NOTÍCIAS

Os cofres do Rei

por em 08/04/2013
O
s ganhos do espólio de Michael Jackson são estimados em US$ 145 milhões. Até 2017, dez discos virão
Por meio de entrevistas com especialistas da indústria da música e dos nossos próprios cálculos, a Billboard estimou a receita que Michael Jackson gerou em 2012, além do valor até agora, em 2013, e também estimou os ganhos que a receita gerou para o espólio. Os resultados não são iguais aos de 2012, quando a morte de Michael ainda era recente, mas ainda assim continuam  impressionantes: a receita baseada em música de 2012 foi de US$ 544,6 milhões, com o espólio faturando US$ 121 milhões. Fontes sugerem que os ganhos totais estejam próximos de US$ 160 milhões, o que deixaria US$ 39 milhões e licenciamento para mercadorias, filme, TV, vendas de DVD e outros contratos de licenciamentos. -  VENDAS DE MÚSICA E STREAMING Receita em 2012: US$ 51 milhões Parte do espólio: US$ 22,4 milhões Em 2012, Michael Jackson vendeu quase 819 mil unidades de álbuns nos EUA, e 2,8 milhões de faixas, de acordo com o Nielsen SoundScan. O espólio declarou que suas vendas de álbuns nos 48% das vendas globais, o que faz as vendas globais de álbuns saltarem de 2,7 milhões de unidades e 5,8 milhões de faixas para uma receita total de cerca de US$ 39,2 milhões. Enquanto isso, o total de vendas do Jackson 5 nos EUA foi de 155 mil unidades de álbuns e 422 mil faixas. Utilizando os mesmos cálculos, isso daria 518 mil álbuns no mundo todo, e 880 mil faixas, num total de US$ 7,2 milhões. Em 2012, o streaming era 12% das vendas, o que significa que o catálogo de Michael Jackson gerou mais US$ 5,5 milhões, fazendo com que a receita total de música chegasse a US$ 52 milhões. Se Michael Jackson consegue uma taxa de royalty de super star de 50% (e um quinto dos royallties de 20% do Jackson 5), então o espólio compartilha o que seria um total de US$ 22,7 milhões. Até o fim de outubro de 2013, as vendas de 482 mil álbuns do artista nos EUA, e a venda de 1,9 milhão de faixas alcançam um número global de 1,6 milhão de unidades de álbuns vendidas, e quase quatro milhões de faixas comercializadas, gerando US$ 23,7 milhões. As vendas de 48 mil unidades de álbuns do Jackson 5 nos EUA, e de 248 mil faixas, aumenta para 161 mil álbuns globais e 516 mil faixas vendidas, ou US$ 2,5 milhões. A Billboard estima streaming em 2013 de cerca de 15% das vendas, ou mais US$ 4 milhões, de um total de US$ 30 milhões, sendo que o espólio ficaria com US$ 14 milhões.  - TURNÊ/LICENCIAMENTO  Receita em 2012: US$ 150,6 milhões Parte do espólio: US$ 30 milhões Michael Jackson: The Immortal World  Tour faturou US$ 150,6 milhões em 2012.  Estimando o custo desta produção em  US$ 90 milhões, isso deixaria US$ 60 milhões  para serem divididos entre o Cirque du  Soleil e o espólio de Michael, ou  US$ 30 milhões em ganhos para este último.  Em 2013, o show faturou até agora  US$ 124,3 milhões. Uma nova fonte de renda de apresentação ao vivo foi adicionada: Michael  Jackson One, a temporada fixa no Mandalay Bay, em Las Vegas. A Billboard estima que o espetáculo está gerando aproximadamente US$ 2,5 milhões por semana de receita – ou US$ 45 milhões desde que começou, em 23 de maio. Isso faz com que a receita total de turnês/licenciamento chegue perto de  US$ 170 milhões. Se o custo é de cerca de US$ 100 milhões, isso deixaria US$ 170 mi- lhões para serem divididos igualmente, com o espólio de Michael faturando US$ 35 milhões. -  CONTRATO DE GRAVAÇÃO Receita em 2012: US$ 31 milhões Parte do espólio: US$ 31 milhões Em 2010, a Sony Music Entertainment fechou um contrato com o espólio para lançar dez álbuns do músico até 2017, sendo que o espólio tem garantidos entre US$ 200 milhões e US$ 250 milhões pelo contrato. Isso dá US$ 31 milhões por ano, incluindo a edição especial de 25º aniversário de Bad, em setembro de 2012. -  PUBLICAÇÃO MUSICAL  Receita em 2012: US$ 312 milhões  Parte do espólio: US$ 38 milhões Quando um grupo de investidores liderado pela Sony Corp. of America comprou a EMI Music Publishing, a parcela da Sony era de 38%, da qual Michael possui 9,5%. Uma vez que pagou US$ 2,2 bilhões para a empresa, e EUA representam 30% das vendas globais, e a Billboard estima que as vendas de faixas do artista nos EUA sejam se adquiriu catálogos de música com valor de US$ 90 milhões, a parte do espólio é de US$ 206,8 milhões.  