NOTÍCIAS

Sting tentará salvar musical da Broadway atuando

por em 25/11/2014
Por
David Rooney Sting não vai deixar The Last Ship (o último navio) naufragar sem lutar. O ex-líder do Police, que compôs a trilha sonora para o musical da Broadway – cujo cenário é a sua cidade natal, no norte da Inglaterra –, fará parte do elenco, em uma tentativa de dar um impulso à bilheteria da produção, que custou US$ 15 milhões. Uma matéria publicada no domingo, no The New York Times, confirmou a decisão, que já vinha sendo especulada. O relato inicial indicava também que Sting iria renunciar aos royalties do musical para tentar manter os custos de funcionamento baixos e ajudar os produtores. Sting se juntará à produção no dia 9 de dezembro e deverá ficar até o dia 10 de janeiro, cobrindo a época mais movimentada do ano para peças da Broadway. O cantor interpretará o chefe de estaleiro Jackie White, papel que hoje é do cantor e compositor Jimmy Nail. A última vez que Sting esteve na Broadway foi quando interpretou o personagem Macheath, na produção de A Ópera dos Três Vinténs, em 1989. A história de The Last Ship gira em torno de um jovem chamado Gideon, que vem de uma longa linhagem de construtores de navios e tem uma briga com seu pai por se recursar a se prender a uma indústria decadente. Gideon decide fugir, deixando para trás o amor da sua vida. Escrita por John Logan e Brian Yorkey e dirigida por Joe Mantello, a peça recebeu críticas boas pela trilha de Sting e pela atmosfera criada no palco por Mantello. No entanto, o libreto foi muito criticado pelos clichês e tentativas de se passar um enredo improvável por alegoria poética. Depois da temporada de “teste” em Chicago, o musical começou a apresentar prévias no dia 29 de setembro, no teatro Neil Simon, na Broadway, e foi oficialmente estreado no dia 26 de outubro. Mas, desde então, não tem conseguido fazer nem US$ 60 mil por semana. ONew York Times estima que o custo de funcionamento semanal do show seja de, pelo menos, US$ 625 mil. A presença de uma estrela da indústria musical tem o histórico de causar um impacto positivo na bilheteria, talvez duradoura. Billie Joe Armstrong, líder do Green Day, se juntou ao elenco da Broadway da adaptação musical de American Idiot, em dois momentos (uma aparição em 2010 e outra em 2011). Em ambas as vezes, a presença do vocalista da banda deu um impulso significativo às vendas de ingressos. Mas, logo depois da segunda participação de Billie, o arrecadamento sofreu uma queda e a produção foi descontinuada, sem gerar lucro.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Sting tentará salvar musical da Broadway atuando

por em 25/11/2014
Por
David Rooney Sting não vai deixar The Last Ship (o último navio) naufragar sem lutar. O ex-líder do Police, que compôs a trilha sonora para o musical da Broadway – cujo cenário é a sua cidade natal, no norte da Inglaterra –, fará parte do elenco, em uma tentativa de dar um impulso à bilheteria da produção, que custou US$ 15 milhões. Uma matéria publicada no domingo, no The New York Times, confirmou a decisão, que já vinha sendo especulada. O relato inicial indicava também que Sting iria renunciar aos royalties do musical para tentar manter os custos de funcionamento baixos e ajudar os produtores. Sting se juntará à produção no dia 9 de dezembro e deverá ficar até o dia 10 de janeiro, cobrindo a época mais movimentada do ano para peças da Broadway. O cantor interpretará o chefe de estaleiro Jackie White, papel que hoje é do cantor e compositor Jimmy Nail. A última vez que Sting esteve na Broadway foi quando interpretou o personagem Macheath, na produção de A Ópera dos Três Vinténs, em 1989. A história de The Last Ship gira em torno de um jovem chamado Gideon, que vem de uma longa linhagem de construtores de navios e tem uma briga com seu pai por se recursar a se prender a uma indústria decadente. Gideon decide fugir, deixando para trás o amor da sua vida. Escrita por John Logan e Brian Yorkey e dirigida por Joe Mantello, a peça recebeu críticas boas pela trilha de Sting e pela atmosfera criada no palco por Mantello. No entanto, o libreto foi muito criticado pelos clichês e tentativas de se passar um enredo improvável por alegoria poética. Depois da temporada de “teste” em Chicago, o musical começou a apresentar prévias no dia 29 de setembro, no teatro Neil Simon, na Broadway, e foi oficialmente estreado no dia 26 de outubro. Mas, desde então, não tem conseguido fazer nem US$ 60 mil por semana. ONew York Times estima que o custo de funcionamento semanal do show seja de, pelo menos, US$ 625 mil. A presença de uma estrela da indústria musical tem o histórico de causar um impacto positivo na bilheteria, talvez duradoura. Billie Joe Armstrong, líder do Green Day, se juntou ao elenco da Broadway da adaptação musical de American Idiot, em dois momentos (uma aparição em 2010 e outra em 2011). Em ambas as vezes, a presença do vocalista da banda deu um impulso significativo às vendas de ingressos. Mas, logo depois da segunda participação de Billie, o arrecadamento sofreu uma queda e a produção foi descontinuada, sem gerar lucro.