdíveis da carreira de Ney Matogrosso:

Secos & Molhados (1973) – Apesar de não ser parte da discografia solo de Ney Matogrosso, é um álbum fundamental para o entendermos como artista. Nesse disco que mistura glam rock com música brasileira e lusitana, Ney se tornou figura marcante com "Sangue Latino", chocou os conservadores com "O Vira" e emocionou com “Fala”, que encerra o álbum.

Reprodução

Água do Céu – Pássaro (1975) – Esse foi o primeiro solo do Ney e o momento para mostrar a que veio. Com composições de peso de Sá e Guarabyra, João Bosco e Aldir Blanc e Ruy Guerra e Milton Nascimento, entre outros, o trabalho não decepcionou.

Reprodução

À Flor Da Pele (1990) – Ney funde sua voz ao violão de Rafael Rabello e gera um dos álbuns mais tocantes da sua carreira. Destaque para “As Rosas Não Falam” e “Balada Do Louco”.

Reprodução

Beijo Bandido (2009) – Ney fez uma opção: saem os figurinos exuberantes e os excessos, entra a simplicidade. Isso rendeu um álbum e uma turnê que evidenciam ainda mais a sua voz e seu repertório.

Reprodução

Atento Aos Sinais (2013) – Em seu álbum mais recente, Ney mostrou que, como diz o título, está atento aos sinais de uma geração mais nova de compositores. Pedro Luis (com quem já havia dividido um álbum anteriormente), Dan Nakagawa e Criolo são alguns deles.

Reprodução

Ouça na playlist abaixo 20 músicas obrigatórias do cantor:

Sobre a eleição: 12 críticos e profissionais da música deram notas de zero a 10 para sete quesitos de cada artista, como voz, presença de palco, capacidade de reinvenção na carreira, carisma, quantidade de hits, versatilidade e relevância da obra. O resultado, com os 50 artistas mais bem votados, será divulgado no próximo dia 21 de setembro.

VOTARAM: Bruna Serur, Lucas Borges Teixeira, Marcos Lauro, Marcos Sergio Silva, Marcos Xi, Mauricio Amendola, Monica Herculano, Patrícia Palumbo, Roberto Maia, Rodrigo Amaral, Wagner Gueller e Yasmin Muller.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Ney Matogrosso e suas diversas faces

Cantor ficou na 3ª posição na eleição do artista mais completo do Brasil

por Rebecca Silva em 19/09/2016

Ney Matogrosso surgiu para o grande público no grupo Secos e Molhados em 1973, com quem lançou dois discos de sucesso. Com o fim da banda, passou a se dedicar a sua carreira solo. Seu primeiro álbum, homônimo, foi lançado em 1975. Ney chamou atenção por sua voz aguda e seu jeito de se apresentar no palco, sempre maquiado, com figurinos exóticos e com carga dramática.

VEJA O PERFIL DE MARIA BETHÂNIA, 10ª COLOCADA NA ELEIÇÃO DE ARTISTA MAIS COMPLETO DO BRASIL

9º) RAUL SEIXAS

8º) TIM MAIA

7º) CHICO BUARQUE

6º) JORGE BEN JOR

5º) ELIS REGINA

4º) RITA LEE  

Em seus discos, imortalizou em sua voz músicas de outros grandes artistas brasileiros como Rita Lee, Arnaldo Baptista, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque. Ganhou discos de ouro e de platina em uma época que venda de álbuns contava e muito.

Ney ficou em 3º lugar na eleição da Billboard Brasil que vai revelar qual é o artista mais completo do país. Sua maior nota foi conquistada no quesito “presença de palco” – como não se lembrar de performances marcadas pela interpretação ímpar do artista?

Veja abaixo cinco álbuns imperdíveis da carreira de Ney Matogrosso:

Secos & Molhados (1973) – Apesar de não ser parte da discografia solo de Ney Matogrosso, é um álbum fundamental para o entendermos como artista. Nesse disco que mistura glam rock com música brasileira e lusitana, Ney se tornou figura marcante com "Sangue Latino", chocou os conservadores com "O Vira" e emocionou com “Fala”, que encerra o álbum.

Reprodução

Água do Céu – Pássaro (1975) – Esse foi o primeiro solo do Ney e o momento para mostrar a que veio. Com composições de peso de Sá e Guarabyra, João Bosco e Aldir Blanc e Ruy Guerra e Milton Nascimento, entre outros, o trabalho não decepcionou.

Reprodução

À Flor Da Pele (1990) – Ney funde sua voz ao violão de Rafael Rabello e gera um dos álbuns mais tocantes da sua carreira. Destaque para “As Rosas Não Falam” e “Balada Do Louco”.

Reprodução

Beijo Bandido (2009) – Ney fez uma opção: saem os figurinos exuberantes e os excessos, entra a simplicidade. Isso rendeu um álbum e uma turnê que evidenciam ainda mais a sua voz e seu repertório.

Reprodução

Atento Aos Sinais (2013) – Em seu álbum mais recente, Ney mostrou que, como diz o título, está atento aos sinais de uma geração mais nova de compositores. Pedro Luis (com quem já havia dividido um álbum anteriormente), Dan Nakagawa e Criolo são alguns deles.

Reprodução

Ouça na playlist abaixo 20 músicas obrigatórias do cantor:

Sobre a eleição: 12 críticos e profissionais da música deram notas de zero a 10 para sete quesitos de cada artista, como voz, presença de palco, capacidade de reinvenção na carreira, carisma, quantidade de hits, versatilidade e relevância da obra. O resultado, com os 50 artistas mais bem votados, será divulgado no próximo dia 21 de setembro.

VOTARAM: Bruna Serur, Lucas Borges Teixeira, Marcos Lauro, Marcos Sergio Silva, Marcos Xi, Mauricio Amendola, Monica Herculano, Patrícia Palumbo, Roberto Maia, Rodrigo Amaral, Wagner Gueller e Yasmin Muller.