NOTÍCIAS

Veja a trajetória do aniversariante JT no Hot 100

Cantor completa 36 anos hoje

por Redação em 31/01/2016

Das crias de Michael Jackson, a mais bem sucedida completa 36 anos hoje. Justin Timberlake é considerado por muitos o legítimo sucessor do Rei do Pop, algo próximo de um “príncipe” do gênero (também há quem o chame de o Presidente do Pop). Além de talentoso como cantor – com seus inconfundíveis falsetes –, JT dança como poucos e tem se aventurado com competência pelo cinema há alguns anos.

Desde o início de sua carreira, no Clube do Mickey e depois no *NSync, o cantor nascido em Memphis, no Tennessee, já dava pinta de que seria um performer de lotar estádios. Após sentir todo o frisson de fazer parte de uma boyband que arrancava grito de meninas enlouquecidas, JT se desvencilhou do pop vulgar e alçou voos mais altos. E também raspou o cabelo de miojo.

Logo de cara, Justified (2002), sua estreia como artista solo, contou com a produção de Chad Hugo e Pharrell (muito antes de “Happy”), que juntos assinam como The Neptunes. Em seguida, se aprofundou nos batidões graves de Timbaland, em seu segundo disco, FutureSex/LoveSounds (2006), que o consolidou como um dos astros do show biz mundial. Em 2013, foi a hora de se jogar numa pegada mais revivalista, flertando com a soul music e ainda mais com a sonoridade de Michael Jackson nos anos 1980. The 20/20 Experience (2013), disco duplo ao lado da incrível banda Tennessee Kids, mostrou um cantor que sabe se aventurar pela música negra, vide “Take Back The Night” ou “Let The Groove Get In”.  Mas que também não deixa de lado o pop que o consagrou, casos de “Mirrors” e “Not A Bad Thing”.

Para celebrar os 36 anos de JT, Billboard Brasil lista suas dez canções que chegaram ao top 10 do Hot 100. As músicas estão na playlist abaixo, assim como seus clipes. Aproveitamos para acrescentar à playlist diversas colaborações de Timberlake, em trabalhos de artistas como Madonna, Jay Z, Timbaland e Michael Jackson, entre outros:

10. "Can't Stop The Feeling"

Parte da trilha sonora do filme de animação Trolls, a faixa foi lançada como single pelo cantor e estreou direto no 1º lugar do Hot 100 - primeira vez que ele conseguiu o feito. Além disso, foi indicada ao Oscar na categoria Melhor Canção Original. O divertido e colorido clipe mostra JT e personagens dançando em diferentes cenários.

 

9. “Not A Bad Thing”

A 9ª colocada da lista de hits de Justin Timberlake é uma balada pop romântica. Produzida pelo próprio cantor em parceria com Timbaland e J-Rock, “Not A Bad Thing” foi o terceiro single de The 20/20 Experience (2013) e chegou ao 8º lugar do Hot 100. Com JT ao violão, a faixa ganhou um clipe no qual diversos casais compartilham fotos e vídeos contando suas histórias e reflexões sobre o amor.

8. “Summer Love”

O sexto e último single do disco FutureSex/LoveSounds (2006) é um formidável pop dançante que rendeu a JT comparações com sua época de *NSync. Produzida por Timbaland, “Summer Love” aborda, como o título diz, o famoso amor de verão – que sobe serra, sim, defende o cantor na letra. Além de chegar ao topo da parada Pop Songs da Billboard, a faixa conquistou o 6º lugar no Hot 100.

 

7. “Rock Your Body”

Com a produção competente da dupla Chad Hugo e Pharrell Williams, “Rock Your Body” é uma canção pop cheia de groove, com influências de Michael Jackson e Stevie Wonder. A faixa foi um dos singles de Justified (2002) e chegou ao 5º lugar do Hot 100. Com direção de Francis Lawrence – responsável por filmes como Eu Sou A Lenda e pela franquia Jogos Vorazes –, o clipe da faixa deixou evidente a atmosfera disco music da canção: JT dançando em um cubo cheio de luzes.

