NOTÍCIAS

Samsung e Google Play preparam-se para conquistar o mercado latino-americano de streaming de música

por em 15/10/2014
Por
Leila Cobo O Google Play filiou-se à Samsung num movimento ousado para garantir, rapidamente, seu crescimento no mercado latino-americano de streaming de música. Parte dessa iniciativa consistiu na promoção, lançada no mês passado, na qual todos os compradores dos novos modelos Galaxy S4, S5 e Galaxy Tab em qualquer um dos 17 países onde as companhias estão presentes – ganharam o direito de usar o serviço durante seis meses, sem custo. Outra ação, que será implementada em 1º de novembro, dará aos usuários dos smartphones e tablets Samsung três meses de assinatura grátis. Em termos financeiros e de mercado potencial alcançado, a parceria é enorme: de acordo com a Kantar Worldpanel, existem 41 milhões de usuários de smartphones no Brasil – o principal representante da América Latina – e 90% deles usam o Android desenvolvido pelo Google. No México, são 25 milhões de smartphones, dos quais 84% funcionam com o sistema operacional. “Ter o Google Play como dispositivo principal é um jeito fácil de, com poucos cliques, chegar à música”, diz Ady Harley, responsável pelas parcerias do Google na América Latina. De fato, ambos já estão relacionados musicalmente. A receita de música digital na América Latina cresceu 27,6% em 2013, enquanto o mercado apresentou um incremento de 124% entre 2010 e 2013 – mais do que qualquer outra região, de acordo com o IFPI (International Federation of the Phonographic Industry). Entretanto, o volume e a presença não garantem o sucesso no mercado, no qual a competição é cruel e estabilizada. Os mais importantes serviços de transmissão, incluindo Spotify, Deezer e Rdio, já estão bem instalados na região devido à possibilidade do pagamento dos aplicativos serem efetuados pela conta de telefone dos usuários. Parcerias têm provado ser a chave para a explosão da transmissão em regiões onde cartões de crédito são artigos de luxo: apenas 19% dos adultos latino-americanos usam esse meio de pagamento, de acordo com o relatório de 2012 da Global Findex. Assim que o Google entrou no mercado, a maioria das operadoras fizeram acordos com outros serviços. E esse é outro desafio: fazer com que os usuários sejam assinantes quando o período de degustação terminar, sem os benefícios das operadoras. Isso será particularmente difícil no Brasil, onde o pagamento ainda precisa ser feito em dólar. Já no México, o serviço é vendido no sistema de vale-presente, um modelo parecido com o que o iTunes fez e foi bem-sucedido. “O que nós temos na América Latina são novos adeptos, mas existe um grande potencial no mercado”, explica Harley. A data final para a ativação das promoções Google/Samsung é 31 de janeiro de 2015. Isso significa que os usuários podem esperar até lá para ativar o Google Music Play e ter seis ou três meses de serviço grátis.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Samsung e Google Play preparam-se para conquistar o mercado latino-americano de streaming de música

por em 15/10/2014
Por
Leila Cobo O Google Play filiou-se à Samsung num movimento ousado para garantir, rapidamente, seu crescimento no mercado latino-americano de streaming de música. Parte dessa iniciativa consistiu na promoção, lançada no mês passado, na qual todos os compradores dos novos modelos Galaxy S4, S5 e Galaxy Tab em qualquer um dos 17 países onde as companhias estão presentes – ganharam o direito de usar o serviço durante seis meses, sem custo. Outra ação, que será implementada em 1º de novembro, dará aos usuários dos smartphones e tablets Samsung três meses de assinatura grátis. Em termos financeiros e de mercado potencial alcançado, a parceria é enorme: de acordo com a Kantar Worldpanel, existem 41 milhões de usuários de smartphones no Brasil – o principal representante da América Latina – e 90% deles usam o Android desenvolvido pelo Google. No México, são 25 milhões de smartphones, dos quais 84% funcionam com o sistema operacional. “Ter o Google Play como dispositivo principal é um jeito fácil de, com poucos cliques, chegar à música”, diz Ady Harley, responsável pelas parcerias do Google na América Latina. De fato, ambos já estão relacionados musicalmente. A receita de música digital na América Latina cresceu 27,6% em 2013, enquanto o mercado apresentou um incremento de 124% entre 2010 e 2013 – mais do que qualquer outra região, de acordo com o IFPI (International Federation of the Phonographic Industry). Entretanto, o volume e a presença não garantem o sucesso no mercado, no qual a competição é cruel e estabilizada. Os mais importantes serviços de transmissão, incluindo Spotify, Deezer e Rdio, já estão bem instalados na região devido à possibilidade do pagamento dos aplicativos serem efetuados pela conta de telefone dos usuários. Parcerias têm provado ser a chave para a explosão da transmissão em regiões onde cartões de crédito são artigos de luxo: apenas 19% dos adultos latino-americanos usam esse meio de pagamento, de acordo com o relatório de 2012 da Global Findex. Assim que o Google entrou no mercado, a maioria das operadoras fizeram acordos com outros serviços. E esse é outro desafio: fazer com que os usuários sejam assinantes quando o período de degustação terminar, sem os benefícios das operadoras. Isso será particularmente difícil no Brasil, onde o pagamento ainda precisa ser feito em dólar. Já no México, o serviço é vendido no sistema de vale-presente, um modelo parecido com o que o iTunes fez e foi bem-sucedido. “O que nós temos na América Latina são novos adeptos, mas existe um grande potencial no mercado”, explica Harley. A data final para a ativação das promoções Google/Samsung é 31 de janeiro de 2015. Isso significa que os usuários podem esperar até lá para ativar o Google Music Play e ter seis ou três meses de serviço grátis.