NOTÍCIAS

9 coisas que aprendemos sobre Justin Timberlake em seu livro

Cantor conta histórias pessoais e revela bastidores de momentos importantes da carreira

por Redação em 01/11/2018

Justin Timberlake está fazendo repouso vocal e precisou cancelar shows por ordens médicas, mas acaba de lançar o livro Hindsight: & All The Things I Can’t See In Front Of Me, em que faz reflexões pessoais, divide histórias de bastidores e fotos inéditas.

Reunimos 9 coisas que descobrimos ao ler o livro, que ainda não tem previsão de lançamento no Brasil:

Justin e Ryan Gosling causaram problemas no set de gravações de Clube do Mickey

Depois de contar a adorável história de como conseguiu um papel no programa – que envolveu dizer ao responsável pelo casting que estava ali pelo dinheiro – Timberlake admite que nem sempre foi querido nos bastidores. “Tínhamos cartões de funcionários que nos davam acesso aos parques de diversão da Disney de graça. Ryan e eu roubamos um carrinho de golfe e dirigimos até a entrada de funcionários da Torre do Terror. Andamos no brinquedo 12 vezes seguidas. Fomos repreendidos por isso. Mas valeu a pena.” 
 

*NSYNC lidou com plateias difíceis no início da carreira

Timberlake diz que houve “momentos muito esquisitos” quando o *NSYNC começou. Um dos mais memoráveis? Uma performance em um festival escandinavo em que eles não deveriam se apresentar. “Eram apenas apresentações de bandas de heavy metal e nós éramos uma boyband iniciante. Passamos os 25 minutos do show desviando de garrafas de vidro que foram jogadas no palco.”

Justin também passou por maus momentos na carreira solo

Depois que Timberlake seguiu carreira solo, Mick Jagger o recrutou para participar de um show beneficente ao lado dos Rolling Stones, AC/DC e Guess Who. Como o único artista considerado “pop”, ele sabia que seria complicado. “Antes de subir ao palco, lembro de dizer para a minha banda: ‘Gente, não acho que isso vai dar certo’. E então rezamos. Entrei no palco e jogaram latas de cerveja e garrafas cheias de xixi.”

Ele escreveu “Cry Me a River” em duas horas

Se você pensa que Timberlake estava passando por algo difícil quando escreveu “Cry Me a River”, você está certo. “Eu não planejei escrevê-la. Os sentimentos que eu tinha eram tão fortes que eu precisei escrever e traduzi meus sentimentos de uma forma que as pessoas poderiam ouvir e, quem sabe, se identificar. As pessoas me ouviram e entenderam a mensagem porque todos nós já passamos por isso.”

JT ficou furioso por Justified ser rotulado como um álbum pop

Quando Timberlake começou a trabalhar em Justified, o objetivo era fazer um verdadeiro álbum R&B. Mas as críticas que rotulavam o projeto como pop o incomodaram mais do que deveria. “Eu tinha uma visão para o álbum. Queria que as pessoas tivessem entendido essa visão. Eu tinha 21 anos. É claramente um disco pop.”

“SexyBack” foi inspirada em David Bowie

Timberlake estava ouvindo Bowie há duas semanas seguidas antes de entrar em estúdio com Timbaland para a gravação que gerou “SexyBack”.Ele estava inspirado em “Rebel Rebel”. “Eu queria criar algo que me fizesse sentir como David Bowie me fez sentir quando cantou ‘Hot tramp, I love you so!’”. 

Ele e Jessica Biel começar a namorar durante a turnê FutureSex/LoveSounds

Pouco antes de embarcar para a Europa por três meses, Timberlake disse para a Jessica que queria que o relacionamento deles fosse exclusivo. Ela concordou e voou para a Europa para passar duas semanas com ele na estrada. 

O artista mantém o filho Silas longe dos holofotes por motivos pessoais

Timberlake fala sobre o filho na última parte do livro e menciona o que aprendeu sobre paternidade. O cantor diz que decidiu, em comum acordo com a esposa, manter o filho longe dos holofotes e que isso ajudou a família a ser ainda mais unida. “Foi importante para nós poder escolher como compartilhar Silas com o mundo porque é uma nova era para mim. Não é mais apenas sobre mim. Tenho uma esposa, um filho, uma família. É assustador. Tem mais significado do que qualquer coisa da qual já fiz parte.”

“Can’t Stop the Feeling” foi escrita para – e por causa de – Silas

A animada música foi algo que Timberlake sabia que queria em seu repertório quando começou a compor a trilha sonora de Trolls. A inspiração foram as músicas do verão que gostava de ouvir quando criança e seu filho ajudou a tornar a ideia realidade. “Quando vi meu filho pela primeira vez, senti algo tão intenso – nada do que eu já vivi pode se comparar. Eu nunca poderia ter escrito ‘Can’t Stop The Feeling’ sem conhecer meu filho. Se você quer saber como eu me senti quando vi Silas pela primeira vez, ouça a música.”