6. Suit & Tie”

O carro-chefe de The 20/20 Experience (2013), um pop com toques de R&B no melhor estilo Off The Wall, marcou o retorno de JT após sete anos. E, claro, sua volta não foi nada acanhada: em “Suit & Tie”, o cantor convocou Jay Z para mandar suas rimas. Com clipe em preto e branco dirigido por David Fincher, a faixa foi apresentada no Grammy, passou 11 semanas no Hot 100, sendo a melhor posição o 3º lugar. Um belo retorno aos holofotes musicais.

5. “Cry Me A River”

A primeira grande contribuição deTimbaland ao cancioneiro de JT foi neste desabafo de “dor de corno” cheia de estilo. Assumidamente inspirada no término de seu relacionamento com Britney Spears, “Cry Me A River” une beatbox, canto gregoriano e teclado, chegando a um resultado primoroso como canção pop. A faixa foi o segundo single de Justified (2002), sucedendo “Like I Love You”, estreia da carreia solo do cantor. Além de chegar ao 3º lugar do Hot 100 e passar 18 semanas no ranking, a faixa arrebatou o prêmio de Melhor Performance Vocal Pop Masculina no Grammy. Se Britney chorou um rio por Justin, nós não sabemos, mas o recado foi bem dado.

 

4. “Mirrors”

A canção mais bem sucedida do mais recente álbum de Justin Timberlake é outra parceria com Timbaland e J-Rock.  Inspirada na relação entre os avós do cantor, William e Sadie, “Mirrors” foi o segundo single de The 20/20 Experience e conquistou o 2º lugar do Hot 100. Além disso, chegou ao top 5 das paradas de mais de 20 países. A faixa só não foi número 1 nos Estados Unidos, porque “Thrift Shop”, de Macklemore & Ryan Lewis, estava imbatível. À época do lançamento do single, a crítica especializada reconheceu que o retorno de JT não seria marcado apenas pelo revivalismo.

3. “What Goes Around... Comes Around”

Espécie de segundo capítulo de “Cry Me A River”, “What Goes Around… Comes Around” também fala sobre traição, vingança e perdão. Com beat produzido por Timbaland, o terceiro single deFutureSex/LoveSounds (2006) foi amplamente elogiado. As pessoas realmente entraram na onda dos famosos falsetes de JT. Além de liderar o Hot 100 por uma semana e chegar ao 4º lugar da parada britânica, a canção ganhou o Grammy de Melhor Performance Vocal Pop Masculina. O clipe da canção – praticamente um curta, considerando os quase 10 minutos de duração – conta com a participação da belíssima Scarlett Johansson.

2. “My Love”

Se o público já tinha gostado dos falsetes de JT em “What Goes Around…”, essa aqui não tinha como falhar. A voz fina do cantor já aparece logo no primeiro verso de “My Love”, parceria com T.I., lançada como segundo single de FutureSex/LoveSounds (2006). Com refrão chiclete e produção bem encaixada – mais uma vez, de Timbaland – a faixa passou três semanas no topo do Hot 100, sendo o segundo nº 1 de JT em 2006. A canção ainda levou o prêmio de Melhor Colaboração de Rap e Cantor no Grammy.

1.  “Sexyback”

A canção mais bem sucedida de Justin Timberlake foi a primeira de sua carreira solo a chegar ao topo do Hot 100. Não era para menos: “SexyBack”, carro-chefe de FutereSex/LoveSounds (2006), como a letra diz, trouxe a sensualidade de volta. A canção desbancou “London Bridge”, de Fergie, e passou nada menos do que sete semanas no topo do ranking de singles, tornando-se uma das músicas mais ouvidas nos Estados Unidos em 2006. JT disse que seus vocais na faixa (que chegou ao topo das paradas de mais de dez países) foram inspirados em Prince. “Promiscuous”, hit de Nelly Furtado do mesmo ano, foi considerada a versão feminina de “SexyBack”.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Veja a trajetória do aniversariante JT no Hot 100

Cantor completa 36 anos hoje

por Redação em 31/01/2016

Das crias de Michael Jackson, a mais bem sucedida completa 36 anos hoje. Justin Timberlake é considerado por muitos o legítimo sucessor do Rei do Pop, algo próximo de um “príncipe” do gênero (também há quem o chame de o Presidente do Pop). Além de talentoso como cantor – com seus inconfundíveis falsetes –, JT dança como poucos e tem se aventurado com competência pelo cinema há alguns anos.

