NOTÍCIAS

Taylor Swift acusa radialista de tê-la apalpado durante encontro nos bastidores

por em 01/03/2016

O ex-apresentador da rádio KYGO David Mueller afirma ter sido demitido depois que Taylor Swift o acusou, falsamente, de tê-la apalpado em um meet and greet nos bastidores. Agora, ele diz que ela também o caluniou durante o processo judicial.

Em junho de 2013, Mueller participou, com a sua namorada e colega de trabalho Shannon Melcher, de um meet and greet com Taylor. O casal tirou uma foto com a estrela pop e, naquela mesma noite, um integrante da equipe de segurança de Taylor Swift aproximou-se de Mueller e o acusou de tocá-la de forma inapropriada.

Mueller foi demitido da KYGO dois dias depois, de acordo com o seu depoimento, e entrou com um processo contra a cantora em setembro.

"A alegação de que o Sr. Mueller levantou a saia da Srta. Swift e agarrou seu traseiro enquanto estava com sua namorada, na frente do fotógrafo da cantora e de toda a sua altamente treinada equipe de segurança, durante uma meet and greet VIP, patrocinado pela emissora, é um absurdo", escreveu o advogado de Mueller, M. Gabriel McFarland.

Taylor Swift entrou, em outubro, com uma ação por lesão corporal em busca de danos decorrentes "do incontestável fato de que uma agressão sexual foi cometida contra ela".

Mueller afirma que seu então chefe, Eddie Haskell, se gabava de ter agarrado as nádegas de Taylor naquela noite, dizendo que "ele e um de seus amigos da indústria achavam que Taylor deveria usar shorts de andar de bicicleta sob suas roupas quando estivesse no palco".

Mas Taylor Swift parece saber quem foi o responsável pelo gesto. "Foi Mueller – e ela não está nem um pouco confusa quanto a isso", escreveu seu advogado, J. Douglas Baldrige. "A resolução desta reconvenção irá demonstrar que Mueller, sozinho, foi o autor da conduta humilhante e injusta contra Taylor e servirá de exemplo para outras mulheres que talvez resistam a reviver publicamente atos ultrajantes e humilhantes como esse."

Em uma emenda apresentada na última quinta-feira (25/02), Mueller acrescentou duas reivindicações de calúnia, alegando que as falsas declarações de Taylor têm causado danos à sua reputação, profissão e posição na comunidade.

Ambos os lados disseram que a fotografia em questão é a prova dos fatos. Mueller afirma que Taylor Swift está sorrindo e abraçando Melcher apesar da sua mão estar por trás de Taylor e, portanto, não visível. "É evidente que a saia dela não está sendo levantada pela mão do sr. Mueller." Já a alegação de Taylor Swift diz simplesmente que "a imagem retratada na fotografia fala por si própria".

Os advogados de Taylor não responderam à solicitação de entrevista.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Taylor Swift acusa radialista de tê-la apalpado durante encontro nos bastidores

por em 01/03/2016

O ex-apresentador da rádio KYGO David Mueller afirma ter sido demitido depois que Taylor Swift o acusou, falsamente, de tê-la apalpado em um meet and greet nos bastidores. Agora, ele diz que ela também o caluniou durante o processo judicial.

Em junho de 2013, Mueller participou, com a sua namorada e colega de trabalho Shannon Melcher, de um meet and greet com Taylor. O casal tirou uma foto com a estrela pop e, naquela mesma noite, um integrante da equipe de segurança de Taylor Swift aproximou-se de Mueller e o acusou de tocá-la de forma inapropriada.

Mueller foi demitido da KYGO dois dias depois, de acordo com o seu depoimento, e entrou com um processo contra a cantora em setembro.

"A alegação de que o Sr. Mueller levantou a saia da Srta. Swift e agarrou seu traseiro enquanto estava com sua namorada, na frente do fotógrafo da cantora e de toda a sua altamente treinada equipe de segurança, durante uma meet and greet VIP, patrocinado pela emissora, é um absurdo", escreveu o advogado de Mueller, M. Gabriel McFarland.

Taylor Swift entrou, em outubro, com uma ação por lesão corporal em busca de danos decorrentes "do incontestável fato de que uma agressão sexual foi cometida contra ela".

Mueller afirma que seu então chefe, Eddie Haskell, se gabava de ter agarrado as nádegas de Taylor naquela noite, dizendo que "ele e um de seus amigos da indústria achavam que Taylor deveria usar shorts de andar de bicicleta sob suas roupas quando estivesse no palco".

Mas Taylor Swift parece saber quem foi o responsável pelo gesto. "Foi Mueller – e ela não está nem um pouco confusa quanto a isso", escreveu seu advogado, J. Douglas Baldrige. "A resolução desta reconvenção irá demonstrar que Mueller, sozinho, foi o autor da conduta humilhante e injusta contra Taylor e servirá de exemplo para outras mulheres que talvez resistam a reviver publicamente atos ultrajantes e humilhantes como esse."

Em uma emenda apresentada na última quinta-feira (25/02), Mueller acrescentou duas reivindicações de calúnia, alegando que as falsas declarações de Taylor têm causado danos à sua reputação, profissão e posição na comunidade.

Ambos os lados disseram que a fotografia em questão é a prova dos fatos. Mueller afirma que Taylor Swift está sorrindo e abraçando Melcher apesar da sua mão estar por trás de Taylor e, portanto, não visível. "É evidente que a saia dela não está sendo levantada pela mão do sr. Mueller." Já a alegação de Taylor Swift diz simplesmente que "a imagem retratada na fotografia fala por si própria".

Os advogados de Taylor não responderam à solicitação de entrevista.