NOTÍCIAS

Por que grupos entram em hiato em vez de colocar um ponto final na história?

Nesta semana, o Fifth Harmony anunciou a pausa para focar nas carreiras solo das integrantes, assim como o One Direction

por Redação em 21/03/2018

Grupos pop em hiato são o equivalente ao seu casal de amigos dando um tempo: as chances são altas de não continuarem juntos, mas, sem dizer nada oficialmente, eles podem deixar a porta aberta para uma possível reconciliação. Boy bands e girl groups tendem a anunciar o hiato em vez de dar um fim ao grupo de uma vez por todas. Por quê?

“É inteligente”, diz a assessora veterana Diana Baron para a Billboard sobre a estratégia. “Dá a oportunidade para que vejam se cada um consegue ter uma carreira bem-sucedida individualmente. E, mais importante, evita a histeria dos fãs sobre de quem é a culpa do término e a negatividade que isso atrai.”

O mais recente grupo a testar o campo das carreiras solo é o Fifth Harmony, que revelou nesta segunda-feira (19/03) que vai entrar em hiato para focar em projetos individuais e crescimento pessoal. “Depois de seis anos trabalhando duro, sem parar, percebemos que para continuarmos autênticas precisamos dar um tempo para ir atrás de desafios pessoais”, escreveu o grupo em um comunicado.

O 5H deu a notícia de forma bem positiva, com as garotas de dizendo animadas e gratas pelo tempo para “crescer criativamente e se encontrarem como indivíduos. Fazendo isso, nos permitimos ganhar novas experiências, forças e perspectivas para trazer de volta para a nossa família Fifth Harmony”. Não houve nenhuma indicação sobre a duração do hiato. Tomando essa decisão, as integrantes remanescentes do 5H – Ally Brooke, Normani, Dinah Jane e Lauren Jauregui – seguem os passos do One Direction e do *NSYNC, que anunciaram seus hiatos em 2016 e 2002, respectivamente.

Apesar de o plano pós-hiato ser um retorno do grupo depois de alguns anos, na maioria dos casos o status acaba sendo permanente. O One Direction sempre manteve a porta aberta para uma reunião, ainda que os quatro integrantes tenham lançado trabalhos solo bem-sucedidos, mas, no mês passado, a BBC News noticiou que a empresa que cuidava das turnês do grupo, Rollcall Touring LTD., encerrou as atividades, diminuindo as esperança dos fãs.

Similarmente, apesar de grupos como *NSYNC e Destiny’s Child se reunirem de vez em quando em ocasiões especiais, as carreiras impressionantes de seus líderes – Justin Timberlake e Beyoncé, respectivamente – tornam uma reunião de verdade improvável no futuro próximo.

Não há nenhuma razão legal para os grupos anunciarem um hiato em vez de um encerramento oficial e, normalmente, os acordos entre integrantes não são dissolvidos legalmente quando há uma pausa em função de negócios relacionados à propaganda e à coleção de direitos autorais e de imagem. Apesar de estarem em pausa há décadas, bandas como R.E.M., Led Zeppelin e Pink Floyd continuam a fazer dinheiro sem turnês ou gravações, com a opção de reiniciar a máquina sempre que quiserem.

Um advogado que trabalha na área musical, que pediu para permanecer em anonimato, disse que sempre que um novo grupo assina um contrato com uma gravadora, há um cláusula que permite a saída de integrantes e prevê que ele possa chegar ao fim. Mas isso não significa que os direitos da gravadora sobre os serviços dos integrantes deixem de existir. “A cláusula existe para que a gravadora tenha direito sobre a carreira solo, caso alguém opte por ela”, diz, afirmando que o selo tem a opção de querer o contrato com o artista solo ou não.

De qualquer forma, ele diz que entrar em hiato não é uma forma de burlar o contrato. “Se o grupo terminar e nunca voltar, a gravadora não pode forçar ninguém a entrar no estúdio e gravar um novo álbum.”

Ken Weinstein, co-fundador da Big Hassle Media, dá o exemplo perfeito sobre porquê dizer que o grupo está chegando ao fim pode ser uma furada. “Como grande fã do The Who, quando eles anunciaram que estavam fazendo a última turnê eu logo pensei: ‘Nossa, eu preciso ver a banda!’. Isso, é claro, ajuda a vender ingressos. Mas, depois, fiquei bravo porque eles ficavam se reunindo toda hora.”

Os grupos mais sagazes, diz Weinstein, sabem que é melhor nunca dizer nunca. “Por que se prejudicar dizendo ‘nunca farei isso de novo’ e ter que viver em função disso? Um hiato indefinido abre espaço para fazer o que quiser depois, uma vez que talvez você mude de ideia e queira voltar a trabalhar com essas pessoas. A vida é longa e sempre há possibilidades”, explicou.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Apelido Carinhoso
Gusttavo Lima
2
Largado às Traças
Zé Neto & Cristiano
3
2050
Luan Santana
4
1, 2, 3
Cleber & Cauan
5
Transplante (part. Bruno & Marrone)
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Por que grupos entram em hiato em vez de colocar um ponto final na história?

