NOTÍCIAS

Selena Gomez: “Não suporto as redes sociais”

Cantora é a produtora executiva da nova série da Netflix, 13 Reasons Why

por Redação em 09/02/2017

13 Reasons Why, a nova série da Netflix, é uma adaptação de um romance best-seller que lida com tópicos complicados como suicídio, depressão, bullying e abuso emocional. Por trás das câmeras, a produtora executiva do projeto, Selena Gomez, diz que também lidou com esses problemas.

"Eu estava passando por um período muito difícil quando começaram a produção da série”, contou Selena a repórteres durante uma coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (08/02). “Fiquei fora por 90 dias e conheci vários jovens nesse lugar que estavam falando sobre essas questões que os personagens vivem”.

A confissão não foi tão surpreendente, já que Selena anunciou que estaria se afastando por um tempo para cuidar de sua saúde e felicidade em agosto do ano passado. Em um comunicado divulgado na época, ela mencionou ataques de pânico, ansiedade e depressão – que são efeitos colaterais do lúpus, doença que Selena revelou ter em 2014.

Desde então, Selena deixou de usar o Twitter e está voltando aos poucos aos holofotes. “É difícil. Não suporto as redes sociais, não suporto o que as pessoas buscam nelas”.

Com data de estreia marcada para março, 13 Reasons Why conta a história do estudante Clay (Dylan Minnette) que descobre áudios de sua colega de turma (e crush) Hannah (Katherine Langford) que se matou duas semanas antes. Nos áudios, Hannah tenta revelar a Clay os 13 motivos que a levaram a tirar sua própria vida. A série critica a vida escolar moderna, algo que Selena acredita ser necessário. “Infelizmente, os jovens não se importam. Eles precisam ver algo que cause espanto, algo que dê medo. Quero que eles entendam. Faria tudo para ser uma boa influência para esta geração. Eu estava lá na gravação do último episódio e fiquei péssima ao ver aquilo tomando vida porque passei por experiências parecidas”.

Quando perguntada sobre sua experiência na escola – Selena já era uma estrela da Disney durante a adolescência – ela afirmou que além dos jovens da sua idade, ela precisava lidar com os adultos. “Crescer no maior ensino médio do mundo, o Disney Channel, me fez ter contato com adultos que tinham a audácia de me dizer como viver minha própria vida. Foi muito confuso. Não tinha ideia de quem eu seria”.

Apesar de a cantora dizer que seus anos sendo famosa têm sido difíceis, ela espera usar as lições que aprendeu pelo caminho para ajudar os outros. “Gostando disso ou não, as pessoas viram os meus erros e preciso usar isso de forma positiva”.

Selena está envolvida com o projeto desde 2011, quando a Universal comprou os direitos do livro de Jay Asher para transformar em um filme que ela seria a protagonista. Mas sua mãe e a produtora executiva Mandy Teefey acharam que um filme não traria tanta importância para os personagens secundários.

"Era para ser uma série. É por isso que fico feliz de ter demorado tanto para criar algo assim porque ficou ótimo”.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Saudade
Eduardo Costa
3
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Selena Gomez: “Não suporto as redes sociais”

Cantora é a produtora executiva da nova série da Netflix, 13 Reasons Why

por Redação em 09/02/2017

13 Reasons Why, a nova série da Netflix, é uma adaptação de um romance best-seller que lida com tópicos complicados como suicídio, depressão, bullying e abuso emocional. Por trás das câmeras, a produtora executiva do projeto, Selena Gomez, diz que também lidou com esses problemas.

"Eu estava passando por um período muito difícil quando começaram a produção da série”, contou Selena a repórteres durante uma coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (08/02). “Fiquei fora por 90 dias e conheci vários jovens nesse lugar que estavam falando sobre essas questões que os personagens vivem”.

A confissão não foi tão surpreendente, já que Selena anunciou que estaria se afastando por um tempo para cuidar de sua saúde e felicidade em agosto do ano passado. Em um comunicado divulgado na época, ela mencionou ataques de pânico, ansiedade e depressão – que são efeitos colaterais do lúpus, doença que Selena revelou ter em 2014.

Desde então, Selena deixou de usar o Twitter e está voltando aos poucos aos holofotes. “É difícil. Não suporto as redes sociais, não suporto o que as pessoas buscam nelas”.

Com data de estreia marcada para março, 13 Reasons Why conta a história do estudante Clay (Dylan Minnette) que descobre áudios de sua colega de turma (e crush) Hannah (Katherine Langford) que se matou duas semanas antes. Nos áudios, Hannah tenta revelar a Clay os 13 motivos que a levaram a tirar sua própria vida. A série critica a vida escolar moderna, algo que Selena acredita ser necessário. “Infelizmente, os jovens não se importam. Eles precisam ver algo que cause espanto, algo que dê medo. Quero que eles entendam. Faria tudo para ser uma boa influência para esta geração. Eu estava lá na gravação do último episódio e fiquei péssima ao ver aquilo tomando vida porque passei por experiências parecidas”.

Quando perguntada sobre sua experiência na escola – Selena já era uma estrela da Disney durante a adolescência – ela afirmou que além dos jovens da sua idade, ela precisava lidar com os adultos. “Crescer no maior ensino médio do mundo, o Disney Channel, me fez ter contato com adultos que tinham a audácia de me dizer como viver minha própria vida. Foi muito confuso. Não tinha ideia de quem eu seria”.

Apesar de a cantora dizer que seus anos sendo famosa têm sido difíceis, ela espera usar as lições que aprendeu pelo caminho para ajudar os outros. “Gostando disso ou não, as pessoas viram os meus erros e preciso usar isso de forma positiva”.

Selena está envolvida com o projeto desde 2011, quando a Universal comprou os direitos do livro de Jay Asher para transformar em um filme que ela seria a protagonista. Mas sua mãe e a produtora executiva Mandy Teefey acharam que um filme não traria tanta importância para os personagens secundários.

"Era para ser uma série. É por isso que fico feliz de ter demorado tanto para criar algo assim porque ficou ótimo”.