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Zé da Recaída
Gusttavo Lima
2
Só Pra Castigar
Wesley Safadão
3
Atrasadinha (Part. Ferrugem)
Felipe Araújo
4
Notificação Preferida
Zé Neto & Cristiano
5
Sofázinho (Part. Jorge & Mateus)
Luan Santana
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

9 coisas que aprendemos sobre Justin Timberlake em seu livro

Cantor conta histórias pessoais e revela bastidores de momentos importantes da carreira

por Redação em 01/11/2018

Justin Timberlake está fazendo repouso vocal e precisou cancelar shows por ordens médicas, mas acaba de lançar o livro Hindsight: & All The Things I Can’t See In Front Of Me, em que faz reflexões pessoais, divide histórias de bastidores e fotos inéditas.

Reunimos 9 coisas que descobrimos ao ler o livro, que ainda não tem previsão de lançamento no Brasil:

Justin e Ryan Gosling causaram problemas no set de gravações de Clube do Mickey

Depois de contar a adorável história de como conseguiu um papel no programa – que envolveu dizer ao responsável pelo casting que estava ali pelo dinheiro – Timberlake admite que nem sempre foi querido nos bastidores. “Tínhamos cartões de funcionários que nos davam acesso aos parques de diversão da Disney de graça. Ryan e eu roubamos um carrinho de golfe e dirigimos até a entrada de funcionários da Torre do Terror. Andamos no brinquedo 12 vezes seguidas. Fomos repreendidos por isso. Mas valeu a pena.” 
 

*NSYNC lidou com plateias difíceis no início da carreira

Timberlake diz que houve “momentos muito esquisitos” quando o *NSYNC começou. Um dos mais memoráveis? Uma performance em um festival escandinavo em que eles não deveriam se apresentar. “Eram apenas apresentações de bandas de heavy metal e nós éramos uma boyband iniciante. Passamos os 25 minutos do show desviando de garrafas de vidro que foram jogadas no palco.”

Justin também passou por maus momentos na carreira solo

Depois que Timberlake seguiu carreira solo, Mick Jagger o recrutou para participar de um show beneficente ao lado dos Rolling Stones, AC/DC e Guess Who. Como o único artista considerado “pop”, ele sabia que seria complicado. “Antes de subir ao palco, lembro de dizer para a minha banda: ‘Gente, não acho que isso vai dar certo’. E então rezamos. Entrei no palco e jogaram latas de cerveja e garrafas cheias de xixi.”

Ele escreveu “Cry Me a River” em duas horas

Se você pensa que Timberlake estava passando por algo difícil quando escreveu “Cry Me a River”, você está certo. “Eu não planejei escrevê-la. Os sentimentos que eu tinha eram tão fortes que eu precisei escrever e traduzi meus sentimentos de uma forma que as pessoas poderiam ouvir e, quem sabe, se identificar. As pessoas me ouviram e entenderam a mensagem porque todos nós já passamos por isso.”

JT ficou furioso por Justified ser rotulado como um álbum pop

Quando Timberlake começou a trabalhar em Justified, o objetivo era fazer um verdadeiro álbum R&B. Mas as críticas que rotulavam o projeto como pop o incomodaram mais do que deveria. “Eu tinha uma visão para o álbum. Queria que as pessoas tivessem entendido essa visão. Eu tinha 21 anos. É claramente um disco pop.”

“SexyBack” foi inspirada em David Bowie

Timberlake estava ouvindo Bowie há duas semanas seguidas antes de entrar em estúdio com Timbaland para a gravação que gerou “SexyBack”.Ele estava inspirado em “Rebel Rebel”. “Eu queria criar algo que me fizesse sentir como David Bowie me fez sentir quando cantou ‘Hot tramp, I love you so!’”. 

Ele e Jessica Biel começar a namorar durante a turnê FutureSex/LoveSounds

Pouco antes de embarcar para a Europa por três meses, Timberlake disse para a Jessica que queria que o relacionamento deles fosse exclusivo. Ela concordou e voou para a Europa para passar duas semanas com ele na estrada. 

O artista mantém o filho Silas longe dos holofotes por motivos pessoais

Timberlake fala sobre o filho na última parte do livro e menciona o que aprendeu sobre paternidade. O cantor diz que decidiu, em comum acordo com a esposa, manter o filho longe dos holofotes e que isso ajudou a família a ser ainda mais unida. “Foi importante para nós poder escolher como compartilhar Silas com o mundo porque é uma nova era para mim. Não é mais apenas sobre mim. Tenho uma esposa, um filho, uma família. É assustador. Tem mais significado do que qualquer coisa da qual já fiz parte.”

“Can’t Stop the Feeling” foi escrita para – e por causa de – Silas

A animada música foi algo que Timberlake sabia que queria em seu repertório quando começou a compor a trilha sonora de Trolls. A inspiração foram as músicas do verão que gostava de ouvir quando criança e seu filho ajudou a tornar a ideia realidade. “Quando vi meu filho pela primeira vez, senti algo tão intenso – nada do que eu já vivi pode se comparar. Eu nunca poderia ter escrito ‘Can’t Stop The Feeling’ sem conhecer meu filho. Se você quer saber como eu me senti quando vi Silas pela primeira vez, ouça a música.”