NOTÍCIAS

Weeknd dá aula de pop e de simplicidade no Lollapalooza

Sem muitos artifícios, cantor dominou e encerrou a programação de um dos palcos

por Marcos Lauro em 26/03/2017

Depois que Michael Jackson e Prince morreram, nenhum outro artista reuniu atributos para ocupar, sozinho, o trono de Rei do Pop. O que temos hoje é uma tríade formada por Justin Timberlake, Bruno Mars e The Weeknd. O mais recente trabalho desse último, Starboy, não foi apenas um dos melhores álbuns de 2016. Serviu também para provar seu valor, junto a público (o cantor bateu recordes em plataformas de streaming no lançamento) e crítica e coloca-lo no mesmo patamar que os outros dois artistas. E, nesse domingo, o Lollapalooza nos deu a honra de conferir isso de perto.

VEJA COMO FOI O PRIMEIRO DIA DO LOLLAPALOOZA 2017

E é interessante o momento dessa visita de Weeknd ao Brasil. O cantor está, até então, no seu auge e, com apenas 27 anos e três álbuns, ainda tem muito fôlego para alcançar outros patamares.

TheWeekndThe Weeknd encerrou a programação de um dos palcos do Lollapalooza - Camila Cara/Divulgação

Com quase 10 minutos de atraso, um teclado bastante alto assustou os fãs que estavam mais perto do palco e anunciou a entrada de Abel Tesfaye. A dobradinha inicial já serviu para mostrar os diferentes tons do show: a balada “Starboy” e a frenética/acelerada/música de academia “False Alarm”.

CÉU ABRE PALCO PRINCIPAL COM TALENTO E CARISMA

Apesar dos fãs demonstrarem conhecer todas as letras, as músicas de Starboy causaram mais comoção. “Party Monster” veio para recuperar a velocidade depois de um som mais lento e, assim como um set mixado, emendou em “Reminder” – a escuridão da primeira faixa foi transformada em imagens em tons de laranja nos telões.

DURAN DURAN TENTA SAIR DOS ANOS 1980, MAS OS ANOS 80 NÃO SAEM DO DURAN DURAN

Aliás, o palco de The Weeknd tem uma configuração interessante. Todo preto, tem o tradicional telão de fundo, grande, mas que não mostra imagens do cantor, apenas projeções. A banda, um trio de guitarra, baixo e bateria, fica numa plataforma bastante alta que tem outro telão, um painel de LED, cobrindo a estrutura. Weeknd fica todo o tempo à frente desse telão menor, o que faz com que tenhamos apenas uma visão contra-luz do cantor quando esse telão é acionado.

Weeknd sabe que seu som chega mais redondo ao público feminino e usa isso durante a apresentação. “Cadê as mulheres do Brasil? Esse som é pra vocês!”, disse, e cantou “Acquainted”, que tem versos como “Você me fez tocar no seu corpo/Dizer que estamos nos amando é perigoso/Mas garota, eu estou tão feliz que estamos íntimos”. “Qui homão da p****”, como diz o meme.

SEM POSE DE DIVA, MØ FAZ A FESTA NO LOLLAPALOOZA

Com Weeknd não tem frases em português, bandeira do Brasil ou outros artifícios para conquistar o público local. No palco, o cantor também se veste de maneira bastante usual: tênis, calça e jaqueta. Se não estivesse com o rosto já tão famoso, ele poderia ser o cara atrás de você na fila do banco amanhã.

Selena Gomez, namorada do cantor e presente no Brasil, estava em Interlagos e causou frisson quando apareceu no telão. Minutos depois, a plateia tentou puxar um coro de “Selena! Selena”, mas foi ignorado por The Weeknd, que preferiu brincar de “qual lado da plateia faz mais barulho”. O lado direito ganhou.