Desde o início de sua carreira, no Clube do Mickey e depois no *NSync, o cantor nascido em Memphis, no Tennessee, já dava pinta de que seria um performer de lotar estádios. Após sentir todo o frisson de fazer parte de uma boyband que arrancava grito de meninas enlouquecidas, JT se desvencilhou do pop vulgar e alçou voos mais altos. E também raspou o cabelo de miojo.

Logo de cara, Justified (2002), sua estreia como artista solo, contou com a produção de Chad Hugo e Pharrell (muito antes de “Happy”), que juntos assinam como The Neptunes. Em seguida, se aprofundou nos batidões graves de Timbaland, em seu segundo disco, FutureSex/LoveSounds (2006), que o consolidou como um dos astros do show biz mundial. Em 2013, foi a hora de se jogar numa pegada mais revivalista, flertando com a soul music e ainda mais com a sonoridade de Michael Jackson nos anos 1980. The 20/20 Experience (2013), disco duplo ao lado da incrível banda Tennessee Kids, mostrou um cantor que sabe se aventurar pela música negra, vide “Take Back The Night” ou “Let The Groove Get In”.  Mas que também não deixa de lado o pop que o consagrou, casos de “Mirrors” e “Not A Bad Thing”.

Para celebrar os 36 anos de JT, Billboard Brasil lista suas dez canções que chegaram ao top 10 do Hot 100. As músicas estão na playlist abaixo, assim como seus clipes. Aproveitamos para acrescentar à playlist diversas colaborações de Timberlake, em trabalhos de artistas como Madonna, Jay Z, Timbaland e Michael Jackson, entre outros:

10. "Can't Stop The Feeling"

Parte da trilha sonora do filme de animação Trolls, a faixa foi lançada como single pelo cantor e estreou direto no 1º lugar do Hot 100 - primeira vez que ele conseguiu o feito. Além disso, foi indicada ao Oscar na categoria Melhor Canção Original. O divertido e colorido clipe mostra JT e personagens dançando em diferentes cenários.

 

9. “Not A Bad Thing”

A 9ª colocada da lista de hits de Justin Timberlake é uma balada pop romântica. Produzida pelo próprio cantor em parceria com Timbaland e J-Rock, “Not A Bad Thing” foi o terceiro single de The 20/20 Experience (2013) e chegou ao 8º lugar do Hot 100. Com JT ao violão, a faixa ganhou um clipe no qual diversos casais compartilham fotos e vídeos contando suas histórias e reflexões sobre o amor.

8. “Summer Love”

O sexto e último single do disco FutureSex/LoveSounds (2006) é um formidável pop dançante que rendeu a JT comparações com sua época de *NSync. Produzida por Timbaland, “Summer Love” aborda, como o título diz, o famoso amor de verão – que sobe serra, sim, defende o cantor na letra. Além de chegar ao topo da parada Pop Songs da Billboard, a faixa conquistou o 6º lugar no Hot 100.

 

7. “Rock Your Body”

Com a produção competente da dupla Chad Hugo e Pharrell Williams, “Rock Your Body” é uma canção pop cheia de groove, com influências de Michael Jackson e Stevie Wonder. A faixa foi um dos singles de Justified (2002) e chegou ao 5º lugar do Hot 100. Com direção de Francis Lawrence – responsável por filmes como Eu Sou A Lenda e pela franquia Jogos Vorazes –, o clipe da faixa deixou evidente a atmosfera disco music da canção: JT dançando em um cubo cheio de luzes.

