NOTÍCIAS

Taylor Swift e Amy Winehouse: comparação dos legados

Há dez anos, os álbuns que levaram cada uma delas ao estrelato eram lançados

por Redação em 31/10/2016

Foi estranho comemorar, na semana passada, os dez anos de lançamento dos álbuns Taylor Swift e Back to Black – dois dos álbuns mais impactantes do pop no século 21. A estreia de Taylor Swift e o primeiro sucesso de Amy Winehouse mal parecem fazer parte do mesmo universo, muito menos terem sido lançados no mesmo ano. Taylor usou o álbum para se tornar o nome que é hoje, com grande sucesso comercial e artístico. Ouvi-lo hoje, comparando-o com os outros lançamentos da cantora, faz com que ele fique pequeno ao lado dos irmãos. Já a inabilidade de Amy Winehouse em lançar um sucessor a Back To Black antes de sua trágica morte em 2011 traz para o álbum um tom emotivo e traz um status que só cresce com o passar dos anos.

VEJA BASTIDORES DA GRAVAÇÃO DE “BACK TO BLACK”, DE AMY WINEHOUSE

Dez anos depois, eles assumem o papel de nos apresentarem para duas artistas que definiram a década – ainda que seus legados tenham seguido direções completamente opostas. Taylor deixou suas raízes mais humildes do country de seu álbum de estreia e partiu em direção ao pop com os discos Red e 1989 (com a ajuda de Max Martin e Shellback), definindo o som moderno do top. Enquanto isso, o primeiro sucesso de Amy representou uma atualização no soul-pop, abrindo caminho para outros artistas inspirados em um som mais retro como Duffy, Bruno Mars e Adele – sem mencionar a dominação dos Estados Unidos pelo co-produtor do álbum, Mark Ronson.

ESTUDO TENTA PREVER COMO SERÁ NOVO ÁLBUM DE TAYLOR SWIFT

Em método e ideologia, as duas artistas contrastam. Enquanto Taylor apareceu para o mainstream como uma estudante em busca da fama, ela rapidamente mostrou alto conhecimento sobre negócios e mídia para alguém tão nova, com um histórico de ótimas decisões em suas apresentações ao vivo, álbuns e colaborações. Amy, por outro lado, era uma bagunça, um turbilhão de emoções a cada entrevista, arranjando problema com a polícia, passando publicamente por uma batalha contra as drogas, que a levariam a sua derrota.

21 SONS DE AMY WINEHOUSE

Apesar de não parecer, as duas artistas tiveram certa afinidade durante o mesmo período no mainstream do pop. Durante um show em Londres, Inglaterra, em 2008, Taylor cantou o hit da carreira de Amy, “Rehab”, em uma versão que passa longe da interpretação original de Winehouse, mas que traz uma conexão entre as duas. Alguns anos depois, Amy foi vista se dirigindo aos estúdios Abbey Road, onde Taylor iria se apresentar para uma série de shows da BBC, quando foi chamada de imprevisível.

TAYLOR SWIFT CANTA “THIS IS WHAT YOU CAME FOR”; VEJA

Apesar das grandes diferenças entre elas, não é totalmente surpreendente que elas pudessem vir a ser fãs do trabalho uma da outra, já que, lá no fundo, ambas eram fãs de pop. Swift até idolatrava James Taylor, Alanis Morissette e Tim McGraw, enquanto Winehouse admirava Frank Sinatra, Ronnie Spector e Nas, mas as duas internalizaram grandes lições da história do top 40 e a usaram em suas músicas, tão boas e verdadeiras quanto as dos seus ídolos. Não é difícil imaginar Amy se relacionando com as letras das faixas clássicas para términos de relacionamento de Taylor como “Dear John” ou “Forever And Always”, e também podemos ver Swift se emocionando ao ouvir “Love Is A Losing Game” ou “Wake Up Alone”. No fim das contas, ambas eram ótimas cantoras e compositoras.