O show de The Weeknd foi uma aula de pop. Um cantor com uma voz segura – que vez ou outra faz uso de playback, mas sem exageros e sem comprometer a apresentação – e com uma presença de palco bastante simples e natural, mas que ocupa todo o espaço. Agora só nos falta torcer para Bruno Mars pintar por aqui e aí teremos visto a tríade do pop masculino atual de perto. É muito bom ver um artista no auge num palco a poucos metros de você.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Eu Vou Te Buscar (Cha La La La La) (part. Hungria Hip Hop)
Gusttavo LIma
2
Amor Da Sua Cama
Felipe Araújo
3
Saudade
Eduardo Costa
4
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
5
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Weeknd dá aula de pop e de simplicidade no Lollapalooza

Sem muitos artifícios, cantor dominou e encerrou a programação de um dos palcos

por Marcos Lauro em 26/03/2017

Depois que Michael Jackson e Prince morreram, nenhum outro artista reuniu atributos para ocupar, sozinho, o trono de Rei do Pop. O que temos hoje é uma tríade formada por Justin Timberlake, Bruno Mars e The Weeknd. O mais recente trabalho desse último, Starboy, não foi apenas um dos melhores álbuns de 2016. Serviu também para provar seu valor, junto a público (o cantor bateu recordes em plataformas de streaming no lançamento) e crítica e coloca-lo no mesmo patamar que os outros dois artistas. E, nesse domingo, o Lollapalooza nos deu a honra de conferir isso de perto.

VEJA COMO FOI O PRIMEIRO DIA DO LOLLAPALOOZA 2017

E é interessante o momento dessa visita de Weeknd ao Brasil. O cantor está, até então, no seu auge e, com apenas 27 anos e três álbuns, ainda tem muito fôlego para alcançar outros patamares.

TheWeekndThe Weeknd encerrou a programação de um dos palcos do Lollapalooza - Camila Cara/Divulgação

Com quase 10 minutos de atraso, um teclado bastante alto assustou os fãs que estavam mais perto do palco e anunciou a entrada de Abel Tesfaye. A dobradinha inicial já serviu para mostrar os diferentes tons do show: a balada “Starboy” e a frenética/acelerada/música de academia “False Alarm”.

CÉU ABRE PALCO PRINCIPAL COM TALENTO E CARISMA

Apesar dos fãs demonstrarem conhecer todas as letras, as músicas de Starboy causaram mais comoção. “Party Monster” veio para recuperar a velocidade depois de um som mais lento e, assim como um set mixado, emendou em “Reminder” – a escuridão da primeira faixa foi transformada em imagens em tons de laranja nos telões.

DURAN DURAN TENTA SAIR DOS ANOS 1980, MAS OS ANOS 80 NÃO SAEM DO DURAN DURAN

Aliás, o palco de The Weeknd tem uma configuração interessante. Todo preto, tem o tradicional telão de fundo, grande, mas que não mostra imagens do cantor, apenas projeções. A banda, um trio de guitarra, baixo e bateria, fica numa plataforma bastante alta que tem outro telão, um painel de LED, cobrindo a estrutura. Weeknd fica todo o tempo à frente desse telão menor, o que faz com que tenhamos apenas uma visão contra-luz do cantor quando esse telão é acionado.

Weeknd sabe que seu som chega mais redondo ao público feminino e usa isso durante a apresentação. “Cadê as mulheres do Brasil? Esse som é pra vocês!”, disse, e cantou “Acquainted”, que tem versos como “Você me fez tocar no seu corpo/Dizer que estamos nos amando é perigoso/Mas garota, eu estou tão feliz que estamos íntimos”. “Qui homão da p****”, como diz o meme.

SEM POSE DE DIVA, MØ FAZ A FESTA NO LOLLAPALOOZA

Com Weeknd não tem frases em português, bandeira do Brasil ou outros artifícios para conquistar o público local. No palco, o cantor também se veste de maneira bastante usual: tênis, calça e jaqueta. Se não estivesse com o rosto já tão famoso, ele poderia ser o cara atrás de você na fila do banco amanhã.

Selena Gomez, namorada do cantor e presente no Brasil, estava em Interlagos e causou frisson quando apareceu no telão. Minutos depois, a plateia tentou puxar um coro de “Selena! Selena”, mas foi ignorado por The Weeknd, que preferiu brincar de “qual lado da plateia faz mais barulho”. O lado direito ganhou.

O show de The Weeknd foi uma aula de pop. Um cantor com uma voz segura – que vez ou outra faz uso de playback, mas sem exageros e sem comprometer a apresentação – e com uma presença de palco bastante simples e natural, mas que ocupa todo o espaço. Agora só nos falta torcer para Bruno Mars pintar por aqui e aí teremos visto a tríade do pop masculino atual de perto. É muito bom ver um artista no auge num palco a poucos metros de você.