NOTÍCIAS

Os 7 melhores (e 4 piores) momentos do Grammy

P!nk, “JAY-Z presidente” e polêmicas sobre Trump ficaram entre os destaques da premiação

por Redação em 29/01/2018

O Grammy 2018 não foi muito diferente da expectativa de muita gente que fez seus palpites e Bruno Mars foi o grande vencedor de uma noite que teve um tom mais político do que o habitual.

Listamos aqui, em nenhuma ordem particular, os sete melhores e quatro piores momentos dessa edição da festa.

CAMILA CABELLO E “DESPACITO” DOMINARAM O TWITTER DURANTE O GRAMMY

Os sete melhores momentos

P!nk tem as manhas
Depois de anos de incrédulas e incríveis performances em premiações – a cantora já se apresentou pendurada em cabos do lado de fora de um hotel, por exemplo – alguém finalmente a deixa subir num palco para apenas cantar uma música. E considerando que ela parece incrível cantando ao vivo enquanto arrisca sua vida, você pode pensar: "Bem, ela deve cantar ainda melhor quando não está preocupada em evitar a sua morte". E você está certo. Ela destruiu em sua apresentação e provou que tem as manhas.

A energia de Bruno Mars e Cardi B
"Finesse" é uma das músicas mais divertida em meses e sua apresentação fez juz a isso.

Previsão presidencial de Kendrick Lamar
Depois de receber o prêmio de Álbum de Rap do Ano para DAMN., Kendrick jogou esse desejo no ar: "JAY-Z para presidente!".

Leituras do livro Fire and Fury
James Corden colocou artistas para ler trechos do incendiário livro sobre  Trump, Fire and Fury, de Michael Wolff. Este foi um quadro de comédia pré-gravado que funcionou, porque 1) Cardi B deixou de ler sua passagem para se admirar genuinamente: "Não posso acreditar nisso. É assim que ele vive a vida dele?" e 2) ele colocou Hillary Clinton para ler a passagem final. A mandíbula da nação caiu coletivamente e o Twitter se preparou para uma tempestade de Trump.

Chappelle mandando a real
Durante a abertura do número de Kendrick com U2, Dave Chappelle subiu ao palco para o tipo de piada que derruba como um soco: "Eu só queria lembrar ao público que a única coisa mais assustadora do que assistir um preto sendo sincero na América é ser um homem negro sincero na América. Desculpe pela interrupção".

Blue Ivy interrompe seus pais
Mesmo que seus pais sejam JAY-Z e Beyonce, quando você tem seis anos eles vão te envergonhar em algum momento. Então, Blue Ivy fez questão de impedir que os Carter batessem palmas em um momento durante o show, aparentemente sob a impressão de que estavam exagerando um pouco.

A palavra de Camila aos sonhadores
Camila Cabello, que atingiu o número 1 no Hot 100 e no Billboard 200, compartilhou a história de imigração da família durante a transmissão. "Hoje, nesta sala cheia de sonhadores da música, lembramos que este país foi construído por sonhadores, para sonhadores, perseguindo o sonho americano", disse Cabello. "Estou aqui neste palco esta noite porque, assim como os sonhos, meus pais me trouxeram para o país com nada nos bolsos. Eles me mostraram o que significa trabalhar duas vezes mais e nunca desistir. E, honestamente, nenhuma parte da minha jornada é diferente da deles"

Os quatro piores

Sem prêmios para Kesha?!
Ao contrário de algumas premiações, o Grammy não escolhe suas performances por conta de quem está concorrendo aos prêmios e têm chance real de vitória. Mesmo assim, foi estranho ver Kesha cantando sua balada “Praying” e não ser premiada em nenhuma das duas categorias em que concorreu.

E JAY-Z?!
Vamos lá, nenhum prêmio?

Karaokê do metrô
Enquanto Sting e Shaggy fizeram uma apresentação surpreendentemente, o quadro de karaokê no metrô de Corden soou forçado ... e continuou assim até o final.

Final melancólico
O Grammy começo bem, mas colocaram três momentos lentos e melancólicos um após o outro na meia hora final (a gentil homenagem de Tom Petty, a montagem In Memoriam e "1-800 -273-8255"). Todos esses números eram necessários, mas um após o outro deixou o espectador sentir-se extremamente cansado, com a festa já completando três horas de duração. Felizmente, Logic colocou fogo no palco quando pegou o microfone e falou verdades.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Apelido Carinhoso
Gusttavo Lima
2
2050
Luan Santana
3
Largado às Traças
Zé Neto & Cristiano
4
Quem Ensinou Fui Eu
Maiara & Maraisa
5
Mais Amor E Menos Drama
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Os 7 melhores (e 4 piores) momentos do Grammy

P!nk, “JAY-Z presidente” e polêmicas sobre Trump ficaram entre os destaques da premiação

por Redação em 29/01/2018

O Grammy 2018 não foi muito diferente da expectativa de muita gente que fez seus palpites e Bruno Mars foi o grande vencedor de uma noite que teve um tom mais político do que o habitual.