AMY, A MENINA QUE SÓ QUERIA CANTAR

Se sua vida tivesse tomado outro rumo, será que Amy Winehouse teria evoluído, expandido sua carreira e dominado a música da forma que Taylor Swift fez? Talvez não – com certeza não da mesma maneira – e talvez nem fosse o que ela quisesse para sua carreira. Mas dez anos depois, podemos ouvir esses álbuns e lembrar de quando Taylor Swift e Amy Winehouse eram descobertas musicais que lançaram algumas das melhores músicas pop daquela década.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Taylor Swift e Amy Winehouse: comparação dos legados

Há dez anos, os álbuns que levaram cada uma delas ao estrelato eram lançados

por Redação em 31/10/2016

Foi estranho comemorar, na semana passada, os dez anos de lançamento dos álbuns Taylor Swift e Back to Black – dois dos álbuns mais impactantes do pop no século 21. A estreia de Taylor Swift e o primeiro sucesso de Amy Winehouse mal parecem fazer parte do mesmo universo, muito menos terem sido lançados no mesmo ano. Taylor usou o álbum para se tornar o nome que é hoje, com grande sucesso comercial e artístico. Ouvi-lo hoje, comparando-o com os outros lançamentos da cantora, faz com que ele fique pequeno ao lado dos irmãos. Já a inabilidade de Amy Winehouse em lançar um sucessor a Back To Black antes de sua trágica morte em 2011 traz para o álbum um tom emotivo e traz um status que só cresce com o passar dos anos.

VEJA BASTIDORES DA GRAVAÇÃO DE “BACK TO BLACK”, DE AMY WINEHOUSE

Dez anos depois, eles assumem o papel de nos apresentarem para duas artistas que definiram a década – ainda que seus legados tenham seguido direções completamente opostas. Taylor deixou suas raízes mais humildes do country de seu álbum de estreia e partiu em direção ao pop com os discos Red e 1989 (com a ajuda de Max Martin e Shellback), definindo o som moderno do top. Enquanto isso, o primeiro sucesso de Amy representou uma atualização no soul-pop, abrindo caminho para outros artistas inspirados em um som mais retro como Duffy, Bruno Mars e Adele – sem mencionar a dominação dos Estados Unidos pelo co-produtor do álbum, Mark Ronson.

ESTUDO TENTA PREVER COMO SERÁ NOVO ÁLBUM DE TAYLOR SWIFT

Em método e ideologia, as duas artistas contrastam. Enquanto Taylor apareceu para o mainstream como uma estudante em busca da fama, ela rapidamente mostrou alto conhecimento sobre negócios e mídia para alguém tão nova, com um histórico de ótimas decisões em suas apresentações ao vivo, álbuns e colaborações. Amy, por outro lado, era uma bagunça, um turbilhão de emoções a cada entrevista, arranjando problema com a polícia, passando publicamente por uma batalha contra as drogas, que a levariam a sua derrota.

21 SONS DE AMY WINEHOUSE

Apesar de não parecer, as duas artistas tiveram certa afinidade durante o mesmo período no mainstream do pop. Durante um show em Londres, Inglaterra, em 2008, Taylor cantou o hit da carreira de Amy, “Rehab”, em uma versão que passa longe da interpretação original de Winehouse, mas que traz uma conexão entre as duas. Alguns anos depois, Amy foi vista se dirigindo aos estúdios Abbey Road, onde Taylor iria se apresentar para uma série de shows da BBC, quando foi chamada de imprevisível.

TAYLOR SWIFT CANTA “THIS IS WHAT YOU CAME FOR”; VEJA

Apesar das grandes diferenças entre elas, não é totalmente surpreendente que elas pudessem vir a ser fãs do trabalho uma da outra, já que, lá no fundo, ambas eram fãs de pop. Swift até idolatrava James Taylor, Alanis Morissette e Tim McGraw, enquanto Winehouse admirava Frank Sinatra, Ronnie Spector e Nas, mas as duas internalizaram grandes lições da história do top 40 e a usaram em suas músicas, tão boas e verdadeiras quanto as dos seus ídolos. Não é difícil imaginar Amy se relacionando com as letras das faixas clássicas para términos de relacionamento de Taylor como “Dear John” ou “Forever And Always”, e também podemos ver Swift se emocionando ao ouvir “Love Is A Losing Game” ou “Wake Up Alone”. No fim das contas, ambas eram ótimas cantoras e compositoras.

AMY, A MENINA QUE SÓ QUERIA CANTAR

Se sua vida tivesse tomado outro rumo, será que Amy Winehouse teria evoluído, expandido sua carreira e dominado a música da forma que Taylor Swift fez? Talvez não – com certeza não da mesma maneira – e talvez nem fosse o que ela quisesse para sua carreira. Mas dez anos depois, podemos ouvir esses álbuns e lembrar de quando Taylor Swift e Amy Winehouse eram descobertas musicais que lançaram algumas das melhores músicas pop daquela década.