NOTÍCIAS

Um baile de hip hop com um toque de África

por em 24/08/2015
(fot
o: Divulgação/Sesc Pinheiros) Por Rodrigo Rocha Emicida encerrou ontem (24/08) a série de três shows de lançamento do álbum Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos De Lições De Casa no Sesc Pinheiros, em São Paulo. Foi-se o tempo em que um show de hip hop era marcado apenas pelas figuras do MC e do DJ. Emicida, que começou a dar os primeiros versos em tradicionais batalhas de rimas em uma estação de metrô da cidade de São Paulo, sabe muito bem disso. Seis anos após o lançamento da mixtape de estreia Pra Quem Já Mordeu Um  Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe..., o paulistano tem a companhia de duas guitarras, um baixo, o inseparável DJ Nyack, muita percussão – e, junto, um pedaço generoso da África, o berço da humanidade e, por que não, da música. Entrevista com Emicida: "Pretos vão se arrepiar, brancos vão se impressionar" É também na lembrança de outro berço que vem um dos momentos mais emocionantes da noite. A faixa “Mãe”, com os vocais da multifuncional guitarrista Anna Tréa, contou com a grata participação de Dona Jacira, a mãe do rapper, recitando os versos da canção.Em “Mandume”, Emicida chamou toda a rapa que canta junto na faixa: Drik Barbosa, Amiri, Muzzike e Raphao Alaafin. A única ausência foi Rico Dalasam, em passagem pelos Estados Unidos. Emicida estava muito bem acompanhado. O público bem eclético não deixou a poeira abaixar em nenhum momento. E o rapper fez questão tirar fotos e cumprimentar a todos que estendiam as mãos ao palco - inclusive a Eduardo Suplicy, Secretário de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, presença frequente em shows de rap. Nesta noite acompanhado de um dos seus filhos, João Suplicy. O rapper não deixou seus hits de lado. "Gueto" e "Triunfo" foram algumas das mais aplaudidas da noite, além do repertório novo. Emicida provou estar em grande fase. E, para quem não percebeu, ele mesmo confirma brincando sobre o caminho que o novo álbum percorreu (Cabo Verde, Angola, Moçambique, Paris e Los Angeles). Viiiixe. Emicida fala sério em seu segundo disco
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Um baile de hip hop com um toque de África

por em 24/08/2015
(fot
o: Divulgação/Sesc Pinheiros) Por Rodrigo Rocha Emicida encerrou ontem (24/08) a série de três shows de lançamento do álbum Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos De Lições De Casa no Sesc Pinheiros, em São Paulo. Foi-se o tempo em que um show de hip hop era marcado apenas pelas figuras do MC e do DJ. Emicida, que começou a dar os primeiros versos em tradicionais batalhas de rimas em uma estação de metrô da cidade de São Paulo, sabe muito bem disso. Seis anos após o lançamento da mixtape de estreia Pra Quem Já Mordeu Um  Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe..., o paulistano tem a companhia de duas guitarras, um baixo, o inseparável DJ Nyack, muita percussão – e, junto, um pedaço generoso da África, o berço da humanidade e, por que não, da música. Entrevista com Emicida: "Pretos vão se arrepiar, brancos vão se impressionar" É também na lembrança de outro berço que vem um dos momentos mais emocionantes da noite. A faixa “Mãe”, com os vocais da multifuncional guitarrista Anna Tréa, contou com a grata participação de Dona Jacira, a mãe do rapper, recitando os versos da canção.Em “Mandume”, Emicida chamou toda a rapa que canta junto na faixa: Drik Barbosa, Amiri, Muzzike e Raphao Alaafin. A única ausência foi Rico Dalasam, em passagem pelos Estados Unidos. Emicida estava muito bem acompanhado. O público bem eclético não deixou a poeira abaixar em nenhum momento. E o rapper fez questão tirar fotos e cumprimentar a todos que estendiam as mãos ao palco - inclusive a Eduardo Suplicy, Secretário de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, presença frequente em shows de rap. Nesta noite acompanhado de um dos seus filhos, João Suplicy. O rapper não deixou seus hits de lado. "Gueto" e "Triunfo" foram algumas das mais aplaudidas da noite, além do repertório novo. Emicida provou estar em grande fase. E, para quem não percebeu, ele mesmo confirma brincando sobre o caminho que o novo álbum percorreu (Cabo Verde, Angola, Moçambique, Paris e Los Angeles). Viiiixe. Emicida fala sério em seu segundo disco