NOTÍCIAS

"Sempre serei uma Spice Girl", diz Mel C

Cantora está no Brasil para cumprir uma agenda promocional e encontrar fãs

por Rebecca Silva em 23/06/2017

No final dos anos 1990, um grupo de cinco garotas foi criado na Inglaterra e dominou o mundo com sua mensagem de empoderamento feminino e suas músicas chiclete. Era o início das Spice Girls. Ao conseguir destacar a individualidade e as qualidades de cada um, Mel C, Mel B, Geri, Emma e Victoria viraram febre e venderam milhões de álbuns. 

Após o término do grupo, Mel C investiu em sua carreira solo e, 20 anos depois, desembarcou no Brasil para divulgar seu sétimo álbum de estúdio, Version Of Me. Nele, a cantora foca em cantar a superação de problemas e passar uma mensagem de esperança e força para seus fãs. "Sempre achei catártico. Em algumas fases da minha vida, falei sobre minhas dificuldades. Quando era mais nova, era assustador. Eu me arrependi, algumas vezes. Mas, por trabalhar com música, a mídia ficava constantemente me questionando e, em determinado momento, senti que isso me definia. Agora que sou mais velha e me sinto mais forte, fico feliz de ter falado sobre depressão, problemas alimentares e bullying, porque são situações pelas quais muitas pessoas passam. E é muito solitário. É bom saber que você não está sozinho. Quero dar esperança para as pessoas", revelou a cantora durante entrevista realizada na manhã desta sexta-feira (23/06) em São Paulo.

Apesar da temática, não espere ouvir músicas tristes ou baladas românticas neste álbum. Version Of Me apresenta uma sonoridade eletrônica e para cima, algo novo para Mel C, que trouxe de volta sua ambição e animação com o futuro. "Eu quis fazer algo diferente porque me sinto diferente, e queria que a música refletisse isso. Eu compus de forma tradicional, com meus colaboradores. A ideia era fazer algo mais moderno, mais eletrônico. Foi divertido explorar novas sonoridades porque precisamos achar algo que combinasse comigo... Eu já sou uma artista madura, não posso competir com artistas jovens." 

Orgulhosa por ter feito parte de um dos maiores grupos pop das últimas décadas, Mel C lembra com carinho dos momentos que passou ao lado das companheiras, sem deixar de ser realista. Apesar de demonstrar gratidão a tudo que aprendeu com o grupo, a cantora reconhece que passou por dificuldades naquela época. "Ter uma carreira por tanto tempo tem seus altos e baixos, seus desafios. Tive o privilégio de fazer parte das Spice Girls, com sucesso no mundo inteiro, uma base de fãs muito fiel, que nos acompanha até hoje. Tudo na vida tem um lado negativo. A banda foi incrível mas, quando acabou, estávamos exaustas, com saudades da família. Algumas coisas eram difíceis. Sempre serei uma Spice Girl e tenho muito orgulho. Quando chegou ao fim, não tive medo. Pareceu a decisão certa naquele momento", revela. 

Mel C já havia revelado, anteriormente, que sentia muita pressão para ser perfeita durante o período que passou com as Spice Girls. Recentemente, Zayn Malik contou, em entrevista, que sofreu com transtornos alimentares e ansiedade quando fazia parte do One Direction. Ou seja, apesar da diferença entre as épocas, os sentimentos são os mesmos. "Acho que a cultura coloca pressão nas pessoas. Você não precisa trabalhar com música para se sentir pressionado, pessoas em todas as profissões se sentem assim. O que me chateia e me deixa brava é que não há apoio. Vejo bandas como o One Direction, por exemplo...Os meninos tiveram uma experiência parecida com a nossa, mas talvez até com mais pressão por causa das mudanças no mundo e das redes sociais. Quando se está em uma banda muito famosa, você vive uma fantasia, mas muitas gente está ganhando dinheiro, então você acaba virando um produto. Sua equipe te coloca para fazer shows, gravar discos, fica exigindo muito e não há preocupação com o bem-estar. Você é novo, tem muita energia e consegue se recuperar. O Zayn falar sobre isso é muito importante porque precisa de coragem. Em algumas culturas, é um tabu um homem dizer algo assim. É algo que eu gostaria de fazer no futuro, trabalhar com jovens artistas e ajudá-los, com uma rede de apoio."

Mãe de uma filha de oito anos, Mel C contou que se preocupa com a influência das redes sociais no aspecto psicológico. "Ninguém tem uma vida perfeita. Minha filha ainda tem oito anos, então consigo mantê-la protegida em um casulo. Ela não usa as redes sociais, mas sei que para os adolescentes é difícil. Para adultos, também. Temos nossas vidas perfeitas no Instagram, no Facebook, mostrando nossas viagens, nossos jantares. Mas todos têm suas merd**. Acho que esquecemos disso e nos cegamos. E não é saudável, é perigoso. Acho importante dizer que podemos colocar filtros em nossas vidas, mas todostêm problemas."

