NOTÍCIAS

Psicodelia e, claro, muito rock and roll no show de Robert Plant

por em 28/03/2015

Por Marcos Lauro

A plateia era um pouco mais grisalha do que a do show anterior, em outro palco, do Kasabian. A espera era por Robert Plant, ex-vocalista do Led Zeppelin e um dos deuses do hard rock dos anos 1970.

Com um set relativamente curto, que pouco ultrapassou uma hora de show, Plant agradou tanto aos grisalhos quanto aos jovens que estavam ali no palco principal. Clássicos do Led Zeppelin apareceram com um tom mais alinhado com o blues – “Black Dog” começa depois de uma percussão tribal que faz com que ninguém reconheça o som. Quando a primeira nota é reconhecida, claro, a comemoração é como a de um gol. Outra que causou reação igual foi “Whole Lotta Love”. “Going to California” com seu violão dedilhado, fez com que o som do palco vizinho atrapalhasse um pouco aquele clima paz e amor setentista que Plant tentou instalar. “Spoonful”, de Willie Dixon – gravada pelo bluesman Howlin’ Wolf – ganhou uma versão psicodélica que também levantou os ânimos.

Pausa de menos de um minuto e o bis, com “Rock and Roll”, para fechar a passagem de Plant pelo Lollapalooza. Os grisalhos e os mais jovens agradecem.

Foto: Divulgação

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Psicodelia e, claro, muito rock and roll no show de Robert Plant

por em 28/03/2015

Por Marcos Lauro

A plateia era um pouco mais grisalha do que a do show anterior, em outro palco, do Kasabian. A espera era por Robert Plant, ex-vocalista do Led Zeppelin e um dos deuses do hard rock dos anos 1970.

Com um set relativamente curto, que pouco ultrapassou uma hora de show, Plant agradou tanto aos grisalhos quanto aos jovens que estavam ali no palco principal. Clássicos do Led Zeppelin apareceram com um tom mais alinhado com o blues – “Black Dog” começa depois de uma percussão tribal que faz com que ninguém reconheça o som. Quando a primeira nota é reconhecida, claro, a comemoração é como a de um gol. Outra que causou reação igual foi “Whole Lotta Love”. “Going to California” com seu violão dedilhado, fez com que o som do palco vizinho atrapalhasse um pouco aquele clima paz e amor setentista que Plant tentou instalar. “Spoonful”, de Willie Dixon – gravada pelo bluesman Howlin’ Wolf – ganhou uma versão psicodélica que também levantou os ânimos.

Pausa de menos de um minuto e o bis, com “Rock and Roll”, para fechar a passagem de Plant pelo Lollapalooza. Os grisalhos e os mais jovens agradecem.

Foto: Divulgação