Em seus mais recentes números públicos para o ano fiscal encerrado em 31 de maio de 2012, a EMI Music Publishing gerou US$ 211 milhões em ganhos, sem considerar descontos de juros, impostos, depreciações e amortizações. Mas com os custos associados com aquisição e fecha- mento do contrato, e subsequentes cortes, provavelmente não houve pagamentos para acionistas em 2012. Em 2013, o pagamento de Michael Jackson, depois de quitados os débitos, seria no valor de US$ 9 milhões.  O espólio também é dono de metade da Sony/ATV, que foi avaliada em cerca de US$ 1,6 bilhão, o que significa que a parte de Michael Jackson vale cerca de US$ 800 milhões. De acordo com dados financeiros recentes, na metade do ano fiscal de 2013, a Sony/ATV teve receita de US$ 315 milhões. Se ela registrar receita equivalente na outra metade do ano, a receita anual da Sony/ATV deve ser de cerca de US$ 630 milhões, e até os dez primeiros meses isso seria igual a US$ 525 milhões.  Se o EBITDA da empresa atingir os mesmos 30% de receita que a EMI conquistou, isso deve dar à empresa US$ 157,5 milhões até a presente data. A Sony Corp. colocou cerca de US$ 300 milhões em participação sobre o preço de compra, provavelmente lançados nos livros da Sony/ATV como um empréstimo, o que, com 5%, tem cerca de US$15 milhões de dívida anual e US$ 12,5 milhões no fi m de outubro.  Isso representa ganhos de US$ 145 milhões. Isso tudo significa que, caso fosse dividida entre os acionistas antes da cobrança de impostos, a parte de Michael seria de US$ 72,5 milhões. Do jeito que a situação está hoje, o espólio tem pagamentos anuais garantidos de pelo menos US$ 23 milhões. A Billboard avalia o catálogo da Mijac Music, de Michael Jackson, em cerca de US$ 150 milhões. Partindo do princípio do múltiplo padrão vezes dez na publicação, isso gera cerca de US$ 15 milhões por ano em royalties. Ao todo, a Billboard estima a avaliação dos ativos de publicação de Michael Jackson em US$ 1,2 bilhão.   *Matéria publicada na edição 46 da Billboard Brasil, em Novembro de 2013.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Os cofres do Rei

por em 08/04/2013
O
s ganhos do espólio de Michael Jackson são estimados em US$ 145 milhões. Até 2017, dez discos virão
Por meio de entrevistas com especialistas da indústria da música e dos nossos próprios cálculos, a Billboard estimou a receita que Michael Jackson gerou em 2012, além do valor até agora, em 2013, e também estimou os ganhos que a receita gerou para o espólio. Os resultados não são iguais aos de 2012, quando a morte de Michael ainda era recente, mas ainda assim continuam  impressionantes: a receita baseada em música de 2012 foi de US$ 544,6 milhões, com o espólio faturando US$ 121 milhões. Fontes sugerem que os ganhos totais estejam próximos de US$ 160 milhões, o que deixaria US$ 39 milhões e licenciamento para mercadorias, filme, TV, vendas de DVD e outros contratos de licenciamentos. -  VENDAS DE MÚSICA E STREAMING Receita em 2012: US$ 51 milhões Parte do espólio: US$ 22,4 milhões Em 2012, Michael Jackson vendeu quase 819 mil unidades de álbuns nos EUA, e 2,8 milhões de faixas, de acordo com o Nielsen SoundScan. O espólio declarou que suas vendas de álbuns nos 48% das vendas globais, o que faz as vendas globais de álbuns saltarem de 2,7 milhões de unidades e 5,8 milhões de faixas para uma receita total de cerca de US$ 39,2 milhões. Enquanto isso, o total de vendas do Jackson 5 nos EUA foi de 155 mil unidades de álbuns e 422 mil faixas. Utilizando os mesmos cálculos, isso daria 518 mil álbuns no mundo todo, e 880 mil faixas, num total de US$ 7,2 milhões. Em 2012, o streaming era 12% das vendas, o que significa que o catálogo de Michael Jackson gerou mais US$ 5,5 milhões, fazendo com que a receita total de música chegasse a US$ 52 milhões. Se Michael Jackson consegue uma taxa de royalty de super star de 50% (e um quinto dos royallties de 20% do Jackson 5), então o espólio compartilha o que seria um total de US$ 22,7 milhões. Até o fim de outubro de 2013, as vendas de 482 mil álbuns do artista nos EUA, e a venda de 1,9 milhão de faixas alcançam um número global de 1,6 milhão de unidades de álbuns vendidas, e quase quatro milhões de faixas comercializadas, gerando US$ 23,7 milhões. As vendas de 48 mil unidades de álbuns do Jackson 5 nos EUA, e de 248 mil faixas, aumenta para 161 mil álbuns globais e 516 mil faixas vendidas, ou US$ 2,5 milhões. A Billboard estima streaming em 2013 de cerca de 15% das vendas, ou mais US$ 4 milhões, de um total de US$ 30 milhões, sendo que o espólio ficaria com US$ 14 milhões.  - TURNÊ/LICENCIAMENTO  Receita em 2012: US$ 150,6 milhões Parte do espólio: US$ 30 milhões Michael Jackson: The Immortal World  Tour faturou US$ 150,6 milhões em 2012.  Estimando o custo desta produção em  US$ 90 milhões, isso deixaria US$ 60 milhões  para serem divididos entre o Cirque du  Soleil e o espólio de Michael, ou  US$ 30 milhões em ganhos para este último.  Em 2013, o show faturou até agora  US$ 124,3 milhões. Uma nova fonte de renda de apresentação ao vivo foi adicionada: Michael  Jackson One, a temporada fixa no Mandalay Bay, em Las Vegas. A Billboard estima que o espetáculo está gerando aproximadamente US$ 2,5 milhões por semana de receita – ou US$ 45 milhões desde que começou, em 23 de maio. Isso faz com que a receita total de turnês/licenciamento chegue perto de  US$ 170 milhões. Se o custo é de cerca de US$ 100 milhões, isso deixaria US$ 170 mi- lhões para serem divididos igualmente, com o espólio de Michael faturando US$ 35 milhões. -  CONTRATO DE GRAVAÇÃO Receita em 2012: US$ 31 milhões Parte do espólio: US$ 31 milhões Em 2010, a Sony Music Entertainment fechou um contrato com o espólio para lançar dez álbuns do músico até 2017, sendo que o espólio tem garantidos entre US$ 200 milhões e US$ 250 milhões pelo contrato. Isso dá US$ 31 milhões por ano, incluindo a edição especial de 25º aniversário de Bad, em setembro de 2012. -  PUBLICAÇÃO MUSICAL  Receita em 2012: US$ 312 milhões  Parte do espólio: US$ 38 milhões Quando um grupo de investidores liderado pela Sony Corp. of America comprou a EMI Music Publishing, a parcela da Sony era de 38%, da qual Michael possui 9,5%. Uma vez que pagou US$ 2,2 bilhões para a empresa, e EUA representam 30% das vendas globais, e a Billboard estima que as vendas de faixas do artista nos EUA sejam se adquiriu catálogos de música com valor de US$ 90 milhões, a parte do espólio é de US$ 206,8 milhões.  Em seus mais recentes números públicos para o ano fiscal encerrado em 31 de maio de 2012, a EMI Music Publishing gerou US$ 211 milhões em ganhos, sem considerar descontos de juros, impostos, depreciações e amortizações. Mas com os custos associados com aquisição e fecha- mento do contrato, e subsequentes cortes, provavelmente não houve pagamentos para acionistas em 2012. Em 2013, o pagamento de Michael Jackson, depois de quitados os débitos, seria no valor de US$ 9 milhões.  O espólio também é dono de metade da Sony/ATV, que foi avaliada em cerca de US$ 1,6 bilhão, o que significa que a parte de Michael Jackson vale cerca de US$ 800 milhões. De acordo com dados financeiros recentes, na metade do ano fiscal de 2013, a Sony/ATV teve receita de US$ 315 milhões. Se ela registrar receita equivalente na outra metade do ano, a receita anual da Sony/ATV deve ser de cerca de US$ 630 milhões, e até os dez primeiros meses isso seria igual a US$ 525 milhões.  Se o EBITDA da empresa atingir os mesmos 30% de receita que a EMI conquistou, isso deve dar à empresa US$ 157,5 milhões até a presente data. A Sony Corp. colocou cerca de US$ 300 milhões em participação sobre o preço de compra, provavelmente lançados nos livros da Sony/ATV como um empréstimo, o que, com 5%, tem cerca de US$15 milhões de dívida anual e US$ 12,5 milhões no fi m de outubro.  Isso representa ganhos de US$ 145 milhões. Isso tudo significa que, caso fosse dividida entre os acionistas antes da cobrança de impostos, a parte de Michael seria de US$ 72,5 milhões. Do jeito que a situação está hoje, o espólio tem pagamentos anuais garantidos de pelo menos US$ 23 milhões. A Billboard avalia o catálogo da Mijac Music, de Michael Jackson, em cerca de US$ 150 milhões. Partindo do princípio do múltiplo padrão vezes dez na publicação, isso gera cerca de US$ 15 milhões por ano em royalties. Ao todo, a Billboard estima a avaliação dos ativos de publicação de Michael Jackson em US$ 1,2 bilhão.   *Matéria publicada na edição 46 da Billboard Brasil, em Novembro de 2013.