NOTÍCIAS

Tiago Abravanel fala sobre Tim Maia: “Eu não tinha noção do quanto ele está vivo na memória das pessoas”

por em 29/02/2012
Imagem: Divulgação

Polêmico, extrovertido, marcante e - acima de tudo - talentoso, Tim Maia se consolidou como uma das maiores personalidades musicais do Brasil e continua encantando gerações mesmo 14 anos após sua morte. Em 2011, o “síndico” ganhou mais uma homenagem através da peça musical Tim Maia – Vale Tudo.

Depois de realizar 126 apresentações no Rio de Janeiro e se transformar em um dos espetáculos de maior sucesso do país, atraindo mais de cem mil espectadores na capital fluminense, o musical chega a São Paulo onde será encenado no Teatro Procópio Ferreira, localizado na Rua Augusta, centro da cidade. A estreia acontece na quinta-feira, 9 de março e a temporada se estende até o dia 24 de junho.

Em entrevista coletiva realizada na tarde de ontem, dia 28, o diretor João Fonseca e o protagonista Tiago Abravanel falaram sobre curiosidades do espetáculo e as expectativas para a temporada paulistana.

As surpresas começaram logo na escolha do protagonista. Ainda durante as audiências, João Fonseca recebeu uma relação de candidatos ao papel onde o nome de Tiago estava relacionado.

“Olhei Tiago Abravanel e falei: ‘É parente do Silvio Santos? Mas ele é branco? Vocês vão me arrumar uma confusão, um Tim Maia branco?’ Aí esse menino abriu a boca e em 10, 15 segundos eu estava chorando”, conta.

Neto de um dos mais famosos apresentadores e empresários do país, Tiago sabia que precisaria dobrar a desconfiança e mostrar que suas qualidades dramáticas eram superiores ao seu famoso sobrenome.

“Talvez esse seja um dos meus maiores presentes e uma das maiores responsabilidades que eu já tenha recebido . Todo mundo me deu essa oportunidade de mostrar o que eu sei fazer e do que eu entendo como arte”, revelou o ator de apenas 24 anos.

Para criar o personagem, a dupla teve grande ajuda do jornalista Nelson Motta, autor da biografia Vale Tudo – O Som E A Fúria de Tim Maia e do texto da peça, além de grande amigo de Tim Maia.

Ao longo das 3h de peça, o “síndico” é retratado de seus 12 aos 55 anos. Passagens marcantes e curiosas da vida de Tim como sua viagem aos Estados Unidos em 1959 e seus primeiros contatos com a soul music estão lá, além de sua amizade com outras personalidades marcantes como Elis Regina, Jorge Ben Jor e Roberto e Erasmo Carlos.

“A gente tinha uma preocupação  de não fazer uma imitação do Tim. A preocupação não era imitar, e sim buscar os pequenos detalhes”, revela Tiago, cuja interpretação encantou o diretor e deu o tom do musical.

“Ele puxou como condutor dessa nave Tim Maia para os outros atores, e todo mundo começou a entender”, diz.


Chocolate

Assunto sempre polêmico e controverso, o uso de substâncias ilícitas feito por Tim Maia durante boa parte de sua vida não é deixado de lado na obra.

“Quando eu li o livro do Nelson, eu gostei exatamente da forma como ele abordou isso, sem meias palavras, e eu quis fazer um espetáculo sem julgamentos morais. A gente não procurou enfatizar nem economizar. Quisemos enfatizar a formação do artista, e isso inegavelmente fez parte da formação do artista”, revela João.  “É como se a gente tivesse falando de qualquer outra coisa, já que pra ele era uma coisa normal”, completa Tiago.

Atuar em um musical não foi uma novidade para Tiago Abravanel. Apesar de jovem, o ator já havia feito parte de elencos de peças originalmente estrangeiras como Hairspray e Miss Saigon, e destacou a diferença de seus trabalhos anteriores com o musical Vale Tudo: “A maior diferença foi a questão vocal, do tipo de canto, de não ser o pop americano e ter o estilo brasileiro.”

Para selecionar as músicas que fariam parte da peça dentro do extenso repertório de Tim, João Fonseca se ateve a uma pré-seleção feita por Nelson Motta e a músicas que se encaixassem no contexto dramático do espetáculo.

O legado e o talento de Tim mexeram com Tiago, que desde então já foi convidado para subir ao trio elétrico de Ivete Sangalo e se apresentar ao lado da cantora no último carnaval de Salvador. O ator e cantor também se apresentou para uma plateia de cem mil pessoas durante as comemorações do aniversário de 80 anos do Cristo Redentor, no Aterro do Flamengo, em outubro de 2011.

Apesar da curiosidade e do sucesso que tem despertado por onde passa, o neto de Silvio Santos se mostra enfático ao dizer que não trocaria uma carreira pela outra: “Ainda estou me adaptando ao mundo da música, mas largar o teatro, isso não vai acontecer.”

Cobiçado pela TV Globo para atuar em uma de suas próximas novelas, Tiago revelou que as conversas estão em andamento, mas que ainda não há nada confirmado.

Ao falar sobre a influência que interpretar Tim Maia exerceu em si, o ator é só elogios: “O que me surpreendeu foi poder conhecer mais a obra do Tim e ver o quanto esse cara era um gênio”.

A prova irrefutável de suas palavras está na resposta do público, que, segundo conta, se emocionou como se estivesse em um verdadeiro show de Tim Maia. “Eu não tinha noção do quanto ele ainda está vivo na memória das pessoas”. 