6. Suit & Tie”

O carro-chefe de The 20/20 Experience (2013), um pop com toques de R&B no melhor estilo Off The Wall, marcou o retorno de JT após sete anos. E, claro, sua volta não foi nada acanhada: em “Suit & Tie”, o cantor convocou Jay Z para mandar suas rimas. Com clipe em preto e branco dirigido por David Fincher, a faixa foi apresentada no Grammy, passou 11 semanas no Hot 100, sendo a melhor posição o 3º lugar. Um belo retorno aos holofotes musicais.

5. “Cry Me A River”

A primeira grande contribuição deTimbaland ao cancioneiro de JT foi neste desabafo de “dor de corno” cheia de estilo. Assumidamente inspirada no término de seu relacionamento com Britney Spears, “Cry Me A River” une beatbox, canto gregoriano e teclado, chegando a um resultado primoroso como canção pop. A faixa foi o segundo single de Justified (2002), sucedendo “Like I Love You”, estreia da carreia solo do cantor. Além de chegar ao 3º lugar do Hot 100 e passar 18 semanas no ranking, a faixa arrebatou o prêmio de Melhor Performance Vocal Pop Masculina no Grammy. Se Britney chorou um rio por Justin, nós não sabemos, mas o recado foi bem dado.

 

4. “Mirrors”

A canção mais bem sucedida do mais recente álbum de Justin Timberlake é outra parceria com Timbaland e J-Rock.  Inspirada na relação entre os avós do cantor, William e Sadie, “Mirrors” foi o segundo single de The 20/20 Experience e conquistou o 2º lugar do Hot 100. Além disso, chegou ao top 5 das paradas de mais de 20 países. A faixa só não foi número 1 nos Estados Unidos, porque “Thrift Shop”, de Macklemore & Ryan Lewis, estava imbatível. À época do lançamento do single, a crítica especializada reconheceu que o retorno de JT não seria marcado apenas pelo revivalismo.

3. “What Goes Around... Comes Around”

Espécie de segundo capítulo de “Cry Me A River”, “What Goes Around… Comes Around” também fala sobre traição, vingança e perdão. Com beat produzido por Timbaland, o terceiro single deFutureSex/LoveSounds (2006) foi amplamente elogiado. As pessoas realmente entraram na onda dos famosos falsetes de JT. Além de liderar o Hot 100 por uma semana e chegar ao 4º lugar da parada britânica, a canção ganhou o Grammy de Melhor Performance Vocal Pop Masculina. O clipe da canção – praticamente um curta, considerando os quase 10 minutos de duração – conta com a participação da belíssima Scarlett Johansson.

2. “My Love”

Se o público já tinha gostado dos falsetes de JT em “What Goes Around…”, essa aqui não tinha como falhar. A voz fina do cantor já aparece logo no primeiro verso de “My Love”, parceria com T.I., lançada como segundo single de FutureSex/LoveSounds (2006). Com refrão chiclete e produção bem encaixada – mais uma vez, de Timbaland – a faixa passou três semanas no topo do Hot 100, sendo o segundo nº 1 de JT em 2006. A canção ainda levou o prêmio de Melhor Colaboração de Rap e Cantor no Grammy.

1.  “Sexyback”

A canção mais bem sucedida de Justin Timberlake foi a primeira de sua carreira solo a chegar ao topo do Hot 100. Não era para menos: “SexyBack”, carro-chefe de FutereSex/LoveSounds (2006), como a letra diz, trouxe a sensualidade de volta. A canção desbancou “London Bridge”, de Fergie, e passou nada menos do que sete semanas no topo do ranking de singles, tornando-se uma das músicas mais ouvidas nos Estados Unidos em 2006. JT disse que seus vocais na faixa (que chegou ao topo das paradas de mais de dez países) foram inspirados em Prince. “Promiscuous”, hit de Nelly Furtado do mesmo ano, foi considerada a versão feminina de “SexyBack”.