Nesta semana, o Fifth Harmony anunciou a pausa para focar nas carreiras solo das integrantes, assim como o One Direction

por Redação em 21/03/2018

Grupos pop em hiato são o equivalente ao seu casal de amigos dando um tempo: as chances são altas de não continuarem juntos, mas, sem dizer nada oficialmente, eles podem deixar a porta aberta para uma possível reconciliação. Boy bands e girl groups tendem a anunciar o hiato em vez de dar um fim ao grupo de uma vez por todas. Por quê?

“É inteligente”, diz a assessora veterana Diana Baron para a Billboard sobre a estratégia. “Dá a oportunidade para que vejam se cada um consegue ter uma carreira bem-sucedida individualmente. E, mais importante, evita a histeria dos fãs sobre de quem é a culpa do término e a negatividade que isso atrai.”

O mais recente grupo a testar o campo das carreiras solo é o Fifth Harmony, que revelou nesta segunda-feira (19/03) que vai entrar em hiato para focar em projetos individuais e crescimento pessoal. “Depois de seis anos trabalhando duro, sem parar, percebemos que para continuarmos autênticas precisamos dar um tempo para ir atrás de desafios pessoais”, escreveu o grupo em um comunicado.

O 5H deu a notícia de forma bem positiva, com as garotas de dizendo animadas e gratas pelo tempo para “crescer criativamente e se encontrarem como indivíduos. Fazendo isso, nos permitimos ganhar novas experiências, forças e perspectivas para trazer de volta para a nossa família Fifth Harmony”. Não houve nenhuma indicação sobre a duração do hiato. Tomando essa decisão, as integrantes remanescentes do 5H – Ally Brooke, Normani, Dinah Jane e Lauren Jauregui – seguem os passos do One Direction e do *NSYNC, que anunciaram seus hiatos em 2016 e 2002, respectivamente.

Apesar de o plano pós-hiato ser um retorno do grupo depois de alguns anos, na maioria dos casos o status acaba sendo permanente. O One Direction sempre manteve a porta aberta para uma reunião, ainda que os quatro integrantes tenham lançado trabalhos solo bem-sucedidos, mas, no mês passado, a BBC News noticiou que a empresa que cuidava das turnês do grupo, Rollcall Touring LTD., encerrou as atividades, diminuindo as esperança dos fãs.

Similarmente, apesar de grupos como *NSYNC e Destiny’s Child se reunirem de vez em quando em ocasiões especiais, as carreiras impressionantes de seus líderes – Justin Timberlake e Beyoncé, respectivamente – tornam uma reunião de verdade improvável no futuro próximo.

Não há nenhuma razão legal para os grupos anunciarem um hiato em vez de um encerramento oficial e, normalmente, os acordos entre integrantes não são dissolvidos legalmente quando há uma pausa em função de negócios relacionados à propaganda e à coleção de direitos autorais e de imagem. Apesar de estarem em pausa há décadas, bandas como R.E.M., Led Zeppelin e Pink Floyd continuam a fazer dinheiro sem turnês ou gravações, com a opção de reiniciar a máquina sempre que quiserem.

Um advogado que trabalha na área musical, que pediu para permanecer em anonimato, disse que sempre que um novo grupo assina um contrato com uma gravadora, há um cláusula que permite a saída de integrantes e prevê que ele possa chegar ao fim. Mas isso não significa que os direitos da gravadora sobre os serviços dos integrantes deixem de existir. “A cláusula existe para que a gravadora tenha direito sobre a carreira solo, caso alguém opte por ela”, diz, afirmando que o selo tem a opção de querer o contrato com o artista solo ou não.

De qualquer forma, ele diz que entrar em hiato não é uma forma de burlar o contrato. “Se o grupo terminar e nunca voltar, a gravadora não pode forçar ninguém a entrar no estúdio e gravar um novo álbum.”

Ken Weinstein, co-fundador da Big Hassle Media, dá o exemplo perfeito sobre porquê dizer que o grupo está chegando ao fim pode ser uma furada. “Como grande fã do The Who, quando eles anunciaram que estavam fazendo a última turnê eu logo pensei: ‘Nossa, eu preciso ver a banda!’. Isso, é claro, ajuda a vender ingressos. Mas, depois, fiquei bravo porque eles ficavam se reunindo toda hora.”

Os grupos mais sagazes, diz Weinstein, sabem que é melhor nunca dizer nunca. “Por que se prejudicar dizendo ‘nunca farei isso de novo’ e ter que viver em função disso? Um hiato indefinido abre espaço para fazer o que quiser depois, uma vez que talvez você mude de ideia e queira voltar a trabalhar com essas pessoas. A vida é longa e sempre há possibilidades”, explicou.