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Tiago Abravanel fala sobre Tim Maia: “Eu não tinha noção do quanto ele está vivo na memória das pessoas”

por em 29/02/2012
Imagem: Divulgação

Polêmico, extrovertido, marcante e - acima de tudo - talentoso, Tim Maia se consolidou como uma das maiores personalidades musicais do Brasil e continua encantando gerações mesmo 14 anos após sua morte. Em 2011, o “síndico” ganhou mais uma homenagem através da peça musical Tim Maia – Vale Tudo.

Depois de realizar 126 apresentações no Rio de Janeiro e se transformar em um dos espetáculos de maior sucesso do país, atraindo mais de cem mil espectadores na capital fluminense, o musical chega a São Paulo onde será encenado no Teatro Procópio Ferreira, localizado na Rua Augusta, centro da cidade. A estreia acontece na quinta-feira, 9 de março e a temporada se estende até o dia 24 de junho.

Em entrevista coletiva realizada na tarde de ontem, dia 28, o diretor João Fonseca e o protagonista Tiago Abravanel falaram sobre curiosidades do espetáculo e as expectativas para a temporada paulistana.

As surpresas começaram logo na escolha do protagonista. Ainda durante as audiências, João Fonseca recebeu uma relação de candidatos ao papel onde o nome de Tiago estava relacionado.

“Olhei Tiago Abravanel e falei: ‘É parente do Silvio Santos? Mas ele é branco? Vocês vão me arrumar uma confusão, um Tim Maia branco?’ Aí esse menino abriu a boca e em 10, 15 segundos eu estava chorando”, conta.

Neto de um dos mais famosos apresentadores e empresários do país, Tiago sabia que precisaria dobrar a desconfiança e mostrar que suas qualidades dramáticas eram superiores ao seu famoso sobrenome.

“Talvez esse seja um dos meus maiores presentes e uma das maiores responsabilidades que eu já tenha recebido . Todo mundo me deu essa oportunidade de mostrar o que eu sei fazer e do que eu entendo como arte”, revelou o ator de apenas 24 anos.

Para criar o personagem, a dupla teve grande ajuda do jornalista Nelson Motta, autor da biografia Vale Tudo – O Som E A Fúria de Tim Maia e do texto da peça, além de grande amigo de Tim Maia.

Ao longo das 3h de peça, o “síndico” é retratado de seus 12 aos 55 anos. Passagens marcantes e curiosas da vida de Tim como sua viagem aos Estados Unidos em 1959 e seus primeiros contatos com a soul music estão lá, além de sua amizade com outras personalidades marcantes como Elis Regina, Jorge Ben Jor e Roberto e Erasmo Carlos.

“A gente tinha uma preocupação  de não fazer uma imitação do Tim. A preocupação não era imitar, e sim buscar os pequenos detalhes”, revela Tiago, cuja interpretação encantou o diretor e deu o tom do musical.

“Ele puxou como condutor dessa nave Tim Maia para os outros atores, e todo mundo começou a entender”, diz.


Chocolate

Assunto sempre polêmico e controverso, o uso de substâncias ilícitas feito por Tim Maia durante boa parte de sua vida não é deixado de lado na obra.

“Quando eu li o livro do Nelson, eu gostei exatamente da forma como ele abordou isso, sem meias palavras, e eu quis fazer um espetáculo sem julgamentos morais. A gente não procurou enfatizar nem economizar. Quisemos enfatizar a formação do artista, e isso inegavelmente fez parte da formação do artista”, revela João.  “É como se a gente tivesse falando de qualquer outra coisa, já que pra ele era uma coisa normal”, completa Tiago.

Atuar em um musical não foi uma novidade para Tiago Abravanel. Apesar de jovem, o ator já havia feito parte de elencos de peças originalmente estrangeiras como Hairspray e Miss Saigon, e destacou a diferença de seus trabalhos anteriores com o musical Vale Tudo: “A maior diferença foi a questão vocal, do tipo de canto, de não ser o pop americano e ter o estilo brasileiro.”

Para selecionar as músicas que fariam parte da peça dentro do extenso repertório de Tim, João Fonseca se ateve a uma pré-seleção feita por Nelson Motta e a músicas que se encaixassem no contexto dramático do espetáculo.

O legado e o talento de Tim mexeram com Tiago, que desde então já foi convidado para subir ao trio elétrico de Ivete Sangalo e se apresentar ao lado da cantora no último carnaval de Salvador. O ator e cantor também se apresentou para uma plateia de cem mil pessoas durante as comemorações do aniversário de 80 anos do Cristo Redentor, no Aterro do Flamengo, em outubro de 2011.

Apesar da curiosidade e do sucesso que tem despertado por onde passa, o neto de Silvio Santos se mostra enfático ao dizer que não trocaria uma carreira pela outra: “Ainda estou me adaptando ao mundo da música, mas largar o teatro, isso não vai acontecer.”

Cobiçado pela TV Globo para atuar em uma de suas próximas novelas, Tiago revelou que as conversas estão em andamento, mas que ainda não há nada confirmado.

Ao falar sobre a influência que interpretar Tim Maia exerceu em si, o ator é só elogios: “O que me surpreendeu foi poder conhecer mais a obra do Tim e ver o quanto esse cara era um gênio”.

A prova irrefutável de suas palavras está na resposta do público, que, segundo conta, se emocionou como se estivesse em um verdadeiro show de Tim Maia. “Eu não tinha noção do quanto ele ainda está vivo na memória das pessoas”.