Listamos aqui, em nenhuma ordem particular, os sete melhores e quatro piores momentos dessa edição da festa.

CAMILA CABELLO E “DESPACITO” DOMINARAM O TWITTER DURANTE O GRAMMY

Os sete melhores momentos

P!nk tem as manhas
Depois de anos de incrédulas e incríveis performances em premiações – a cantora já se apresentou pendurada em cabos do lado de fora de um hotel, por exemplo – alguém finalmente a deixa subir num palco para apenas cantar uma música. E considerando que ela parece incrível cantando ao vivo enquanto arrisca sua vida, você pode pensar: "Bem, ela deve cantar ainda melhor quando não está preocupada em evitar a sua morte". E você está certo. Ela destruiu em sua apresentação e provou que tem as manhas.

A energia de Bruno Mars e Cardi B
"Finesse" é uma das músicas mais divertida em meses e sua apresentação fez juz a isso.

Previsão presidencial de Kendrick Lamar
Depois de receber o prêmio de Álbum de Rap do Ano para DAMN., Kendrick jogou esse desejo no ar: "JAY-Z para presidente!".

Leituras do livro Fire and Fury
James Corden colocou artistas para ler trechos do incendiário livro sobre  Trump, Fire and Fury, de Michael Wolff. Este foi um quadro de comédia pré-gravado que funcionou, porque 1) Cardi B deixou de ler sua passagem para se admirar genuinamente: "Não posso acreditar nisso. É assim que ele vive a vida dele?" e 2) ele colocou Hillary Clinton para ler a passagem final. A mandíbula da nação caiu coletivamente e o Twitter se preparou para uma tempestade de Trump.

Chappelle mandando a real
Durante a abertura do número de Kendrick com U2, Dave Chappelle subiu ao palco para o tipo de piada que derruba como um soco: "Eu só queria lembrar ao público que a única coisa mais assustadora do que assistir um preto sendo sincero na América é ser um homem negro sincero na América. Desculpe pela interrupção".

Blue Ivy interrompe seus pais
Mesmo que seus pais sejam JAY-Z e Beyonce, quando você tem seis anos eles vão te envergonhar em algum momento. Então, Blue Ivy fez questão de impedir que os Carter batessem palmas em um momento durante o show, aparentemente sob a impressão de que estavam exagerando um pouco.

A palavra de Camila aos sonhadores
Camila Cabello, que atingiu o número 1 no Hot 100 e no Billboard 200, compartilhou a história de imigração da família durante a transmissão. "Hoje, nesta sala cheia de sonhadores da música, lembramos que este país foi construído por sonhadores, para sonhadores, perseguindo o sonho americano", disse Cabello. "Estou aqui neste palco esta noite porque, assim como os sonhos, meus pais me trouxeram para o país com nada nos bolsos. Eles me mostraram o que significa trabalhar duas vezes mais e nunca desistir. E, honestamente, nenhuma parte da minha jornada é diferente da deles"

Os quatro piores

Sem prêmios para Kesha?!
Ao contrário de algumas premiações, o Grammy não escolhe suas performances por conta de quem está concorrendo aos prêmios e têm chance real de vitória. Mesmo assim, foi estranho ver Kesha cantando sua balada “Praying” e não ser premiada em nenhuma das duas categorias em que concorreu.

E JAY-Z?!
Vamos lá, nenhum prêmio?

Karaokê do metrô
Enquanto Sting e Shaggy fizeram uma apresentação surpreendentemente, o quadro de karaokê no metrô de Corden soou forçado ... e continuou assim até o final.

Final melancólico
O Grammy começo bem, mas colocaram três momentos lentos e melancólicos um após o outro na meia hora final (a gentil homenagem de Tom Petty, a montagem In Memoriam e "1-800 -273-8255"). Todos esses números eram necessários, mas um após o outro deixou o espectador sentir-se extremamente cansado, com a festa já completando três horas de duração. Felizmente, Logic colocou fogo no palco quando pegou o microfone e falou verdades.