NOTÍCIAS

Advogado confirma que ninguém será culpado pela morte de Prince

Quase dois anos após overdose acidental de opioides, médico que tratava o cantor faz acordo e caso é encerrado

por Redação em 19/04/2018

O advogado Mark Metz confirmou nesta quinta-feira (19/04) que ninguém será culpado pela morte de Prince.

O cantor foi encontrado sozinho e sem reação em sua residência em 21 de abril de 2016. Ele tinha 57 anos. Logo após sua morte, foi confirmado que Prince faleceu por overdose de opioide. O medicamento fentanil, 50 vezes mais forte do que a heroína, foi encontrado em sua corrente sanguínea.

Metz disse que o cantor sofreu a overdose por usar medicamento falsificado, que continha o analgésico. “Prince não tinha ideia de que, tomando o remédio falsificado, ele iria se matar.” Não há evidências de como ele comprou os comprimidos, então não há quem culpar pela morte, segundo a CNN.

Prince não tinha receita para nenhuma das medicações encontradas em sua casa depois da sua morte. Algumas tinham sido prescritas para seu antigo baterista, Kirk Johnson.

O médico Michael Schulenberg, que atendeu Prince duas vezes nas semanas anteriores a sua morte, concordou em pagar US$ 30 mil para a corte para que não fosse acusado por prescrever o medicamento para outras pessoas sabendo que Prince usaria os comprimidos.

A advogada do médico, Amy S. Conners, disse em comunicado que o seu cliente fez o acordo “para evitar os gastos, o atraso e o veredicto desconhecido do julgamento”. Ela também afirmou que ele não receitou opioides para ninguém com a intenção de que Prince fizesse o uso. “Assim que ele soube sobre o vício do cantor, ele imediatamente trabalhou para encaminhar Prince para uma clínica de tratamento e transferiu os cuidados para um especialista em dependência química. Anteriormente, Dr. Schulenberg já expôs todas as informações sobre o cuidado e tratamento de Prince para a polícia e as autoridades para colaborar com as investigações.”

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ausência
Marília Mendonça
2
Beijo de Varanda
Bruno & Marrone
3
Buá Buá
Naiara Azevedo
4
Olha Ela Aí
Eduardo Costa
5
Cada Um Na Sua
Fernando & Sorocaba
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Advogado confirma que ninguém será culpado pela morte de Prince

Quase dois anos após overdose acidental de opioides, médico que tratava o cantor faz acordo e caso é encerrado

por Redação em 19/04/2018

O advogado Mark Metz confirmou nesta quinta-feira (19/04) que ninguém será culpado pela morte de Prince.

O cantor foi encontrado sozinho e sem reação em sua residência em 21 de abril de 2016. Ele tinha 57 anos. Logo após sua morte, foi confirmado que Prince faleceu por overdose de opioide. O medicamento fentanil, 50 vezes mais forte do que a heroína, foi encontrado em sua corrente sanguínea.

Metz disse que o cantor sofreu a overdose por usar medicamento falsificado, que continha o analgésico. “Prince não tinha ideia de que, tomando o remédio falsificado, ele iria se matar.” Não há evidências de como ele comprou os comprimidos, então não há quem culpar pela morte, segundo a CNN.

Prince não tinha receita para nenhuma das medicações encontradas em sua casa depois da sua morte. Algumas tinham sido prescritas para seu antigo baterista, Kirk Johnson.

O médico Michael Schulenberg, que atendeu Prince duas vezes nas semanas anteriores a sua morte, concordou em pagar US$ 30 mil para a corte para que não fosse acusado por prescrever o medicamento para outras pessoas sabendo que Prince usaria os comprimidos.

A advogada do médico, Amy S. Conners, disse em comunicado que o seu cliente fez o acordo “para evitar os gastos, o atraso e o veredicto desconhecido do julgamento”. Ela também afirmou que ele não receitou opioides para ninguém com a intenção de que Prince fizesse o uso. “Assim que ele soube sobre o vício do cantor, ele imediatamente trabalhou para encaminhar Prince para uma clínica de tratamento e transferiu os cuidados para um especialista em dependência química. Anteriormente, Dr. Schulenberg já expôs todas as informações sobre o cuidado e tratamento de Prince para a polícia e as autoridades para colaborar com as investigações.”