NOTÍCIAS

5 referências escondidas no novo álbum da Lady Gaga

Joanne faz alusões sobre assuntos pessoais, políticos e culturais

por Redação em 23/10/2016

O quarto álbum de Lady Gaga, Joanne, finalmente chegou nessa última sexta-feira (21/10). Em seu trabalho mais íntimo, a cantora faz uma série de referências pessoais, culturais e políticas. Alguns são mais diretas, como a música que leva o nome de John Wayne e o próprio título do álbum, que se refere a uma tia já falecida, Joanne Germanotta. Mas outras referências estão bem escondidas.

Veja cinco indiretas de Joanne, da Lady Gaga.

Divinyls

Dentro do tema empoderamento há diversas músicas sobre masturbação feminina. E “Dancin’ In Circles” segue essa tradição. Na letra, quando Gaga fantasia sobre um ex-namorado e diz que está “se tocando para passar o tempo”, a cantora faz uma alusão à faixa “I Touch Myself”, do grupo australiano Divinyls.

A Bíblia

Gaga vem de uma criação católica de origem italiana, então, naturalmente, a Bíblia apareceria num álbum mais pessoal. Em "Come to Mama", Gaga fala tanto sobre o Antigo quanto sobre o Novo Testamento. Há a citação a Noé no trecho que fala sobre "um dilúvio de quarenta dias", enquanto em outro ela diz para "parar de atirar pedras em suas irmãs e seus irmãos (...) que qualquer um de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar pedras contra ela".

David Bowie

O catálogo do falecido David Bowie pode muito bem ser a Bíblia pessoal de Lady Gaga quando se trata de inspiração criativa. Assim, enquanto a letra de "Diamond Heart" sobre um "jovem selvagem americano", pode apostar que ela está falando sobre o clássico de 1975 do seu herói, "Young Americans".

Trayvon Martin

Gaga revelou em uma entrevista para Zane Lowe que "Angel Down" foi inspirada pelo assassinato de Trayvon Martin, jovem negro de 17 anos, por George Zimmerman, em 2012. "Fiquei impressionada com o fato de que as pessoas ao redor não fizeram nada e que o sistema de justiça continua falhando com essas famílias", Gaga explicou. A canção – que aparece duas vezes na edição de luxo de Joanne – fala que "tiros foram disparados pela rua / pela igreja onde as pessas se encontravam (...) Mas as pessoas só estavam ao redor".

Pirataria

Em “Sinner’s Prayer”, Gaga canta: "Seu amor por ele não é barato / Mas ele quebra como uma imitação / de Fulton Street", aludindo a um dos muitos locais de Manhattan onde você pode obter produtos de grandes marcas (mais baratos e menos legítimos).

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
4
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
5
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

5 referências escondidas no novo álbum da Lady Gaga

Joanne faz alusões sobre assuntos pessoais, políticos e culturais

por Redação em 23/10/2016

O quarto álbum de Lady Gaga, Joanne, finalmente chegou nessa última sexta-feira (21/10). Em seu trabalho mais íntimo, a cantora faz uma série de referências pessoais, culturais e políticas. Alguns são mais diretas, como a música que leva o nome de John Wayne e o próprio título do álbum, que se refere a uma tia já falecida, Joanne Germanotta. Mas outras referências estão bem escondidas.

Veja cinco indiretas de Joanne, da Lady Gaga.

Divinyls

Dentro do tema empoderamento há diversas músicas sobre masturbação feminina. E “Dancin’ In Circles” segue essa tradição. Na letra, quando Gaga fantasia sobre um ex-namorado e diz que está “se tocando para passar o tempo”, a cantora faz uma alusão à faixa “I Touch Myself”, do grupo australiano Divinyls.

A Bíblia

Gaga vem de uma criação católica de origem italiana, então, naturalmente, a Bíblia apareceria num álbum mais pessoal. Em "Come to Mama", Gaga fala tanto sobre o Antigo quanto sobre o Novo Testamento. Há a citação a Noé no trecho que fala sobre "um dilúvio de quarenta dias", enquanto em outro ela diz para "parar de atirar pedras em suas irmãs e seus irmãos (...) que qualquer um de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar pedras contra ela".

David Bowie

O catálogo do falecido David Bowie pode muito bem ser a Bíblia pessoal de Lady Gaga quando se trata de inspiração criativa. Assim, enquanto a letra de "Diamond Heart" sobre um "jovem selvagem americano", pode apostar que ela está falando sobre o clássico de 1975 do seu herói, "Young Americans".

Trayvon Martin

Gaga revelou em uma entrevista para Zane Lowe que "Angel Down" foi inspirada pelo assassinato de Trayvon Martin, jovem negro de 17 anos, por George Zimmerman, em 2012. "Fiquei impressionada com o fato de que as pessoas ao redor não fizeram nada e que o sistema de justiça continua falhando com essas famílias", Gaga explicou. A canção – que aparece duas vezes na edição de luxo de Joanne – fala que "tiros foram disparados pela rua / pela igreja onde as pessas se encontravam (...) Mas as pessoas só estavam ao redor".

Pirataria

Em “Sinner’s Prayer”, Gaga canta: "Seu amor por ele não é barato / Mas ele quebra como uma imitação / de Fulton Street", aludindo a um dos muitos locais de Manhattan onde você pode obter produtos de grandes marcas (mais baratos e menos legítimos).