Ouça Version Of Me:

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

"Sempre serei uma Spice Girl", diz Mel C

Cantora está no Brasil para cumprir uma agenda promocional e encontrar fãs

por Rebecca Silva em 23/06/2017

No final dos anos 1990, um grupo de cinco garotas foi criado na Inglaterra e dominou o mundo com sua mensagem de empoderamento feminino e suas músicas chiclete. Era o início das Spice Girls. Ao conseguir destacar a individualidade e as qualidades de cada um, Mel C, Mel B, Geri, Emma e Victoria viraram febre e venderam milhões de álbuns. 

Após o término do grupo, Mel C investiu em sua carreira solo e, 20 anos depois, desembarcou no Brasil para divulgar seu sétimo álbum de estúdio, Version Of Me. Nele, a cantora foca em cantar a superação de problemas e passar uma mensagem de esperança e força para seus fãs. "Sempre achei catártico. Em algumas fases da minha vida, falei sobre minhas dificuldades. Quando era mais nova, era assustador. Eu me arrependi, algumas vezes. Mas, por trabalhar com música, a mídia ficava constantemente me questionando e, em determinado momento, senti que isso me definia. Agora que sou mais velha e me sinto mais forte, fico feliz de ter falado sobre depressão, problemas alimentares e bullying, porque são situações pelas quais muitas pessoas passam. E é muito solitário. É bom saber que você não está sozinho. Quero dar esperança para as pessoas", revelou a cantora durante entrevista realizada na manhã desta sexta-feira (23/06) em São Paulo.

Apesar da temática, não espere ouvir músicas tristes ou baladas românticas neste álbum. Version Of Me apresenta uma sonoridade eletrônica e para cima, algo novo para Mel C, que trouxe de volta sua ambição e animação com o futuro. "Eu quis fazer algo diferente porque me sinto diferente, e queria que a música refletisse isso. Eu compus de forma tradicional, com meus colaboradores. A ideia era fazer algo mais moderno, mais eletrônico. Foi divertido explorar novas sonoridades porque precisamos achar algo que combinasse comigo... Eu já sou uma artista madura, não posso competir com artistas jovens." 

Orgulhosa por ter feito parte de um dos maiores grupos pop das últimas décadas, Mel C lembra com carinho dos momentos que passou ao lado das companheiras, sem deixar de ser realista. Apesar de demonstrar gratidão a tudo que aprendeu com o grupo, a cantora reconhece que passou por dificuldades naquela época. "Ter uma carreira por tanto tempo tem seus altos e baixos, seus desafios. Tive o privilégio de fazer parte das Spice Girls, com sucesso no mundo inteiro, uma base de fãs muito fiel, que nos acompanha até hoje. Tudo na vida tem um lado negativo. A banda foi incrível mas, quando acabou, estávamos exaustas, com saudades da família. Algumas coisas eram difíceis. Sempre serei uma Spice Girl e tenho muito orgulho. Quando chegou ao fim, não tive medo. Pareceu a decisão certa naquele momento", revela. 

Mel C já havia revelado, anteriormente, que sentia muita pressão para ser perfeita durante o período que passou com as Spice Girls. Recentemente, Zayn Malik contou, em entrevista, que sofreu com transtornos alimentares e ansiedade quando fazia parte do One Direction. Ou seja, apesar da diferença entre as épocas, os sentimentos são os mesmos. "Acho que a cultura coloca pressão nas pessoas. Você não precisa trabalhar com música para se sentir pressionado, pessoas em todas as profissões se sentem assim. O que me chateia e me deixa brava é que não há apoio. Vejo bandas como o One Direction, por exemplo...Os meninos tiveram uma experiência parecida com a nossa, mas talvez até com mais pressão por causa das mudanças no mundo e das redes sociais. Quando se está em uma banda muito famosa, você vive uma fantasia, mas muitas gente está ganhando dinheiro, então você acaba virando um produto. Sua equipe te coloca para fazer shows, gravar discos, fica exigindo muito e não há preocupação com o bem-estar. Você é novo, tem muita energia e consegue se recuperar. O Zayn falar sobre isso é muito importante porque precisa de coragem. Em algumas culturas, é um tabu um homem dizer algo assim. É algo que eu gostaria de fazer no futuro, trabalhar com jovens artistas e ajudá-los, com uma rede de apoio."

Mãe de uma filha de oito anos, Mel C contou que se preocupa com a influência das redes sociais no aspecto psicológico. "Ninguém tem uma vida perfeita. Minha filha ainda tem oito anos, então consigo mantê-la protegida em um casulo. Ela não usa as redes sociais, mas sei que para os adolescentes é difícil. Para adultos, também. Temos nossas vidas perfeitas no Instagram, no Facebook, mostrando nossas viagens, nossos jantares. Mas todos têm suas merd**. Acho que esquecemos disso e nos cegamos. E não é saudável, é perigoso. Acho importante dizer que podemos colocar filtros em nossas vidas, mas todostêm problemas."

Ouça Version Of Me: